Competitividade x Sustentabilidade
x Confessionalidade = Viabilidade?
Análise da Conjuntura Econômico
Financeira atual e suas
Implicações nas Instituições de
Ensino Superior
---------------V Seminário de Educação Superior da ABIEE –
27 de abril de 2009 – São Paulo
---------------Solano Portela – Diretor de Planejamento e
Finanças do Mackenzie
1
Análise da Conjuntura Econômico Financeira atual e suas Implicações nas
Instituições de Ensino Superior
Solano Portela – 27.04.2009
2
Análise da Conjuntura
Econômico Financeira atual e
suas Implicações nas
Instituições de Ensino Superior
1. A extensão da Crise Financeira
2008-2009.
2. O Reflexo da Crise nas IES.
3. O Que fazer, perante a Crise?
4. Implicações da Crise às Escolas
Confessionais.
Solano Portela – Diretor de Planejamento e Finanças do Mackenzie – 27.04.2009
3
Análise da Conjuntura Econômico Financeira atual e suas Implicações nas
Instituições de Ensino Superior
1. A Extensão da
Crise Financeira
2008 -2009
• Crises não são
novidade.
• Como tudo
começou.
• A intensidade no
setor Bancário.
Solano Portela – 27.04.2009
4
Análise da Conjuntura Econômico Financeira atual e suas Implicações nas
Instituições de Ensino Superior
1. A Extensão da Crise Financeira
2008 -2009
• Daniel Goldberg – Morgan Stanley
Bank.
• Os “NINJA”
– No Income, No Jobs and Assets.
• A intensidade no setor Bancário.
• Qual o tamanho do “buraco”?
• A questão do Balanço dos Bancos.
Solano Portela – 27.04.2009
5
Análise da Conjuntura Econômico Financeira atual e suas Implicações nas
Instituições de Ensino Superior
Balanços dos Bancos – Quase ao
Contrário dos Nossos:
• IES:
– ATIVO  bens e caixa
– PASSIVO  dívidas e obrigações
•Bancos:
– ATIVO  empréstimos realizados +
patrimônio (ativo tangível)
– PASSIVO  depósitos + outras
obrigações.
Solano Portela – 27.04.2009
6
Análise da Conjuntura Econômico Financeira atual e suas Implicações nas
Instituições de Ensino Superior
Panorama dos Dez Maiores Bancos
nos Estados Unidos:
• 18 trilhões de US$ - empréstimos
• 13 trilhões de US$ - depósitos
• 1 trilhão de US$ - patrimônio
• Isso é ANTES da Crise – após a
crise: patrimônio = 373 bilhões!
• Alavancagem:
– ANTES: 18:1
– DEPOIS: 50:1
Solano Portela – 27.04.2009
7
Análise da Conjuntura Econômico Financeira atual e suas Implicações nas
Instituições de Ensino Superior
UM MILHÃO DE DÓLARES
Solano Portela – 27.04.2009
8
Análise da Conjuntura Econômico Financeira atual e suas Implicações nas
Instituições de Ensino Superior
UM BILHÃO DE DÓLARES
Solano Portela – 27.04.2009
9
Análise da Conjuntura Econômico Financeira atual e suas Implicações nas
Instituições de Ensino Superior
UM TRILHÃO DE DÓLARES
Solano Portela – 27.04.2009
10
Análise da Conjuntura Econômico Financeira atual e suas Implicações nas
Instituições de Ensino Superior
Panorama Bancário Nacional:
• Menor exposição, padrão mais rígidos –
no entanto:
• Entrelaçamento Internacional e Crise
de Credibilidade cobram pedágio severo.
• Migração para instituições bancárias
maiores (Itaú-Unibanco; Bradesco,
Santander-Real)
• Melhor saúde, não é mérito
governamental: Nossa sociedade e
instituições já vêm pagando a conta há
décadas!
• Efeito em Bancos Médios e Pequenos
Solano Portela – 27.04.2009
11
Análise da Conjuntura Econômico Financeira atual e suas Implicações nas
Instituições de Ensino Superior
2. O Reflexo
da Crise nas
IES
• Manchete – Em crise, faculdades de
São Paulo já cortam cursos.
A crise das faculdades particulares, antes
presente apenas em estudos e análises, já
afeta os alunos. Só na cidade de São Paulo,
ao menos sete instituições fecharam
cursos, atrasaram salários de professores
ou tiveram aulas prejudicadas...
Solano Portela – 27.04.2009
12
Análise da Conjuntura Econômico Financeira atual e suas Implicações nas
Instituições de Ensino Superior
2. O Reflexo da Crise nas IES –
Matéria da Folha:
1.
2.
3.
4.
O fechamento total de uma faculdade;
O fechamento de quatro cursos, por outra:
jornalismo, relações públicas e rádio e TV;
O corte em 30% do corpo docente por uma
tradicional universidade de São Paulo; uma
outra, com 600 professores, cortou 200;
outra, ainda não havia pago o 13º salário.
A ociosidade das vagas em acréscimo
desenfreado, chegando a 49,5% do total
(1998 – 20,2%).
18 de abril
de 2006 !
Solano Portela – 27.04.2009
13
Análise da Conjuntura Econômico Financeira atual e suas Implicações nas
Instituições de Ensino Superior
2. O Reflexo da Crise nas IES
• Lobo: “A crise já encontrou as IES
em Crise”.
• Paradoxo? Revista:
– Matrículas – 1997 a 2007: de 1,3 para
3,8 milhões!
– Faturamento – 2002 a 2008: de 44
bilhões para 55 bilhões de R$
– Expansão, abertura de capital,
aquisições e fusões
Solano Portela – 27.04.2009
14
Análise da Conjuntura Econômico Financeira atual e suas Implicações nas
Instituições de Ensino Superior
2. O Reflexo da Crise nas IES
• Aumento da Concorrência.
• Crescimento já estava nivelado
em 4%.
• São Paulo: 41,5% das IES –
queda de matrículas em 2009.
• 22% de queda nas rematrículas.
• 27,6% de queda no número de
alunos
Solano Portela – 27.04.2009
15
Análise da Conjuntura Econômico Financeira atual e suas Implicações nas
Instituições de Ensino Superior
2. O Reflexo da Crise nas IES –
Duas consequências drásticas:
• O desemprego  causa
diminuição de alunos e o aumento
da inadimplência.
• A escassez monetária  agrava
a conseqüência anterior, perturba
a administração operacional,
subverte os planos estratégicos e
de melhoramentos da instituição.
Solano Portela – 27.04.2009
16
Análise da Conjuntura Econômico Financeira atual e suas Implicações nas
Instituições de Ensino Superior
2. O Reflexo da Crise nas IES – A
questão do desemprego:
• “no Brasil, os trabalhadores são
alunos, enquanto que o ideal seria
termos alunos que trabalham” –
Maria Soromenho
• “Nosso alunado é formado em sua
maioria de aluno-trabalhador; em
qualquer problema de desemprego,
dele ou de algum integrante da
família, ele desiste do curso
superior” – Hermes Figueiredo
Solano Portela – 27.04.2009
17
Análise da Conjuntura Econômico Financeira atual e suas Implicações nas
Instituições de Ensino Superior
2. O Reflexo da Crise nas IES – O
setor educacional e a economia:
• No Exterior – Anticíclico
• No Brasil – Procíclico
• Exemplos:
– Canadá
– Bélgica
• Mesmo assim, vejam como
anda a Universidade de Harvard:
Solano Portela – 27.04.2009
18
Análise da Conjuntura Econômico Financeira atual e suas Implicações nas
Instituições de Ensino Superior
2. O Reflexo da Crise nas IES –
Harvard:
A previsão é a de que o orçamento de todos os programas
sejam congelados. A maior unidade da universidade, a
Faculty of Arts and Sciences (FAS), pode vir a ter
prejuízos de US$ 5 bilhões. Planos para a construção de
um mega complexo de ciência em Allston, uma cidade
perto de Cambridge, onde fica a instituição, também estão
sendo reanalisados. O centro custaria US$ 1 bilhão e seria
inaugurado em 2011. O grande problema da mais
conceituada universidade do mundo é o declínio das
doações - de ex-alunos e empresas, principalmente - em
tempos de crise... Antes do choque na economia
americana, havia uma média de US$ 36 bilhões em
doações, mais de dez vezes o orçamento operacional
anual de Harvard, de US$3,5 bilhões.
“Até Tu Harvard” – OESP, 11.11.2008
Solano Portela – 27.04.2009
19
Análise da Conjuntura Econômico Financeira atual e suas Implicações nas
Instituições de Ensino Superior
2. O Reflexo da Crise nas IES –
Ainda o desemprego:
• IBGE – aumento de 32% de
desempregados – São Paulo, entre
dezembro 2008 e janeiro de 2009.
• FOLHA – 25.04.2009: “Desemprego é
Maior Entre Jovens e Escolarizados”.
“Em Porto Alegre, São Paulo, Rio, BH,
Salvador e Recife, o número de
desempregados superou os dois
milhões pela primeira vez, desde
setembro de 2007”.
Solano Portela – 27.04.2009
20
Análise da Conjuntura Econômico Financeira atual e suas Implicações nas
Instituições de Ensino Superior
3. O que fazer, perante a Crise?
• Goldberg: diferenciação
de preço por imagem, ou
competição por preço.
• Educação a Distância.
• Troca de mentes:
financeiro e acadêmico.
Solano Portela – 27.04.2009
21
Análise da Conjuntura Econômico Financeira atual e suas Implicações nas
Instituições de Ensino Superior
3. O que fazer, perante a Crise?
Oito conselhos da Revista Ensino Superior
1. Diagnóstico absolutamente claro da
situação.
2. Plano de emergência para os próximos
seis meses.
3. Gestão integrada e racional com obsessão
por custos (preservação do seu caixa).
4. Redesenhar o modelo de negócio. Novos
nichos para investir.
5. Flexibilização e integralização curricular.
6. Ver o aluno como cliente.
7. Postergar despesas.
8. Ser agressivo no posicionamento de
mercado.
Solano Portela – 27.04.2009
22
Análise da Conjuntura Econômico Financeira atual e suas Implicações nas
Instituições de Ensino Superior
3. O que fazer, perante a Crise?
Controlando a Inadimplência
• SEMESP – 17,3% no Estado de
São Paulo.
• Na capital, chega a 23,8%.
• Várias razões:
– Legislação draconiana
– “Infiéis nos contratos “
(Ro 1.31)
– Desemprego crescente.
Solano Portela – 27.04.2009
23
Inadimplência global acumulada:
5,00
%
4,01
3,93
3,86
4,00
3,36
3,00
2,00
1,00
0,00
2005
2006
2007
2008
Solano Portela – 27.04.2009
Inadimplência – Pontos Principais (1)
1. Planejar, priorizar.
2. Pontualidade.
3. Personalização dos contatos.
4. Preparo do ambiente.
5. Prestação de Serviço.
6. Processos.
7. Política.
8. Prevenir.
Solano Portela – 27.04.2009
25
Inadimplência – Pontos Principais (2)
9. Parcelamento.
10.Parcerias.
11.Papéis.
12.Penalidades.
13.Parte externa.
Prevenir
Cobrar
Negativar
Negociar
Transferir
Executar
Solano Portela – 27.04.2009
26
Y Inadimplência – Onde aplicar o esforço?
V
O
N
Q2
Q1
Muita vontade
Muita vontade
Pouca capacidade
Muita capacidade
Q4
Q3
Pouca vontade
Pouca vontade
Pouca capacidade
Muita capacidade
T
A
D
X
E
CAPACIDADE DE PAGAMENTO
Solano Portela – 27.04.2009
27
Análise da Conjuntura Econômico Financeira atual e suas Implicações nas
Instituições de Ensino Superior
4. Implicações da Crise às
Escolas Confessionais.
• O que nos diferencia?
• Questões afins da crise –
origens e efeitos –
responsabilidades éticoconfessionais.
• Palavras de uma Reitora:
Solano Portela – 27.04.2009
28
Análise da Conjuntura Econômico Financeira atual e suas Implicações nas
Instituições de Ensino Superior
4. Implicações da Crise às Escolas
Confessionais – Palavras de uma
Reitora:
• será que não falta maior ênfase na
ética de negócios, em nossos
currículos?
• “As instituições têm que assumir a
sua quota de ensinamento pela
vivência de valores que devem reger
uma sociedade de bem”.
Dra. Helena Nazaré (17.02.2009)
Solano Portela – 27.04.2009
29
Análise da Conjuntura Econômico Financeira atual e suas Implicações nas
Instituições de Ensino Superior
4. Implicações da Crise às Escolas
Confessionais – Pontos a
ponderar:
• A atitude dos que não temem a Deus – Gekko
(“Greed is Good”) e Warren Buffet (“Tenha
medo quando os outros forem gananciosos e
seja ganancioso quando os outros tiverem
medo”).
• Isaías 5.20-21: “Ai dos que ao mal chamam
bem e ao bem, mal; que fazem da escuridão luz
e da luz, escuridão; põem o amargo por doce e
o doce, por amargo! Ai dos que são sábios aos
seus próprios olhos e prudentes em seu
próprio conceito”.
Solano Portela – 27.04.2009
30
Análise da Conjuntura Econômico Financeira atual e suas Implicações nas
Instituições de Ensino Superior
4. Implicações da Crise às Escolas
Confessionais – Amplos ensinamentos
econômicos na Bíblia:
• Direito de Propriedade (Ex 20.15)
• Correção do ato de Investir (Mt 25.27 e Lc
19.23) e multiplicar os ativos.
• Utilização de Bancos (Mt 25.27 e Lc 19.23).
• Princípios inexoráveis de causa e efeito (Dt
28.15) – entrelaçam moralidade, ética e justiça
com economia.
• Reconhecimento que o problema está no ser
humano! E é ele que está sob nossos cuidados.
Solano Portela – 27.04.2009
31
Obrigado!
• solano@mackenzie.com.br
• solano@terra.com.br
• www.solanoportela.net
• tempora-mores.blogspot.com
Solano Portela – ABIEE – 27.04.2009
32
Saiba os Custos – Uma lição
simples: A construção da Torre:
Lucas 14.28-30 – contando os custos:
“Pois qual de vós, pretendendo construir uma torre,
não se assenta primeiro para calcular a despesa
e verificar se tem os meios para a concluir?
Para não suceder que, tendo lançado os alicerces e
não a podendo acabar, todos os que a virem
zombem dele, dizendo: Este homem começou a
construir e não pôde acabar”.
Veja Também, vs. 31-33 – o rei que sai à guerra
deve planejar todos os aspectos e sua estratégia
– mesmo sendo mais fraco, pode sair-se bem.
33
Download

A Crise e as IES Confessionais - Anep