Trabalho de Filosofia
- 2º Bimestre de 2011
- Homem como animal
político
Nomes : - Maiara nº 30
- Rafaela nº 35
- Thaina nº 41
- Gabriel nº 20
- Murillo nº 33
- 3º C
Introdução :
O ser humano em sua própria natureza seria incapaz de sobreviver isolado
dos outros, o que gera a necessidade de constituir associações e o próprio
Estado comum a todos. Aristóteles em seu estudo sobre a política
humana, além de observar as cidades-estados gregas, buscou elaborar
um estudo sobre uma ordem natural organizacional do homem.
O universo seria regido por leis eternas e imutáveis, da mesma forma o
Estado, mesmo dependendo dos atos humanos, seria regido por uma
constituição que expressaria a própria natureza do Estado. Nos textos de
Aristóteles, o conjunto ou associação formada por vários povoados resulta
numa cidade perfeita com todos os meios para se auto abastecer , com o
objetivo de oferecer bem-estar a todos.
Aristóteles escreveu : “É por isso que podemos dizer que toda cidade é um
fato da natureza, visto que foi a natureza que formou as primeiras
associações; porque a cidade, ou sociedade civil, é o fim dessas
associações. Ora, a natureza dos seres está em seu fim; porque o estado
em que cada ser vem a encontrar-se, desde o momento de seu
nascimento e até o seu perfeito desenvolvimentos.
É evidente, pois, que a cidade é por natureza anterior ao indivíduo,
porque, se o indivíduo separado não se basta a si mesmo, será
semelhante às demais partes com relação ao todo.”
Quando Aristóteles proclama que o homem é por
natureza um animal político (anthropos physei politikon
zoon), diz que a exigência da perfeição, a procura do
bem melhor, a tendência para a realização daquilo que
é o seu bem o impelem para a polis. Não diz que o
homem se une na polis por um bem menor, como
aquele que o leva à constituição da família, em nome
da satisfação das necessidades vitais. Não diz apenas
que o homem é um animal social, um animal que
tende para a constituição de comunidades em geral,
porque nem todas as comunidades são políticas. Diz
que um determinado bem, o impele para uma certa
espécie de comunidade, a polis. E que esse
determinado bem é, precisamente, o bem melhor. O
bem que, por natureza, lhe exige, não apenas que
viva, mas que viva bem. O homem é um animal
político, um animal da polis, um animal que tem
tendência para constituir uma polis, que é a mais
perfeita das comunidades e não uma qualquer
sociedade. Ele podia ser um animal meramente social
ou meramente familiar, sem ser um animal político. E
por ser animal político, não deixa de ser um animal
social e familiar, onde, além da base social, há a
inevitável raiz animal.
Alunos como cidadãos de indaiatuba
Os alunos como todas as pessoas do mundo tem
seu lado animal político, mas
nem todos o entender . Esse lado tem de
demonstrar algo certo, algo de direito
comum como uma obrigação e com isso acaba
modificando o modo da pessoa
ver aquilo e ate o local onde tem que se realizar
essa “obrigação”.
- Como um cidadão de indaiatuba.
Estudo :
Hoje em indaiatuba e não só apenas nela existe esse lado animal
político nos estudos. Pois isso para os alunos parece como uma
obrigação e acaba ficando “chato” para eles.
As vezes essa chatice acaba passando para as entidades
educacionais como Dom josé, Fiec e etc e até para os professores
que fazem parte dela ( mas na verdade o que eles querem e
apenas que os alunos aprendam para ter um futuro melhor).
Trabalho :
No trabalho os alunos que necessitam ou
querem trabalhar tambem tem seu
lado animal político pois acabam
transformando o trabalho em algo
extremamente extressante, e esse extresse
acaba gerando uma raiva dentro
dela pois ter que aturar seu chefe todo dia o
deixa nervoso, alem das pessoas
que com ela trabalham pode aver intrigas e
conflitos. E depois que a pessoa para
de trabalhar naquele local não quer ver ele nunca
mais. Mas enquanto a pessoa
Pessoa trabalha nesse local as vezes não exerce
seus direitos e faz tudo o que o
chefe manda e ate os outros empregados de vez
enquanto acbam se
aproveitanto da situação acabam se aproveitando
da situação. E logicamente um
aluno não ira trabalhar em fabricas e sim em
pequenas mercearias, mercados e
etc.
Lazer :
Os locais de lazer tambem são locais onde os alunos mostram um pouco do seu
lado animal político. Pois e lá onde se divertem, esquecem os problemas e
socializam com seu amigos, as vezes esses alunos acabam perdendo a linha e
esquecem os bons modos e éticas. E acabam passando por cima dos direitos da
pessoa ou do amigo ao lado. Ate os locais que eles vão acabam tirando o direito
deles de ter que esperar muito tempo na fila, comprar algo e não receber.
Socialização :
Todos os locais passados anteriormente são locais onde os alunos tem
encontro com outras pessoas, e como já foi dito esses alunos podem ter seus
direitos negados. E eles tem que exigir seus direitos e pra isso que existe a
política e não ser um animal político com as coisas e nem com as pessoas
que estão em volta pois todos tem que respeitar os direitos de todos, não
importa quem sejam, como são e se você não gosta do outro. È para isso que
existe os direitos .
Referências Bibliograficas :
http://purareflexao.blogspot.com/2010/11/homem-o-animal-politico.html
http://www.infoescola.com/filosofia/homem-animal-politico/
http://fisolofar.blogspot.com/2009/09/o-homem-como-um-animalpolitico.html
Download

Slide 1