«Da mihi animas, cetera tolle»
Atinjamos a experiência espiritual de Dom Bosco,
para caminhar na santidade
segundo a nossa específica vocação
«A glória de Deus e a salvação das almas»
Na base de tudo, qual fonte de fecundidade da sua ação e da sua
atualidade, existe qualquer coisa que quase sempre foge também a
nós, seus filhos e filhas: a profunda vida interior, aquela que se
poderia chamar a sua “familiaridade” com Deus. Quem sabe que
não seja próprio isto o melhor que dele temos para poder invocá-lo,
imitar, seguir para encontrar o Cristo e fazê-lo encontrar ao jovens.
Conhecer a vida de Dom Bosco
e a sua pedagogia não significa
ainda compreender o segredo
mais profundo e a razão última da
sua surprendente atualidade. Não
basta conhecer os aspectos da
vida de Dom Bosco, das suas
atividades e também do seu
método educativo.
O santo é o homem no qual o natural ultrapassa o sobrenaral e o
sobrenatural é presente em Dom Bosco em medida notável.
Para nós não existem dúvidas: o verdadeiro santo da Itália moderna
é
Dom Bosco.
Cada cristão, na concretude da sua situação, é chamado a encarnar
de modo próprio a universal figura de Jesus, sem obviamente
desgastá-la. Os santos oferecem um caminho concreto e válido em
direção a esta identificação com o Senhor Jesus.
A espiritualidade é um modo caraterístico de sentir a santidade
cristã e de tender a essa; é a vivência cristã, uma ação conjunta
com Deus que pressupõe a fé.
A espiritualidade salesiana consiste em vários elementos: é um
estilo de vida, oração, trabalho, relações interpessoais; uma forma
de vida comunitária; uma missão educativa pastoral sobre a base
de um patrimônio pedagógico; uma metodologia formativa; um
insieme de valores e atitudes caraterísticas; uma peculiar atenção
à Igreja e a sociedade.
O ponto de partida da experiência espiritual de Dom Bosco é “a
glória de Deus e a salvação das almas”; isto foi formulado por ele
no seu programa de vida “da mihi animas, caetera tolle”.
Para atualizar a espiritualidade salesiana devemos re-partir de
Dom Bosco, da sua experiência espiritual e do sistema preventivo.
Os jovens tem necessidade de “testemunhas. Nos querem
“homens espirituais", homens de fé, sensíveis as coisas de Deus e
prontos a obediência religiosa na procura do melhor. Não é a
novidade que nos torna livres, mas a verdade; a verdade não pode
ser moda, superficialidade, improvisação: «veritas liberabit vos».
Uma expressão de São Francisco de Sales diz: “A pessoa é a
perfeição do universo; o amor é a perfeição da pessoa;
a caridade e a perfeição do amor”. É uma visão universal que
coloca em escala ascendente quatro modos de existir: o ser, o ser
pessoa, o amor como forma superior a qualquar outra expressão, a
caridade como expressão máxima do amor.
A chama da caridade em nós é um mistério e uma graça; não
provém da iniciativa humana, mas é participação na vida divina e
efeito da presença do Espírito. Não poderíamos amar Deus se Ele
não nos tivesse amado por primeiro, fazendo-nos sentir e dandonos o gosto e o desejo, a inteligência e a vontade, para
corresponder-vos. Não poderíamos nem mesmo amar o próximo e
ver neste a imagem de Deus, se não tivéssemos a experiência
pessoal do amor de Deus.
O elemento típico da caridade pastoral é o anúncio do Evangelho, A
educação à fé, a formação da comunidade cristã, a fermentação
evangélica do ambiente.
Se é verdade que a espiritualidade cristã tem elementos comuns e
válidos para todas as vocações, é pura verdade que essa é vivida
com diferenças peculiares e específicas segundo o próprio estado
de vida: o ministério presbiteral, a vida consagrada, os fiéis leigos,
a família, os jovens, os anciãos, … tem seu modo típico de viver a
experiência espiritual. O mesmo vale para a espiritualidade
salesiana.
Comunicar a espiritualidade salesiana aos leigos
corresponsáveis conosco na ação educativa pastoral se torna um
empenho fundamental.
Empenhemo-nos a aprofundar qual foi a experiência espiritual de
Dom Bosco, o seu perfil espiritual, para descobrir o “Dom Bosco
místico”; poderemos assim imitá-lo, vivendo uma experiência
espiritual com identidade carismática.
Vivamos o centro e a síntese da Espiritualidade salesiana,
que é a caridade pastoral. Essa foi vivida por Dom Bosco como
busca da “glória de Deus e salvação das almas” e se é feita para ele
oração e programa de vida no “da mihi animas, caetera tolle”.
A espiritualidade salesiana tem necessidade de ser vivida segundo
a vocação que cada um recebeu de Deus.
Ofereçamos aos jovens que acompanhamos a espiritualidade
juvenil salesiana. Proponhamos a espiritualidade salesiana aos
leigos comprometidos a partilhar a missão de Dom Bosco.
Com atenção a pastoral familiar, indicamos às famílias uma
espiritualidade adaptada a sua condição.
Em fim convidamos a fazer experiência espiritual também jovens,
leigos e famílias das nossas comunidades educativas pastorais ou
dos nossos grupos e associações que pertencem a outras religiões
ou que se encontram em situações de indiferença diante de Deus;
A todos é possível a experiência espiritual como espaço para a
interioridade, o silêncio, o diálogo com a própria consciência, a
abertura ao trascendente.
Sr. Alba Vernazza fma