As Epístolas
aos Coríntios
Estudo 12
“Falsos apóstolos,
obreiros fraudulentos”
Texto bíblico – 2Co 11
(Texto áureo – 2Co 11.13)
”Pois os tais são falsos
apóstolos, obreiros
fraudulentos, disfarçando-se
em apóstolos de Cristo”.
Depois de ter exortado os
As Epístolas aos
coríntios sobre o espírito liberal
Coríntios
que deve ser comum aos
Introdução (I)
crentes, e sobre a boa vontade
que devem ter para ajudar aos
necessitados, Paulo fez uma
pequena menção sobre a pureza
do ministério apostólico que
defendia encerrando assim o
capítulo 10 que estudamos no
domingo passado.
Como o problema já era grave
naquela época, Paulo resolve
escrever um capítulo mais sobre
o assunto.
As Epístolas aos Coríntios
Introdução (II)
Neste capítulo 11 ele vai
expor o assunto com mais
objetividade, falando
sobre a pureza do
ministério apostólico.
Ressalta então a diferença que a igreja
deveria sempre buscar perceber entre os
verdadeiros obreiros de Cristo e os
obreiros fraudulentos que já naquela época
se insinuavam por entre os crentes.
Introdução (III)
O assunto é tão grave
que o autor no início da
lição, cita em seu
comentário inicial: .
”Toda espécie de
superstições tem
grassado em nossos
arraiais. Esse instinto
natural do ser humano
de, literalmente,
‘pegar na fé’, tem
feito surgir grupos
que tentam satisfazer
tal desejo e, com
isso, têm contribuído
para matar o genuíno
conceito de fé
evangélica ou bíblica”
As Epístolas aos Coríntios
Introdução (IV)
Vamos fazer uma divisão
do texto, de forma
que possamos abordar os
aspectos principais nele
contidos:
1) A astúcia dos falsos apóstolos (11.1-4)
2) A comparação necessária (11.5-10)
3) O disfarce que assumem (11.11-15)
4) A igreja que se submete (11.16-21)
5) A diferença que deviam ver (11.22-28)
6) Provando seu bom apostolado (11.29-33)
Vamos abrir as nossas Bíblias
nesse capítulo 11 da Carta e
acompanhar com a leitura atenta
os ensinamentos do apóstolo:
(Os textos estarão
indicados de forma
reduzida na tela.
Os alunos que irão
lê-los, deverão
fazê-lo de forma
completa nas suas
Bíblias).
1. Oxalá me suportásseis um pouco 1) A astúcia dos falsos
apóstolos (11.1-4)
na minha insensatez! Sim, suportaime ainda. 2. Porque estou zeloso de
vós com zelo de Deus; pois vos
Nem todos são
desposei com um só Esposo, Cris- intencionalmente falsos.
to, para vos apresentar a ele como
Muitos deles não têm
virgem pura. 3. Mas temo que, assequer a noção de que
sim como a serpente enganou a Eva estão errados. Julgam-se
com a sua astúcia, assim também
predestinados.
sejam de alguma sorte corrompidos
Outros, no entanto, são
os vossos entendimentos e se apartem da simplicidade e da pureza “aproveitadores” da boa
que há em Cristo. 4. Porque, se al- fé pública. Se valem de
recursos insidiosos:
guém vem e vos prega outro Jesus
prosperidade… doutrina
que nós não temos pregado, ou se
recebeis outro espírito que não refalsa… exploram o
cebestes, ou outro evangelho que
emocionalismo… No
não abraçastes, de boa mente o passado como hoje, eles
suportais!
estão aí!
2) A comparação
necessária (8.5-10);
Paulo vai fazer então a
comparação entre o
falso e o verdadeiro
apóstolo do Evangelho.
A maior prova de sua
dedicação. A paga pelo
ministério vivido. Sua
lição para o ministério
hoje: não ser pesado à
igreja. Os tempos
mudaram e o obreiro do
Evangelho é remunerado
como qualquer outro
trabalhador. Qual a
justa remuneração?
5. Ora, julgo que em nada tenho sido
inferior aos mais excelentes apóstolos.
6. Pois ainda que seja rude na palavra,
não o sou contudo na ciência; antes,
por todos os modos, isto vos temos
demonstrado em tudo. 7. Pequei porventura, humilhando-me a mim mesmo,
para que vós fôsseis exaltados, porque
de graça vos anunciei o evangelho de
Deus? 8. Outras igrejas despojei, recebendo delas salário, para vos servir; 9.
e quando estava presente convosco, e
tinha necessidade, a ninguém fui pesado; porque os irmãos, quando vieram
da Macedônia, supriram a minha necessidade; e em tudo me guardei, e ainda
me guardarei, de vos ser pesado. 10.
Como a verdade de Cristo está em mim,
não me será tirada esta glória nas
regiões da Acaia.
3) O disfarce que
assumem (11.11-15)
11. Por quê? Será porque não vos
amo? Deus o sabe.
12. Ora, o que faço e ainda farei, é O apóstolo vai abordar
para cortar ocasião aos que buscam então uma das maiores
ocasião; a fim de que, naquilo em técnicas utilizadas por
que se gloriam, sejam achados astais “apóstolos”:
sim como nós.
13. Pois os tais são falsos O disfarce que adotam
apóstolos, obreiros fraudulentos, fingindo-se de “anjos de
disfarçando-se em apóstolos de luz”, quando na verdade
são “obreiros
Cristo.
14. E não é de admirar, porquanto o fraudulentos”. Nos dias
próprio Satanás se disfarça em anjo
de hoje, alguns deles
de luz.
têm caído nas malhas da
15. Não é muito, pois, que também
justiça. Alguns por
os seus ministros se disfarcem em
ignorância (Os 3.1),
ministros da justiça; o fim dos quais
outros por má intenção
será conforme as suas obras.
mesmo (proveito próprio)
4) A igreja que se
submete (11.16-21)
16. Outra vez digo: ninguém me
julgue insensato; mas se assim
pensais, recebei-me como insensato
Muitas vezes a igreja se mesmo, para que eu também me
deixa envolver por tais glorie um pouco. 17. O que digo, não
mensagens. Submete-se o digo segundo o Senhor, mas como
por insensatez, nesta confiança de
ao seu líder, mesmo
gloriar-me. 18. Desde que muitos se
quando ele dá provas de gloriam segundo a carne, eu também
que não é um obreiro
me gloriarei. 19. Porque, sendo vós
verdadeiro. Outros fins sensatos, de boa mente tolerais os
o atraem e a liderança insensatos. 20. Pois se alguém vos
da igreja não percebe escraviza, se alguém vos devora, se
isto, permitindo que o alguém vos defrauda, se alguém se
ensoberbece, se alguém vos fere no
púlpito se preste para o rosto, vós o suportais. 21. Falo com
enaltecimento e
vergonha, como se nós fôssemos
vanglória de alguém que fracos; mas naquilo em que alguém
se faz ousado, com insensatez falo,
não é digno do
também eu sou ousado.
ministério.
22. São hebreus? Também eu; são
israelitas? Também eu; descendência de
Abraão? também eu; 23. são ministros de
Cristo? falo como fora de mim, eu ainda
mais; em trabalhos muito mais; em prisões
muito mais; em açoites sem medida; em
perigo de morte muitas vezes; 24. dos
judeus cinco vezes recebi quarenta açoites
menos um. 25. Três vezes fui açoitado com
varas, uma vez fui apedrejado, três vezes
sofri naufrágio, uma noite e um dia passei
no abismo; 26. em viagens muitas vezes, em
perigos de rios, em perigos de salteadores,
em perigos dos da minha raça, em perigos
dos gentios, em perigos na cidade, em
perigos no deserto, em perigos no mar, em
perigos entre falsos irmãos; 27. em
trabalhos e fadiga, em vigílias muitas vezes,
em fome e sede, em jejuns muitas vezes, em
frio e nudez. 28. Além dessas coisas
exteriores, há o que diariamente pesa sobre
mim, o cuidado de todas as igrejas.
5. A diferença que
deviam ver (11.22-28)
No entanto, há uma
diferença gritante entre
o verdadeiro e o falso
obreiro de Cristo. Paulo
apresenta o perfil do
obreiro que se dá pelo
rebanho. O próprio caso
dele. Enquanto o falso
obreiro quer tirar o
melhor proveito do
rebanho que a ele se
submete. Nos dias de
hoje, situações assim
são exploradas pela
mídia contrária ao
Evangelho
4) Provando o seu bom
apostolado (11.29-33) 29. Quem enfraquece, que eu
também não enfraqueça? Quem
se escandaliza, que eu me não
Infelizmente, muitas
vezes o obreiro tem que abrase? 30. Se é preciso gloriarenaltecer seus méritos, me, gloriar-me-ei no que diz
respeito à minha fraqueza. 31. O
pois a igreja não os
reconhece. É isto que Deus e Pai do Senhor Jesus, que
é eternamente bendito, sabe que
Paulo está fazendo,
embora não o quisesse. não minto. 32. Em Damasco, o
que governava sob o rei Aretas
Nos dias de hoje,
muitas vezes, olhamos o guardava a cidade dos damasministério pastoral como cenos, para me prender; 33. mas
por uma janela desceram-me
uma obrigação do
ministro, pois afinal de num cesto, muralha abaixo; e
assim escapei das suas mãos.
contas, a igreja paga
para isto.
Conclusão (I)
Neste domingo, diante dos
ensinos do apóstolo,
devemos olhar para o
ministério de nossa igreja:
Será que estamos
reconhecendo o seu trabalho
como deveríamos?
Você ora por seu pastor?
Pelo ministério dele?
Pela família dele?
Conclusão (II)
Como você vê os
ministérios dos obreiros
“evangélicos” da TV!
Você os vê como
sinceros e fiéis?... Ou
como interesseiros e
aproveitadores da fé
alheia?...
Você sabe de alguém que
se converteu como fruto
desses ministérios e
mudou radicalmente a
sua vida?
Para refletir:
Vamos aproveitar o estudo de
hoje a fim de orar por nossos
pastores, no objetivo de que
eles sejam mais e mais,
obreiros verdadeiros dentro de
uma igreja de Cristo!
Quais os cuidados que você como
crente de uma igreja de Cristo
deve tomar quando nota que a
liderança dela está se desviando
da doutrina ou da eclesiologia que
você entende como própria de sua
denominação
Download

clique aqui para usar a lição