Arnaldo Vaz Jr.
308278
A “Roda” da Inovação
Meio Inovador
Interno
Pessoas
Liderança
e
Estratégia
Resultados da
Organização
Processo de
Inovação
Há 100 anos,
As empresas não precisavam de dezenas de pessoas criativas. Contar com
um só supertalento, que tivesse imaginação e espírito empreendedor, era
suficiente para determinar o destino de um negócio.
• A Ford virou uma potência graças ao gênio inventivo de seu
fundador, Henry Ford.
• A General Electric seguiu caminho semelhante com base nas
invenções de Thomas Edison.
• Disney é o que é hoje graças a visão e determinação de Walt
Disney
Um caso de sucesso
A Pixar é a síntese de um novo ambiente de trabalho, movido a inovação,
colaboração e competição na medida certa, empreendedorismo e tecnologia.
“O que fazemos aqui é investir em gente e pesquisa. Ah! E trabalhamos
loucamente também” John Lasseter, fundador da Pixar e atual diretor dos
Estúdios Disney e Pixar
Ao infinito e além ( 25anos )
1986 - Steve Jobs comprou a Pixar por 10 milhões de
dólares
1990 - A Pixar inicia o uso do software RenderMan, que
transformou a animação digital no que ela é hoje
1995 - A Pixar abre o capital e levanta 140 milhões de
dólares na bolsa de Nova York. No mesmo ano, lança Toy
Story, o primeiro desenho animado 100% digital
2006 - A Disney adquiriu a companhia por 7,4 bilhões de
dólares
Uma valorização de incríveis 71 900% (1)
(1) Não contabilizada a inflação do período
Mais do que um personagem ou uma inovação...
1937
1995
A Branca de Neve e os Sete Anões
Pioneiro entre os longa-metragens
de animação
Toy Story
Primeiro desenho feito totalmente
em computação gráfica
• Ambos desenvolveram personagens com o poder de atravessar décadas.
• Não se trata, no entanto, do simples uso de computadores.
• O mais importante é o que se vai fazer com eles.
“Nem toda a tecnologia do mundo poderia entreter as
pessoas. O mais importante sempre será a história e seus
personagens”, diz Lasseter
bi
bi
Inovação disruptiva
•Tecnológica
Software RenderMan
•Produtos
História e personagens dos filmes
•Meio ambiente interno
Preocupação com o bem estar da equipe
Inovação incremental
•Tecnológica
Atualizações do software
•Produtos
Extensões de linha – continuação dos
filmes – do ponto de vista do cliente
Tecnicamente, a Pixar ainda tem alguma vantagem sobre as concorrentes. Seus
softwares são capazes de um efeito que faz com que qualquer objeto pareça de
verdade. Mas essa tecnologia é praticamente imperceptível aos olhos dos
espectadores comuns.
A principal distinção está na capacidade que a empresa adquiriu
de lançar, sucesso após sucesso, filmes que arrebatam
multidões e geram bilhões de dólares em faturamento - uma
condição perseguida por qualquer companhia, de qualquer
setor.
“Na Pixar, ninguém é melhor do que ninguém...”
idependente do cargo ou tamanho da sala
“Eu amo e encorajo a colaboração, gosto de ouvir
as ideias dos mais jovens.”
“Somos o que somos porque todos dentro da
empresa sabem o que fazemos aqui.”
“Fazer as pessoas sentirem que somos mais que
apenas um trabalho cria um grande senso de
participação e orgulho.”
John Lasseter
“Cada funcionário precisa se sentir dono desta
companhia.
É isso que garante comprometimento e uma
intensa busca pela qualidade.”
John Lasseter
Funcionamento do motor da Pixar
Necessidades do departamento de arte estão à frente das decisões comerciais
Prazos mais elásticos
Pixar: um filme a cada 18 meses
Concorrentes: um por ano
A forma de produção também é menos hierarquizada
Cultura colaborativa "todos aqui dentro são artistas", na qual os funcionários
palpitam com liberdade e são publicamente avaliados por seus superiores.
Pixar (conjunção fonética das palavras "pixel" e "arte")
Funcionamento do motor da Pixar
O dia na Pixar começa sempre com a revisão do trabalho do dia anterior.
Nessas sessões coletivas, cada passo trilhado é intensamente criticado pelos
diretores, na frente de toda a equipe.
Os próprios diretores dos filmes também se submetem a uma espécie de "conselho"
composto de seus pares.
"Às vezes é doloroso, mas funciona."
Brad Bird, diretor de Ratatouille e uma das estrelas da Pixar.
Como oferecer condições para que a equipe se sentisse responsável
pelo resultado dos filmes e da empresa?
• Política de remuneração diferente praticada pelos demais estúdios.
• O salário fixo dos funcionários da Pixar é cerca de 10% menor que o da
indústria como um todo.
• O que faz com que eles ganhem mais que seus pares, cerca de 300.000
dólares por ano no caso de um técnico em animação, é o desempenho de cada
um aliado à performance do desenho.
• Todos os integrantes do time de técnicos ou de animadores têm metas
individuais estipuladas pelos diretores.
• Se cumprirem o que estava acertado e o filme se sair bem nas bilheterias,
ganham opções de ações e bônus atrelados a essas conquistas.
• Um diretor chega a receber até 3 milhões de dólares por ano só com as
bonificações. A conseqüência dessa política de distribuição de lucros, em que
cerca de 60% do salário vem do variável, é que todos ficam comprometidos
com o trabalho.
• Na Pixar, é comum a jornada se encerrar de madrugada e o fim de semana
tornar-se tão animado quanto uma segunda-feira.
"Eles podem ter aula de ioga ou sair para levar as crianças à escola. Isso não
importa. O que nós queremos é que eles se sintam donos do filme e desta
empresa", diz Lasseter. "É isso que provoca uma intensa busca pela qualidade."
Alguns números
Procurando Nemo, Monstros S.A., Os Incríveis e Toy Story 3 já arrastaram
aos cinemas mais de 500 milhões de pessoas — e renderam aos criadores do
Mickey Mouse 6,5 bilhões de dólares.
A franquia Carros continua faturando cerca de 2 bilhões de dólares por ano
mesmo depois de terem saído de cartaz. A Disney lança produtos novos até
hoje (foram 600 brinquedos no total).
Desde 2006, quando o primeiro Carros foi lançado, a animação já faturou 10
bilhões de dólares entre venda de ingressos e produtos licenciados — a
expectativa agora é que a continuação renda pelo menos outros 15 bilhões.
Para efeito de comparação, o filme Alice no País das Maravilhas arrastou
multidões ao cinema em 2010, mas rendeu à Disney apenas 190 milhões de
dólares em licenciamento.
Na esperança de garantir o sucesso dos próximos
filmes, a Disney vai dedicar neste ano 80% de sua verba
cinematográfica para produzir continuações, ante 60%
no ano passado.
Recapitulando.....
1. Bom desempenho é conseqüência do que talvez seja a característica
mais visível – e valorizada – da empresa: a criatividade;
2. A empresa estimula a colaboração criativa de todos os funcionários em
seus projetos por meio do estímulo à comunicação;
3. Esse ambiente pressupõe muitas vezes passar por cima do chefe;
4. Decisões tomadas de uma forma participativa;
5. O engajamento completo só ocorre com uma mentalidade de
acionista praticada pelos funcionários.
“É preciso perceber que a hierarquia de tomada de
decisões e a estrutura de comunicação são duas
coisas
diferentes.
Funcionários
de
qualquer
departamento devem ser capazes de abordar alguém de
outro departamento para resolver problemas sem ter de
passar pelos canais competentes.”
Ed Catmull - cofundador e presidente da Pixar (em
depoimento no livro Nos Bastidores da Pixar
Referências
http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/60159_O+HOMEM+QUE+SALVOU+A+DISNEY
http://exame.abril.com.br/revista-exame/edicoes/0907/noticias/voila-eis-a-receita-da-criatividade-m0144520
http://exame.abril.com.br/revista-exame/edicoes/0996/noticias/velozes-ebilionarios?page=2&slug_name=velozes-e-bilionarios
http://colunas.epocanegocios.globo.com/carreira/2010/08/02/quer-trabalhar-no-playground-da-pixar/
Nos Bastidores da Pixar – Lições do playground corporativo mais criativo do mundo
(Bill Capodagli e Lynn Jackson, Editora Saraiva, 2010)
Download

Tarefa_Aula_4_Arnaldo_Pixar - inovorg2011-2