Febre do Chikungunya
Epidemiologia
• O Chikungunya é um vírus enzoótico, encontrado em regiões
tropicais e subtropicais da África, nas ilhas do Oceano Índico, no
Sul e Sudeste da Ásia.
• Foi isolado pela primeira vez na Tanzânia em 1952.
•Seu nome significa “andar encurvado”.
Epidemiologia
• O vírus Chikungunya – CHIKV, é um arbovírus - RNA,
pertencente ao gênero Alphavírus, da família Togaviridae.
•Primeiros casos humanos compatíveis em 1770.
•Primeiro isolamento de soro humano em 1952-53 – Epidemia na
Tanzânia - outros surtos: África e Ásia (pequenas comunidades
rurais); Ásia, 1960 - grandes surtos urbanos: Bangkok e Tailândia
e Índia, décadas 60-70 (Calcutá e Vellore)
Epidemiologia
•Vetores: Ae. Aegypti e Ae. Albopictus
•Reservatórios: durante surtos e epidemias, humanos são a
principal fonte de infecção. Em períodos interepidêmicos, outros
vertebrados como primatas não humanos, roedores, pássaros e
outros pequenos mamíferos.
•Período de incubação: Intrínseco de 1-12 dias (3-7), e extrínseco
de 10 dias em média.
• Suscetibilidade e imunidade: universal e duradoura
Distribuição Geográfica
Chikungunya, 2005-2011, mais de dois milhões de casos
Epidemias recentes
• Taxas de ataque: 38 a 63%;
• Ásia: áreas com 766 mil habitante: 47.000 casos em 1 semana;
• Grandes surtos com impacto na saúde pública são descritos a
partir do ano 2000, na República Democrática do Congo;
• Maio de 2005, 215.000 de 341.000 residentes de Grande Comore;
• 2005: tem início um surto nas Ilhas Reunion. Até abril de 2006,
244.000 casos foram registrados.
Distribuição Geográfica
Américas
Região das
Américas
• Primeiro
caso no final de
novembro de 2013;
• Cepa Asiática
The distribution of reported cases of chikungunya infection is updated weekly on PAHO/WHO’s Chikungunya website available at:
ttp://www.paho.org/chikungunya
Distribuição Geográfica - Américas
Casos Importados Brasil
UF de Notificação
Casos notificados (38)
Positivos (26)
Negativos (12)
AM
1
0
1
AP
1
0
1
CE
1
1
0
DF
2
2
0
GO
2
1
1
MA
1
1
0
PA
1
0
1
PR
2
2
0
RJ
5
3
2
RN
3
0
3
RS
2
2
0
SP
17
14
3
Fonte: CGPNCD/SVS-MS. Atualizado em 25/07/2014. sujeito à alterações.
Bahia 2014
355 casos suspeitos de Chikungunya:
306 casos em Feira de Santana
04 casos em Salvador
40 casos em Riachão do Jacuípe
01 caso em Lauro de Freitas
01 caso em Juazeiro
01 caso em Itabuna
01 caso em Rio Real
01 caso em Ilhéus
Vetor
Delatte et al., Parasite 2008;15:3-13
Vetor
2011
1996
Não Infestado
Infestado
1.753
municípios
4.318 municípios
Dispersão do Aedes aegypti para todas regiões do Brasil
Source: SES
Manifestações clínicas
• A infecção é muito semelhante à infecção pelo vírus da dengue;
• A incubação varia de 1 a 12 dias, com média de 4-7 dias;
• A viremia pode persistir por até 10 dias;
• Nem todos os indivíduos infectados com o vírus desenvolvem
sintomas. Analises sorológicas indicam que 3% a 28% das pessoas
com anticorpos antiCHIKV apresentam infecção assintomática.
MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS DO CHIKUNGUNYA
2 a 8 semanas.
Fase febril < 7
dias.
•
•
•
•
Comum.
Complicada.
Grave.
Mãe-filho.
Fase de
recuperação.
• Erupção.
• Melhora
progressiva.
Fase crônica.
• Lesões
articulares.
• Persistente.
• Recidivante.
Manifestações clínicas
•A febre tem início súbito, é alta, associada a poliartralgia /
artralgia intensa. Pode ocorrer mialgia, cefaleia e exantema;
• Pode cursar 3 fases clínicas distintas: fase aguda, subaguda e
crônica.
Febre
O paciente recorda a hora de início da febre;
Pode haver um único pico ou ser bifásica;
Poliartralgia
É a principal característica de infecção pelo vírus;
É um sintoma debilitante;
Usualmente simétrica e compromete mais de uma articulação;
O edema é comum, mas não há outros sinais de inflamação;
Pode persistir por meses ou anos;
Fase Aguda
Simon et al. Medicine, 86 (3), May 2007
Fase Aguda
After a 4-day anti-inflammatory treatment
Simon et al. Medicine, 86 (3), May 2007
Crianças
Ernould S et al. Arch Ped 2008;15:253-62
Diagnóstico Diferencial – Fase Aguda
CHIKUNGUNYA FEVER
Acute polyarthritis
Tenosynovitis
DENGUE
FEVER
Rash
Bleedings
Fever
Myalgia
MALARIA
Retro-orbital pain
Transient arterial hypotension
Anemia
Jaundice
Renal failure
Myalgia
Myocarditis
ADRS
LEPTOSPIROSIS
Adapted from Simon et al, Schwartz, Infections in travelers, Ed 2009
BACTERIAL
SEPSIS
Fase crônica
•Sintomas persistem após 3 meses;
•Artralgia inflamatória nas mesmas articulações afetadas durante a fase
aguda;
•Pode desenvolver artropatia / artrite (artrite reumatóide);
•Fatiga;
•Depressão;
Simon F et coll. Medicine 2007;86: 123-37
T
R
A
T
A
M
E
N
T
O
Diagnóstico Laboratorial
PCR
•
Coletar até do primeiro
o
ao oitavo dia de início de
sintomas;
Sorologia
•
Coletar a partir do
o
primeiro dia de início de
sintomas.
Amostras negativas na 1ª
•
coleta: coletar nova amostra
a partir do 14º dia de início
de sintomas.
Parola P, et al. Emerg Infect Dis 2006; 12:1493-9
Controle
Ações de vigilância entomológica;
•
Atividades recomendadas para prevenção e controle do vetor;
•
Mobilização e comunicação social;
•
Oportunidade no desenvolvimento das ações – integração dos
•
serviços: atenção / vigilância;
Caso importado  evento inusitado.
•
Até o momento não existe vacina!
•
Atividades preparatórias
Atividades preparatórias
Notificação
http://dtr2004.saude.gov.br/sinanweb/
novo/Documentos/SinanNet/fichas/Fich
a_conclusao.pdf
Atividades preparatórias
Notificação de casos:
• Portaria MS 1271 de 06 de junho de 2014;
Comunicação em 24 horas;
Disque notifica 0800-644-6645 – plantão 24 horas
E-mail: notifica@saude.gov.br
dengue@saude.gov.br
BAHIA: CEVESP (71) 9994-1088 ou para
divep.cevesp@saude.ba.gov.br & GT- Dengue/ Chikv DIVEP - gerenciadengue@gmail.com
Atividades preparatórias
http://portalsaude.saude.gov.br/images/pdf/2
014/julho/24/af-plano-contingenciachikungunya-anexos-b.pdf
OBRIGADA!
Download

Apresentação padrão chikungunya