SOCIEDADE DE SÃO VICENTE DE PAULO
ESPIRITUALIDADE
VICENTINA
Prêmio Direitos Humanos 2004
Sede Nacional- Rua do Riachuelo, 75, Centro
Rio de Janeiro- RJ- CEP 20230 010
21- 2242 3834- Fax-21-2232 3914e-mail- secretaria@ssvpbrasil.org.br
www.ssvpbrasil.org.br
Espiritualidade
Vicentina
Espiritualidade Vicentina
“Um santo padroeiro é um modelo que
é preciso esforçar-se para segui-lo,
como ele mesmo seguiu o modelo
maior que é Jesus Cristo. É uma vida
que precisa dar continuidade, um
coração que aquece outros corações,
(...) um advogado aqui na terra e um
protetor no céu”. (Beato Ozanam)
ESPIRITUALIDADE
VICENTINA
• Emmanuel Bailly, ensinou um meio
seguro para que a SSVP pudesse
continuar:
1. Aumentar em quantidade e qualidade;
2. Fortalecer-se no espírito de São
Vicente;
3. Ter este espírito presente em nossa
vida;
4. Deixar que o espírito de SVP alimente
nossos princípios;
5. E que estes princípios nos mantém em
unidade , apesar das diferenças que
existem em cada país.
ESPIRITUALIDADE
VICENTINA
O Espírito Comum
Permite-nos:
• distinguir a nossa origem;
• viver em harmonia;
• viver na alegria;
• Viver como irmãos;
• Viver a humildade,a simplicidade, a
cordialidade;
• Ser fiel à Fonte;
• Ser fiel a Jesus Cristo.
ESPIRITUALIDADE
VICENTINA
Uma Espiritualidade Cristocêntrica
- Tem Cristo como CENTRO;
- É uma espiritualidade centralizada no
Reino de Deus;
- É uma espiritualidade centralizada no
amar e servir o Pobre.
- Na fé e na experiência de Vicente de
Paulo aparece um Cristo-Amor que se
caracteriza por um “espírito de
caridade perfeita.”
ESPIRITUALIDADE
VICENTINA
• Messias servidor que se configura
como SERVO;
• Assemelha-se á pessoa humana e
obedece até à morte e morte de Cruz.
• Para descobrir o critério de caridade
de SVP e em seus seguidores é preciso
conhecer a mensagem e a missão de
Jesus, na expressão mais pura de sua
predileção pelos Pobres.
ESPIRITUALIDADE
VICENTINA
•A
espiritualidade
vicentina
é
cristocêntrica, porque Jesus Cristo é o
fundamento de nossa fé.
• É fundamentada no seguimento de
Jesus Evangelizador dos Pobres.
• À luz da fé, precisamos descobrir
que os Pobres, antes de serem
destinatários do serviço são a
presença do Cristo Evangelizador e
Servidor.
ESPIRITUALIDADE
VICENTINA
“ Cristo mesmo quis nascer Pobre,
quis receber os Pobres em sua
companhia, servi-los, pôr-se no lugar
deles, chegando a dizer que o bem e
o mal que fazemos aos Pobres será
considerado ato feito á sua pessoa
divina... Servir bem aos Pobres é
servir bem a Cristo.” (SVP)
ESPIRITUALIDADE
VICENTINA
Para que veio Jesus.
- “Para que todos tenham vida e a
tenham em abundância”.
- Para resgatar e evangelizar os
Pobres;
- Para saciar o faminto;
- Para libertar os cativos;
- Para fazer o Reino do Pai acontecer
na Terra.
ESPIRITUALIDADE
VICENTINA
Visão Reinocentríca
Numa sociedade que exclui e
marginaliza tirando dos Pobres a
condição de ter vida de gente, a
mensagem de Jesus só pode ser
levada a sério a partir de uma fé
profunda e de uma opção radical
pela construção do Reino de Deus,
portando, uma missão cristocêntrica e
reinocêntrica.
ESPIRITUALIDADE
VICENTINA
Jesus veio para anunciar o Reino de
Deus. “completou-se o tempo e o
Reino de Deus está próximo.Mudem
de vida”;
Não quer dizer que o Reino estava
perto só naquele Tempo, mas sim,
que já estava aí.
Aquilo que todos esperavam já
estava no meio do povo, mas o povo
não enxergava.
ESPIRITUALIDADE
VICENTINA
É
exatamente
esta
presença
escondida do Reino, que Jesus quer
anunciar e revelar aos Pobres e
excluídos da Terra.
É este Reino que Vicente de Paulo
anunciou e viveu.
É este Reino que precisamos anunciar
e viver.
ESPIRITUALIDADE
VICENTINA
Uma Espiritualidade que tem
como Mística, a Caridade
- “Cada um que fizer um serviço a um de
meus irmãos é a Mim que o fazeis” (Mt. 25;
- “Os Pobres são sacramentos de Cristo”;
- “Os Pobres são expressão salvífica de
Cristo” ;
- “Os Pobres, lugar preferencial para o
encontro com DEUS.”
ESPIRITUALIDADE
VICENTINA
Caridade...
É um conceito que está também nas
leis pré-cristãs, é uma lei interior da
pessoa humana, como por exemplo os
povos do Egito Antigo:igualdade na
justiça direito das mulheres e das
crianças, direitos dos escravos, ajuda
aos miseráveis....
O culto às divindades estavam ligados
a ajuda aos Pobres.
ESPIRITUALIDADE
VICENTINA
Caridade na História do
Povo de Deus
1. Era perceptível ao amor de Deus
pelas pessoas humanas: Deus ama o
ser humano criado à sua imagem e
semelhança.
Não
é
apenas
sentimento, mas ação concreta de
Deus. Deus toma a atitude de estar ao
lado de seu povo, “vocês serão o
meu povo e eu serei o Deus de
vocês”. “Ouvi o clamor do meu
povo e desci para libertá-lo”.
ESPIRITUALIDADE
VICENTINA
Caridade na História do
Povo de Deus
2. O povo também manifestava seu amor a
Deus. Em toda a história da salvação
encontramos vestígios da resposta do amor
da pessoa humana para com Deus. Deus é
amado como libertador, capaz de socorrer o
povo.É amado porque escuta a súplica do
sofredor. Dá atenção ao sofrimento do povo.
Amor que se expressa na obediência e no
serviço.
“Amarás a Iahweh, teu Deus com todo o teu
coração, com toda tua alma e com toda sua
força” ( Dt. 3,6)
ESPIRITUALIDADE
VICENTINA
Caridade na História do
Povo de Deus
3. Estava presente também o amor da
pessoa humana para com o próximo –
a medida do amor ao próximo é a
medida do amor a si mesmo.
O amor entre eles se manifestava ,
sobretudo aos Pobres e necessitados.
- A medida do amor ao próximo é a
medida do amor a si mesmo. “Amarás
o próximo como a ti mesmo” (Lv 19,18)
ESPIRITUALIDADE
VICENTINA
Anos Jubilares e Sabáticos
Quem
tinha
ficado
Pobre
era
ressarcido;
Aos escravos era restituída a liberdade;
Aos estrangeiros, era dado a alforria;
Amor aos Anciãos e aos pais;
Havia manifestação do amor a quem
estava sofrendo
“Lembre-se que foi escravo no
Egito”.
ESPIRITUALIDADE
VICENTINA
A caridade é uma assembleia cristã
no Novo Testamento: “Eu dou a
vocês um novo mandamento: “Assim
como eu amei vocês, vocês deverão
amar uns aos outros.”
A Opção pelos marginalizados brinda
um novo olhar para se aproximar do
Reino de Deus.
A caridade é a essência do projeto
de DEUS em todos os tempos.
ESPIRITUALIDADE
VICENTINA
A Eucaristia e o Pobre
“A Eucaristia realiza a Caridade” (João P. II;)
- A Eucaristia é o sacramento da
partilha;
- É uma escola de amor efetivo para
com o próximo;
- A adesão à Eucaristia é um convite
para engajar-se na construção do
mundo e no serviço dos irmãos,
principalmente
dos
Pobres
e
necessitados.
ESPIRITUALIDADE
VICENTINA
•"Tu vais participar da Eucaristia? Então
não humilhes teu irmão, não desprezes o
faminto...
•Tu fazes memória de Cristo e despreza
os Pobres?Tu não ficas horrorizado?
• Bebeste o sangue do Senhor e não
reconheceste teu irmão?Ainda que não o
conheças, deve recebê-lo nesta mesa...
•Tu que recebeste o pão da vida, não
faças obras de morte.” (S. João Crisóstomo)
ESPIRITUALIDADE
VICENTINA
Concluindo
A Eucaristia é por si o pão dos Pobres e
nos envia para os Pobres.
São Cisóstomo dizia: “o que importa se
a mesa de Cristo brilha com cálice de
ouro, se Ele mesmo morre de fome?
Alivia antes as suas necessidades, em
seguida com o que sobrar, enriquecei a
casa de Deus, não menospreze o vosso
irmão indigente, pois o templo que é
este irmão é mais precioso que aquele
de Deus.
ESPIRITUALIDADE
VICENTINA
• E, para São Vicente de Paulo:
“ a Eucaristia e o serviço aos Pobres
vão na linha da continuidade, o
dever da caridade está acima de
todas as regras e todas devem
conformar-se a ela. É uma grande
Dama.
Deve-se fazer o que ela ordena.”
ESPIRITUALIDADE
VICENTINA
SOCIEDADE DE SÃO VICENTE DE PAULO
Louvado seja nosso
Senhor Jesus Cristo!
ECAFO - CNB
Prêmio Direitos Humanos 2004
Sede Nacional- Rua do Riachuelo, 75, Centro
Rio de Janeiro- RJ- CEP 20230 010
21- 2242 3834- Fax-21-2232 3914e-mail- secretaria@ssvpbrasil.org.br
www.ssvpbrasil.org.br
Download

Espiritualidade Vicentina