FACULDADE DE CIÊNCIAS
HUMANAS DE CURVELO - FACIC
PARASITOLOGIA
APLICADA À
ENFERMAGEM
Prof. Ms. José Oliveira - Farmacêutico-Bioquímico
jonfbcurvelo@hotmail.com
Graduação em Farmácia-Bioquímica pela Universidade Federal de Ouro Preto
Mestrado em Saneamento Ambiental pela Universidade Federal de Ouro Preto
Diretor-Técnico da Farmácia de Minas – Unidade Presidente Juscelino
Diretor-Técnico do Laboratório de Análises Clínicas da Prefeitura Municipal de Presidente Juscelino
Entamoeba coli
Entamoeba histolytica
Protozoários
Giardia lamblia
Endolimax nana
Iodamoeba butschilii
Ascaris lumbricoides
Enterobius vermicularis
Intestinais
Nematelmintos
Parasitos
Strongyloides stercoralis
Necator americanus
Ancylostoma duodenale
Helmintos
Trichuris trichiura
Hymenolepis nana
Hymenolepis diminuta
Platelmintos
Hepático
Vaginal
Taenia sp
Schistosoma mansoni
Protozoários
Trichomonas vaginalis
Trichuris trichiura
Introdução
– Grande importância médica
– Doença
Trichiuríase
– Habitat
Intestino grosso (IG): Ceco e colo ascendente
Trichuris trichiura
Sistema digestório
http://youtu.be/aJx1DdTMe24
Trichuris trichiura
Morfologia:
– Macho
2,5 a 4 cm
– Fêmea
4 a 5 cm
Trichuris trichiura
Morfologia:
– Ovo
50 a 55 µm de comprimento x 22 µm de largura
Trichuris trichiura
Ciclo Biológico - Monoxênico
Fonte: http://www.cdc.gov/parasites
Trichuris trichiura
Fêmea elimina de 3.000 a 20.000 ovos/dia
Ovo infectante  TGI  IG  Verme
adulto  acasalamento  ovo  meio
ambiente  25 °C (~21 dias) 34 °C (13
dias)  infectante
Trichuris trichiura
Transmissão
– Ingestão de água ou alimentos contaminados
com ovos infectantes.
Trichuris trichiura
Patogenia:
Em toda parasitose, deve-se sempre considerar na
patogenia, a relação entre o número de parasitos e
a imunidade do hospedeiro.
– ↓ parasitismo
assintomático ou oligossintomático
Não significa ausência de ação patogênica
– ↑ parasitismo
Forma grave
Diarréia
Vômito
Sangramento
Retardo pôndero-estatural-cognitivo
Prolapso retal
Trichuris trichiura
http://www.google.com.br/search?hl=ptBR&cp=6&gs_id=10&xhr=t&q=trichuris+trichiura&gs_sm=&g
s_upl=&bav=on.2,or.r_gc.r_pw.&biw=1228&bih=570&um=1&
ie=UTF-8&tbm=isch&source=og&sa=N&tab=wi
Fonte:
http://www.isradiology.org/tropical_deseases/tmcr/chapter17/epidemiol
ogy2.htm
Fig. 17.5. (A) Trichuris adults woven into the colonic mucosal epithelium of a 22-year-old Chinese female. (B)
Gross specimen of the cecum and appendix of a patient from San Salvador showing coexisting whipworm
and Ascaris infection, a frequent combination. The glistening mucosal surface shows no evidence of inflammation
or ulceration. There is considerable mucus secreted in the vicinity of the numerous whipworms, especially near
the appendix where a single largeAscaris is observed. Note the typical coiled appearance of the male Trichuris as
well as the curved semilunar configuration of the female worms as their posterior portions protrude into the bowel
lumen. AFIP 67-8462-1.
Trichuris trichiura
Sintomatologia
– Epigastralgia
– Náuseas
– Febre
– Palpitação
– Tonteira
– Astenia
Trichuris trichiura
Diagnóstico
– Clínico
Difícil, devido à semelhança com outras helmintíases
– Laboratorial
Direto
EPF pelos métodos
– Hoffman, Pons e Janer (HPJ)
Trichuris trichiura
Epidemiologia
– Distribuição mundial heterogênea
– Prevalência baixa em vários países europeus,
Japão e América do Norte.
– Prevalência alta em países em desenvolvimento
ou sub-desenvolvidos com ↓investimento em
saneamento básico
Trichuris trichiura
Profilaxia
– Tratamento do doente e familiares
– Lavagem básica das mãos
– Lavagem dos alimentos
– Proteção dos alimentos
– Destino adequado do esgoto sanitário
– Saneamento básico
– Educação em saúde
Trichuris trichiura
Tratamento
– Albendazol 200 ou 400 mg
dose única
– Mebendazol 100 mg
100 mg de 12 em 12 h por 3 dias
Referências
NEVES, D.P. Parasitologia Humana. – 11.
ed. – São Paulo. Editora Atheneu, 2005.
Obrigado!
Download

Trichuris trichiura