SISTEMA DE TRANSPORTE
PNEUMÁTICO
Prof. Kleber Montalvão
SISTEMA DE TRANSPORTE PNEUMÁTICO
INDICE
1. Histórico da Jaraguá – Fatores Relevantes
2. Filosofia Básica
3. A que se refere um STP – movimentando as partículas
4. Classificação de tipos de STP
5. Tipos de Fases do STP e pontos fortes
6. Três ciclos do sistema
7. STP Jaraguá utilizado na Unimetal
8. Operando o STP com o IHM
9. Alarmes do STP
10. Dúvidas
1. HISTÓRICO DA JARAGUÁ – FATORES RELEVANTES
1957 – Fundada à empresa Alemã
JARAGUA EQUIPAMENTOS
INDUSTRIAIS LTDA
Bens de Capitais – Área
Química e Petroquímica..
.
.
1968 – Começa o
GRUPO GARCIA
.
.
.
ANO 2000
INTEGRAÇÃO
GRUPO GARCIA E
JARAGUA EQUIPAMENTOS
SOROCABA / ITAPEVI / OSASCO
1. HISTÓRICO DA JARAGUÁ – FATORES RELEVANTES
1968
Aberta na cidade de Osasco Oficina (100 m2) – Prestação serviços de
Manutenção Industrial e Recuperação de componentes mecânicos....
1973
Contratados os 3 primeiros funcionários
1974
Novas Instalações – Área de 1.000 m2
• 10 funcionários
1975
Início da fabricação dos primeiros equipamentos: Moinhos de martelo;
Peneiras Vibratórias; Roscas Transportadoras e Reatores....
1980
A empresa já possui cerca de 70 funcionários....
1986
Construída nova fábrica, sede própria – Área 10.000 m2
• 100 funcionários
1992
Produção e comercialização de Sistemas de Transporte Pneumático.
Início de parcerias com empresas de tecnologia americanas, italianas,
norueguesas e alemãs
1995
Adquirida mais uma unidade fabril pela Garcia Equipamentos Industriais
na cidade de Itapevi
• 189 funcionários
1. HISTÓRICO DA JARAGUÁ – FATORES RELEVANTES
2000
A Garcia compra a Jaraguá Equipamentos Industriais – empresa alemã,
fundada no Brasil em 1957 com sede na cidade de Sorocaba
Formação do Grupo Garcia – com a união das unidades de Osasco,
Itapevi e Sorocaba - Parque fabril de 30.000 m2
2005
Implementação do novo Modelo de Gestão – por Unidade de
Empreendimenos e Unidades de Negócios
Profissionalização das Vices-Presidências
Definição e divulgação da Visão, Missão e Valores no planejamento
estratégico
2006
2007
Início das ações para ser uma EPC (Engeneering Procuriment
Construction)
Início da Unidade de Engenharia de Fornos
Início dos trabalhos de preparação da Unidade de Empreendimentos de
Açucar e Álcool
2. FILOSOFIA BÁSICA
É objetivo da JARAGUÁ, ter sua imagem permanentemente
ligada á:
•Qualidade de seus produtos e serviços
•Competitividade na realização de suas atividades
•Eficácia no cumprimento de compromissos assumidos
2. FILOSOFIA BÁSICA
Esta Filosofia da Jaraguá se materializa em um conjunto de
princípios que garantem os resultados e a perpetuação do
GRUPO GARCIA – JARAGUÁ:
VISÃO - Ocupar uma posição de destaque até o ano de 2010,
atuando com um nível de excelência operacional
reconhecido em vários segmento
MISSÃO - Colaborar de forma expressiva, com o
desenvolvimento, crescimento tecnológico e soberania do
nosso país
VALORES - Empreendedorismo, Trabalho em Equipe,
Relacionamento, Valorização do Funcionário, Identificação
e satisfação das necessidades e expectativas de nossos
clientes, Meritocracia e Melhoria Contínua
VIDEO JARAGUÁ
CONCEITOS
E
APLICAÇÕES
SISTEMA DE TRANSPORTE PNEUMÁTICO
3. A que se refere um STP – movimentando as partículas
Transporte Pneumático se refere
ao
movimento
de
sólidos
suspensos em um fluxo de ar ou
forçado
através
de
tubos
horizontais e verticais.
É um dos métodos mais populares
para se deslocar sólidos em curta
distância nas indústrias químicas,
mineradoras, de grãos variados e
etc.
Foto 1: STP de cal
SISTEMA DE TRANSPORTE PNEUMÁTICO
4. Classificação de tipos de STP
Fase Diluída
Fase Cheia
SISTEMA DE TRANSPORTE PNEUMÁTICO
4. Classificação de tipos de STP
SISTEMA DE TRANSPORTE PNEUMÁTICO
4. Classificação de tipos de STP
Sistema Típico Fase Diluída
- baixa pressão (< 1,0 KGF/cm2)
- soprador/ventilador
- positiva
- alta velocidade de transporte
- baixa relação material transportado/ar
consumido
Figura 2: Transporte de fase diluída
(fluxo é da esquerda para a direita)
SISTEMA DE TRANSPORTE PNEUMÁTICO
4. Classificação de tipos de STP
SISTEMA DE TRANSPORTE PNEUMÁTICO
4. Classificação de tipos de STP
Sistema Típico Fase Cheia
- alta pressão (> 1,0 KGF/cm2)
- compressor
- positiva
- baixa velocidade de transporte
- alta relação material
transportado/ar consumido
Figura 3: Seqüência mostrando um exemplo de transporte horizontal de
fase densa (o fluxo é da direita para a esquerda)
SISTEMA DE TRANSPORTE PNEUMÁTICO
5. Tipos de Fases do STP e pontos fortes
Fase Densa Linha Cheia
- Longas linhas de Transporte
- Altas Capacidades
- Baixas taxas de degradação e segregação
de materiais transportados
- Minimiza consumo de ar
Fase Densa com Purga
- Utiliza um único vaso para transportar
diversos materiais em vários destinos
- Baixas taxas de contaminação entre
os produtos
Foto 4: Silo de mineradora
SISTEMA DE TRANSPORTE PNEUMÁTICO
5. Tipos de Fases do STP e pontos fortes
Fase Densa Linha Cheia Contínuo
- Grandes Capacidades para grandes
distâncias
- Utiliza mais de um vaso de transporte
em linha
- Possibilidade de manutenção com o
sistema operando
Pressão Direta
- Baixas Capacidades e pequenas
distâncias
- Produtos com boa fluidez
- Não requer injetores de ar na linha de
transporte ( boosters )
- Menor custo de instalação
Foto 5: Transporte de minério
SISTEMA DE TRANSPORTE PNEUMÁTICO
6. Sistema de Transporte Fase Densa dividida em três ciclos do sistema
1 - Ciclo de carga:
Primeiro ciclo, ocorre quando o nível no
silo de destino selecionado não está
alto, é quando as válvulas de entrada
e respiro são abertas permitindo a carga
propriamente dita do vaso de transporte,
este ciclo chega ao fim quando o sistema
detecta nível alto no vaso de transporte.
Foto 6: Silo de fertilizantes
SISTEMA DE TRANSPORTE PNEUMÁTICO
6. Sistema de Transporte Fase Densa dividida em três ciclos do sistema
2 - Ciclo de transporte:
Inicia-se após o ciclo de carga, é quando
as válvulas de entrada, e respiro são
fechadas, e são pressurizados o vaso
de transporte e a tubulação, até que o
sistema detecte ausência de material no
vaso de transporte.
Foto 7: Vaso de Transporte
SISTEMA DE TRANSPORTE PNEUMÁTICO
6. Sistema de Transporte Fase Densa dividida em três ciclos do sistema
3 - Ciclo de purga:
Limpeza do vaso de transporte e da
tubulação, garantindo a retirada por
completo de resíduos que possam vir
a causar obstrução da linha de
transporte, é executado após o
comando de parar, após o completo
abastecimento do silo de destino ou
em modo semi-automático.
Foto 8: Vaso de Transporte
SISTEMA DE TRANSPORTE PNEUMÁTICO
7. STP Jaraguá utilizado na Unimetal
O STP utilizado na Unimetal é o de Fase Densa Linha Cheia com:
- Alta capacidade de transporte;
- Baixas taxas de degradação e
segregação do produto;
- Baixo consumo de ar comprimido.
Foto 9: Vaso de Transporte
SISTEMA DE TRANSPORTE PNEUMÁTICO
8. Modo de operanção do STP com o IHM
O sistema é operado por uma IHM Panel View 550, Touch Screen.
Essa é a tela principal, onde será possível operar, monitorar e verificar
os alarmes do sistema.
Figura 10: Tela principal do IHM do STP da Unimetal
SISTEMA DE TRANSPORTE PNEUMÁTICO
8. Modo de operanção do STP com o IHM
OPERAÇÃO tela onde é possível escolher entre a transferência de produto
para apenas um silo, deixando-o em Semi-auto e Automático ou pela
transferência de produto para todos os silos em Automático.
Figura 11: Tela Operação
SISTEMA DE TRANSPORTE PNEUMÁTICO
8. Modo de operanção do STP com o IHM
Seleção no modo Semi-Auto : Modo de operação que após selecionado
um silo, consegue-se comandar o sistema para executar um dos seus três
ciclos.
Figura 12: Tela de escolha de Silo
SISTEMA DE TRANSPORTE PNEUMÁTICO
8. Modo de operanção do STP com o IHM
Na figura 13, é operado os Ciclos de Carga, Transporte e Purga em
modo Semi-Auto. Neste executa-se um ciclo por vez e aguarda o próximo
Figura 13: Tela de escolha de Silo
SISTEMA DE TRANSPORTE PNEUMÁTICO
8. Modo de operanção do STP com o IHM
Seleção em Automático : Seleção do silo, transferindo material para um
único destino, após cheio (Nível Alto) o sistema aguardará o nível baixar.
Lembrando que primeiro, deve-se escolher o destino (silo).
O comando “LIGA AUTOMATICO” do sistema, inicia consecutivamente
os ciclos de carga e transporte, até que seja acionado o comando de
“DESL. AUTOMATICO” ou até que seja atingido o nível máximo no silo
de destino selecionado.
SISTEMA DE TRANSPORTE PNEUMÁTICO
FLUIDIZADORES:
FLUIDIZADORES:
Também chamados de “Aeradores”:
• Utilizado para restaurar a fluidez do material,
melhorando seu escoamento;
• O ar injetado através do fluidizador, causa
uma pequena vibração de forma circular na
parede interna de onde está instalado.
FLUIDIZADORES:
INJETORES DE AR:
INJETORES DE AR:
Também chamados de “Booster”:
 São dispostos ao longo da tubulação de
transporte pneumático;
 Objetivando o ajuste de pressão e vazão de
ar;
INJETORES DE AR:
Também chamados de “Booster”:
 Garantindo economia de ar comprimido;
 Possibilitando o sistema de operar em
baixas pressões.
TRANSPORTE PNEUMÁTICO
JARAGUÁ
CONCEITOS
E
APLICAÇÕES
Tipos de Transporte Pneumático
Fase Diluída
Fase Densa
Sistema Típico Fase Diluída
LINHA DE TRANSPORTE
FILTRO DE AR
SILO
RECEPTOR
SILO DE
ARMAZENAMENTO
VÁLVULA
DE SAÍDA
VÁLVULA
ROTATIVA
SOPRADOR
Sistema Típico Fase Densa
LINHA DE AR
LINHA DE TRANSPORTE
SILO DE
ARMAZENAMENTO
FILTRO DE AR
SILO RECEPTOR
VÁLVULA DE
ENTRADA
VÁLVULA
DE RESPIRO
TRANSPORTADOR
VÁLVULA
DE SAÍDA
AJUSTADOR DE PRESSÃO
(BOOSTER)
ALIMENTAÇÃO DE
AR DO BOOSTER
ALIMENTADOR DE AR PRINCIPAL
Comparativo entre Sistemas de
Transporte Pneumático
Fase Diluída
 Baixa pressão (< 1,0 kgf/cm²)
 Positiva / vácuo
 Soprador / ventilador
 Alta velocidade de transporte
 Baixa relação material
transportado / ar consumido
Fase Densa
 Alta pressão ( > 1,0 kgf/cm² )
 Positiva
 Compressor
 Baixa velocidade de transporte
 Alta relação material
transportado / ar consumido
Pontos Fortes do Sistema Fase
Densa
Consumo de energia para transportar
grandes tonelagens a grandes distâncias é
menor do que o sistema fase diluída,
implicando em menores custos
operacionais.
Taxa de degradação e segregação de
materiais transportados são inferiores
quando comparadas a sistemas fase diluída.
Transporte Pneumático Jaraguá:
Tecnologia Brasileira
Transporte Pneumático Fase Densa Linha
Cheia
Transporte Pneumático Fase Densa com
Purga
Transporte Pneumático Fase Densa Linha
Cheia Contínuo
Transporte Pneumático Pressão Direta
Transporte Pneumático Fase
Densa Jaraguá
Fase Densa Linha Cheia
Fase Densa com
Purga
 Longas linhas de Transporte
 Altas Capacidades
 Baixas taxas de degradação
e segregação de materiais
transportados
 Minimiza consumo de ar

Utiliza um único vaso para
transportar diversos
materiais em vários
destinos
 Baixas taxas de
contaminação entre os
produtos
Transporte Pneumático Fase
Densa Jaraguá
Pressão Direta
Fase Densa Linha Cheia
Contínuo
 Grandes Capacidades e
grandes distâncias
 Baixas Capacidades e
pequenas distâncias

 Utiliza mais de um vaso de
transporte em linha
 Possibilidade de
manutenção com o sistema
operando
Produtos com boa fluidez
 Não requer injetores de ar
na linha de transporte
(
boosters )
 Menor custo de instalação
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Aplicado na Klabin:
Como vimos anteriormente:
 Alta capacidade de transporte;
 Baixas taxas de degradação e segregação
do produto;
 Baixo consumo de ar comprimido.
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Aplicado na Klabin:
• A purga é executada apenas após o
comando de parar, ou em modo semiautomático;
• Evitando entupimentos na linha de
transporte, e preservando a tubulação contra
desgastes pela abrasividade do produto a ser
transportado.
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Dividido por três ciclos:
• Ciclo de carga;
• Ciclo de transporte;
• Ciclo de purga.
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Dividido por três ciclos:
• Ciclo de carga:
Este é o primeiro ciclo do sistema, só ocorre
quando o nível no silo de destino selecionado
não está alto,
é quando as válvulas de entrada e respiro
são abertas permitindo a carga propriamente
dita do vaso de transporte,
este ciclo chega ao fim quando o sistema
detecta nível alto no vaso de transporte.
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Dividido por três ciclos:
• Ciclo de transporte:
O ciclo de transporte inicia-se após o ciclo de
carga, é quando as válvulas de entrada, e
respiro são fechadas,
e são pressurizados o vaso de transporte e a
tubulação,
até que o sistema detecte ausência de
material no vaso de transporte.
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Dividido por três ciclos:
• Ciclo de purga:
Este ciclo é responsável pela limpeza do
vaso de transporte e da tubulação,
garantindo a retirada por completo de
resíduos que possam vir a causar obstrução
da linha de transporte,
é executado após o comando de parar, após
o completo abastecimento do silo de destino
ou em modo semi-automático.
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Modos de operação:
• O sistema de transporte pneumático funciona
em dois modos de operação, que podem ser
definidos pelo operador.
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Modos de operação:
• Modo semi-automático:
• Modo automático:
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Modos de operação:
• Modo semi-automático:
Modo de operação onde o operador
consegue comandar o sistema para executar
algum dos seus três ciclos:
Carga, Transporte ou Purga.
Neste modo, após o comando de executar
ciclo, o sistema executa um ciclo por vez e
permanece no aguardo de um novo
comando.
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Modos de operação:
• Modo automático:
Neste modo, após o comando de “PARTIR” o
sistema inicia consecutivamente os ciclos de
carga e transporte,
até que seja acionado o comando de
“PARAR”
ou até que seja atingido o nível máximo no
silo de destino.
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Modos de operação:
• Modo automático:
No primeiro caso o sistema permanece no
aguardo de um novo comando de “PARTIR”;
no segundo, permanece parado até que seja
desacionado o nível máximo no silo de
destino;
em qualquer um dos casos o sistema
executa um Ciclo de Purga antes de parar
em stand-by.
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Parametrização do sistema:
• Para o perfeito funcionamento do sistema,
antes de colocá-lo em funcionamento, é
necessário realizar a sua parametrização.
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Pressão de transporte:
• É a pressão que o sistema irá assumir
durante o ciclo de transporte.
 Nos casos em que o sistema contiver módulo de
controle de ar do tipo piloto operado, é necessário
também ajustar esta pressão no piloto da válvula de
controle de pressão;
lembrando que pode haver mais de uma válvula de
controle de pressão, com ajustes de pressão
distintas.
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Pressão de início de transporte:
• A partir deste ponto, o sistema assume
estado normal e ciclo de transporte ativo.
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Tempo para início de transporte:
• É o tempo que o sistema aguarda até que
seja atingida a pressão de início de
transporte.
 ultrapassando este tempo, o sistema aborta o
ciclo de transporte e apresenta a falha:
“TEMPO DE PRESSÃO DE INÍCIO DE
TRANSPORTE ALTO”.
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Pressão de fim de transporte:
• É a pressão que o sistema assume o fim de
transporte, pois nesta pressão não há mais
material no vaso de transporte ou na
tubulação.
 Acima deste ponto, as válvulas de entrada
não poderão ser abertas.
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Quantidade de Jet’s:
• Aqui é selecionada a quantidade de ramais
de jet’s para o vaso de transporte.
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Tempo de Jet’s Ligados:
• É o tempo que o ramal do jet’s permanecerá
ativo.
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Tempo de Jet’s Desligados:
• É o tempo que o ramal do jet’s permanecerá
em repouso.
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Tempo de Carga:
• É o tempo máximo para concluir o ciclo de
carga.
 Ultrapassando este tempo, o sistema aborta
o ciclo de carga, e apresenta a falha:
“TEMPO DE CARGA ALTO”.
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Tempo de Transporte:
• É o tempo máximo em que o sistema assume
para concluir o ciclo de transporte para o silo
de destino.
 Ultrapassando este tempo, o sistema aborta
o ciclo de transporte, e apresenta a falha:
“TEMPO DE TRANSPORTE PARA SILO
DESTINO ALTO”.
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Tempo de Purga:
• É o tempo máximo em que o sistema assume
para concluir o ciclo de purga para o silo de
destino.
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Tempo de Purga:
 Ultrapassando este tempo, e a pressão no
interior do vaso de transporte não atinja a
pressão de fim de transporte, apresentará a
falha:
“TEMPO DE PURGA INSUFICIENTE”.
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Tempo de Purga:
 Caso a pressão no interior do vaso de
transporte, atinja em modo decrescente a
pressão de fim de transporte:
O sistema permanece em purga por mais um
tempo correspondente à 10% do tempo
configurado como tempo total de purga.
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Tempo de Purga:
 Após, permanece em modo de espera, até
que seja setado novo comando.
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Sistema de Fluidização:
• Aplicado em silos e moegas, como vimos a
fluidização promove o escoamento do
produto.
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Tempo de Fluidizador Ligado:
• É o tempo que o ramal do fluidizador
permanecerá ativo.
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Tempo de Fluidizador Desligado:
• É o tempo que o ramal do fluidizador
permanecerá em repouso.
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Alarmes do sistema:
 Alguns códigos são utilizados para
auxiliar na interpretação dos alarmes, são
eles:
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Alarmes do sistema:
• “FA”:
• Utilizado para as válvulas, aparece quando o
sistema comanda uma válvula para abrir, e
alguma falha impede sua abertura;
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Alarmes do sistema:
• “FF”:
• Utilizado para as válvulas, aparece quando o
sistema comanda uma válvula para abrir, e
alguma falha impede seu fechamento;
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Alarmes do sistema:
• “VBB”:
• Sigla de Válvula Borboleta;
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Alarmes do sistema:
• “Under Range”:
• Referente ao transmissor de pressão, significa
que o sinal enviado deste instrumento ao
sistema é inferior à faixa calibrada que é de
4 a 20mA;
Transporte Pneumático Fase
Densa linha Cheia
Alarmes do sistema:
• “Over Range”:
• Referente ao transmissor de pressão, significa
que o sinal enviado deste instrumento ao
sistema é superior à faixa calibrada que é de
4 a 20mA;

Treinamento de Automação Industrial