97% da água existente no nosso planeta está nos
oceanos e apenas 3% é água doce.
O Meio Marinho, formado por água salgada, cobre
71% do planeta Terra e é o habitat de muitas espécies que vivem sobretudo nos lugares onde a água é
menos profunda, mais temperada e com maior
luminosidade.
O Meio marinho é um ecossistema rico e diverso
mas também finito e limitado, portanto, com recursos esgotáveis. A poluição e a sobre-pesca, são
algumas das ameaças ao Meio Marinho e à sua biodiversidade.
As alterações climáticas também estão a afectar a
vida marinha (aquecimento, acidificação e subida
do nível médio das águas do mar), pondo em perigo
toda a biodiversidade dos oceanos.
O plástico é também um grave problema para a
biodiversidade marinha. Actualmente, situada entre
o Havai e a Costa Californiana, existe uma “nova
ilha” formada por plástico e conhecida por “O Grande Depósito de Lixo do Pacífico” (http://
www.sedentario.org/colunas/teoria-da-conspiracao/umcontinente-de-plastico-10631).
A humanidade depende dos ecossistemas marinhos,
pois estes fornecem bens e serviços essenciais à
nossa sobrevivência: alimentos, regulação do clima,
absorção de poluentes, fornecimento de forma de
energia, entre outros.
Em Portugal 75% da população vive no litoral; desta
forma uma percentagem considerável da economia
portuguesa baseia-se nos recursos marinhos, motivo para não ficar indiferente a estas
mudanças!
Nota: Imagens retiradas de www.gifmania.com
“Para além da caça indiscriminada e da poluição, existem perigos
causados por situações involuntárias que ameaçam populações
inteiras de tartarugas, golfinhos e baleias. Todos os anos, a indústria pesqueira captura por engano mais de 300.000 cetáceos, dos
quais a grande maioria são golfinhos. Também morrem acidentalmente muitas baleias, por ficarem presas nas redes dos barcos. Por
outro lado, as redes e os anzóis utilizados na pesca do atum também representam uma ameaça às tartarugas”.
in visão Nº 821 de 27/11/08—Espécies em Perigo
É um mamífero e o maior animal que já
alguma vez existiu na Terra (30 metros).
A caça indiscriminada para obtenção de óleo (transformação
da gordura) para utilização na industria alimentar, cosmética
e indústria em geral, colocou a baleia na lista vermelha das
espécies em perigo de extinção. A sua captura está proibida
desde 1965. Calcula-se que dos 200.000 exemplares existentes no inicio da década de 1950, restem actualmente apenas
8000.
Os corais são pólipos, formas de vida
animal muito primitivas que parecem
plantas e crescem formando colónias
(recifes).
O aquecimento global do Planeta e a
contaminação da água dos oceanos
estão a provocar a sua morte, reconhecida pelo seu embranquecimento.
Os recifes de corais possuem uma biodiversidade riquíssima.
Um quarto das espécies marinhas vivem nas suas colónias
Há quase duas mil espécies de estrelas-do-mar. Podem ter
entre alguns centímetros e um metro de diâmetro. Uma característica destes equinodermes é que são capazes de se regenerar, ou seja, se um dos seus braços é separado do corpo um
novo organismo completo crescerá do braço isolado. A poluição é uma das maiores ameaças à estrela-do-mar.
Vive em todos os oceanos. O seu
tamanho varia segundo a espécie:
de 15 cm até 15 m (tubarão-baleia).
Uma das características são as
“ampolas de Lorenzini”. Com estes
órgãos conseguem detectar a presença de outras criaturas mesmo
que não as consigam ver, ouvir ou
cheirar. É por isso que se diz que
http://www.cirandacultural.com.br
os tubarões têm 6 sentidos! Uma
curiosidade engraçada, sempre que um dos seus dentes cai, cresce
outro para o substituir. O tubarão é caçado pelo Homem só para
aproveitar as barbatanas.
Vive numa grande variedade
de habitats, desde a costa à
plataforma continental.
Pode atingir a maturidade
entre os 2 e os 4 ou entre os 5
www.nautic-seafood.com
e os 7 anos. Actualmente devido à pesca
comercial o tamanho e a idade do bacalhau capturado tem diminuído. Mesmo assim continua a pescar-se indiscriminadamente
com rede de arrasto de profundidade. Apesar de ser uma espécie
que põe bastantes ovos durante a face reprodutiva, tem-se revelado de difícil recuperação. Na Terra Nova a pesca do bacalhau é
proibida desde 1993 mas os seus stoks ainda não mostram sinais
de recuperação.
É um peixe de crescimento lento, vive em águas
muito profundas (70 e 8 000
metros) Algumas espécies chewww.redfish.de
gam a viver 75 anos (Setastes
marinus e o mentella) e atingem a maturidade reprodutiva entre
os 10 e 13 anos (tardia). Características que fazem com que seja
muito sensível à sobre-pesca.
É uma espécie
www.oldtrout.ca
carnívora, alimenta-se de outros
peixes. Devido à sobre-pesca o salmão selvagem já desapareceu da
maioria das águas do báltico e norte americanas. Por este motivo é
criado em aquacultura.
Porquê uma Lista Vermelha?
TEMPO DE DEGRADAÇÃO DE RESÍDUOS NO MAR
• ¾ dos stocks de peixe do mundo estão totalmente explorados,
sobreexplorados ou esgotados;
• 88% dos stocks de peixe em águas comunitárias estão
sobreexplorados;
Jornal
6 semanas
Luvas de lã
1 ano
• 90% das populações dos grandes peixes predadores (como o
atum, o bacalhau e o peixe espada) estão esgotadas.
DESENHA AQUI O TEU FUNDO DO MAR
ou uma mensagem de alerta e envia,
digitalizado para o GEOTA
• Actualmente só 1% dos oceanos e mares do mundo estão
totalmente protegidos, uma percentagem ridícula quando
Cigarros
3/12 meses
comparada com os espaços naturais protegidos em terra
(11%).
Fonte: www.greenpeace.org
Copo de plástico
50 anos
Madeira pintada 13 meses
Latas de alumínio
200 anos
Caroço de maçã
2 meses
Pacote de leite
3 semanas
Pastilha elástica
5 anos
Fraldas descartáveis
200 anos
Garrafa de plástico
450 anos
Rede de pesca
600 anos
Garrafa de vidro
tempo indeterminaResí-
duos
radioactivos
Linha
de pesca
http://www.oceanario.pt
http://www.greenpeace.org
http://www.cimvazores.info/
http://www.cimar.org
http://www.estgm.ipb.pt
http://www.horta.uac.pt
O GEOTA (Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e
Ambiente) é uma Organização não Governamental de Ambiente
(ONGA). Constituiu-se legalmente em 1986, mas a sua existência
enquanto grupo de reflexão e educação na área do ambiente
remonta a 1981.
O funcionamento do GEOTA organiza-se por várias áreas temáticas e
projectos sobre ambiente. Mais informações em www.geota.pt.
As realizações do GEOTA compreendem uma boa parcela de colaborações voluntárias. É uma associação aberta a todos os interessados.
Podes aderir ao GEOTA se tiveres mais de 10 anos e a autorização do
teu encarregado de educação."
Envia-nos comentários, sugestões, opiniões, trabalhos, etc.
sobre este tema do Meio Marinho. Divulgaremos os teus contributos no blogue do Coastwatch ou no boletim Geotàlupa.
Travessa do Moinho de Vento, 17 C/v Dtª 1200-727 Lisboa
Tel.: + 351 21 395 6120 | Fax: +351 21 395 53 16 |
Telm: +351 96 206 26 80 | geota.sec@netcabo.pt | http://www.geota.pt
coastwatch@netcabo.pt | http://www.coastwatchcoastwatch.blospot.com
Elaboração:
Sónia Borges e Lurdes Soares
Datas a não esquecer:
Dia Mundial da Água: 22 de Março
Dia Mundial da Biodiversidade: 22 de Maio
Apoios
Sob a égide
Dia Mundial do Ambiente: 5 de Junho
Dia Mundial dos Oceanos: 8 de Junho
Dia Nacional da Água: 1 de Outubro
Dia do Mar: 16 de Novembro
Download

Folheto Meio Marinho