Jornal
JornalInformativo
Informativodo
doInstituto
InstitutoFederal
Federalde
deEducação,
Educação,Ciência
CiênciaeeTecnologia
Tecnologiade
deSanta
SantaCatarina
Catarina––Câmpus
CâmpusJoinville
Joinville||Ano
Ano32||Nº
Nº25
19
Câmpus Joinville dá a largada para
a Campanha de ingresso 2014/02
O IFSC inicia dia 17 de
abril a campanha de ingresso
para o segundo semestre de
2014. No Câmpus Joinville,
serão oferecidas 242 vagas nos
cursos regulares: graduação,
curso técnico integrado com o
ensino médio, concomitante e
pós-médio.
As
inscrições
poderão ser feitas até dia 19 de
maio, porém, para solicitar a
isenção da taxa de inscrição, o
prazo vai até dia seis de maio.
Todas as informações
estão disponíveis no Portal de
Ingresso ou no 0800 722 02 50.
Confira os cursos disponíveis:
Graduação: Superior de tecnologia em Gestão Hospitalar (40 vagas, noturno) e superior de tecnologia em
Mecatrônica Industrial (40 vagas, noturno)
Cursos técnicos integrados ao Ensino Médio: Eletroeletrônica (35 vagas, matutino) e Mecânica (35 vagas,
vespertino)
Cursos técnicos concomitantes: Eletroeletrônica (36 vagas, noturno) e Mecânica (32 vagas, noturno)
Curso técnico subsequente (após a conclusão do ensino médio): Enfermagem (24 vagas, matutino)
Caro leitor
Estamos chegando a um dos períodos mais importantes para o IFSC: a campanha de
ingresso. A partir do dia 17 de abril, até dia 19 de maio, a instituição estará mobilizada na
divulgação e inscrições para nossos cursos técnicos e superiores.
É um período em que necessitamos da participação de todos, em divulgar o que temos
de melhor e a educação de qualidade que oferecemos, pois é a partir da inscrição e seleção
de novos estudantes que abrimos nossas portas para o início da formação de indivíduos
capacitados para o exercício da cidadania e da profissão.
Lembramos, porém, que a campanha de ingresso não é responsabilidade somente de
um grupo, mas de todos os servidores e professores, como multiplicadores das ações
promovidas em nossa instituição. Assim, contamos com a colaboração de todos para
aumentarmos nossos índices de inscrições e para que a Campanha de Ingresso 2014/2 seja
um sucesso!
Instituto Federal de Santa Catarina | Câmpus Joinville
joinville.ifsc.edu.br
Jornalista Responsável: Carla Algeri
Registro profissional: MT - SC 01340
E-mail: carla.algeri@ifsc.edu.br
Informativo
Câmpus Joinville
Ano 3 | nº 25 | março de 2014
Cursos do programa “Mulheres Mil”
preparam para o mundo do trabalho
A dona de casa Simone
Aparecida de Lima, 33 anos, é
uma das inscritas no curso de
Operador de Computador pelo
programa Mulheres Mil. Assim
como tantas outras mulheres, ela
procura
no
curso
uma
oportunidade de conseguir uma
colocação no mundo do trabalho e
contribuir com a renda da família.
Moradora
do
bairro
João
Loureiro, em Joinville, ficou
sabendo do curso por meio da
Ong Mulheres Vitoriosas.
Promover a geração de
renda por meio da qualificação
profissional é um dos objetivos do
programa Mulheres Mil. Dois
cursos iniciaram-se no Câmpus
Joinville no mês de abril: o de
Operador de Computador e o de
Auxiliar de Cozinha. A intenção é
oferecer qualificação profissional
para que as mulheres possam
desenvolver atividades produtivas
no mercado formal ou informal,
ou mesmo em arranjos produtivos,
como cooperativas.
A aposentada Nasária
Ignês de Goes, 65 anos, já
trabalhou como cuidadora de
idosos, auxiliar de enfermagem,
além de cozinheira em hotéis de
São Paulo, onde residia. Agora,
quer encontrar no curso de
Auxiliar de Cozinha uma chance
para atualizar os conhecimentos e
obter uma renda extra. Como é
diabética,
também
pretende
aprender dicas para melhorar a
própria alimentação.
O curso de Operador de
Computador será ministrado no
Câmpus Joinville do IFSC. O
Auxiliar de Cozinha terá aulas
teóricas no IFSC e práticas na
Casa Brasil Sul, no Bairro Itaum.
Alunas dos cursos de Auxiliar de Cozinha e Operador de Computador conheceram equipe do Câmpus
Curso para atendimento de emergências
Os alunos da quarta fase do curso técnico em Enfermagem
participaram de curso de atendimento a casos de parada
cardiorrespiratória, dia 4 de abril (foto acima).
O treinamento foi ministrado por dois socorristas do Sistema
de Ensino e Treinamento de Emergência (Setem), André Luiz Vazzata
e Maicon Rodrigo Schroeder. A atividade foi realizada como
complemento na disciplina de Emergência.
Instituto Federal de Santa Catarina | Câmpus Joinville
joinville.ifsc.edu.br
Página
02
Informativo
Câmpus Joinville
Ano 3 | nº 25 | março de 2014
Estudo com moradores do Morro do
Meio será apresentado na Guatemala
O perfil dos usuários
do Centro de Referência em
Assistência Social (CRAS)
do bairro Morro do Meio, em
Joinville, foi tema de projeto
científico do curso superior
de tecnologia em Gestão
Hospitalar
do
Câmpus
Joinville do IFSC.
Com orientação da
professora Andrea Heidemann, as alunas Letícia
Helena Valle e Rosane
Toderke Schmidt, da quinta
fase, entrevistaram cerca de
200 famílias do bairro,
coletando informações como
faixa
etária,
condições
econômicas e de moradia,
saneamento
básico
e,
principalmente, o grau de
conhecimento e a satisfação
acerca
dos
serviços
oferecidos pelo CRAS.
O artigo resultante do
estudo, “Política Pública de
Assistência Social: uma
aproximação com a realidade
das famílias atendidas pelo
CRAS- Morro do Meio em
Joinville-SC”,
será
apresentado no Congresso
Latinoamericano
de
Psicologia, dia 13 de maio na
Cidade Antiga, Guatemala,
pela professora Andrea e a
aluna Letícia. “Eu nunca
participei de um evento
internacional.
Será
o
reconhecimento acadêmico”,
afirma Letícia, que espera
conhecer culturas diferentes e
participar da troca de
experiência com estudiosos e
profissionais da área.
Professora Andrea com as alunas Letícia e Rosane, da quinta fase de Gestão Hospitalar
A professora conta que o bairro
Morro do Meio foi escolhido
para ser tema do estudo por
apresentar
alto índice de
vulnerabilidade social e por ser
um dos primeiros de Joinville a
receber o CRAS, implantado
pela prefeitura. Também é um
dos mais populosos, com cerca
de 5 mil famílias cadastradas.
A aluna Rosane conta
que foi preciso visitar as
famílias, em casa, para coletar
os dados. “Fizemos um
mapeamento e fomos de casa
em casa. Foi difícil, porque dos
usuários
com
endereços
cadastrados no CRAS, muitos
já tinham se mudado”, conta.
Segundo ela, as visitas em
domicílio também serviram
para conhecer a situação de
moradia dos entrevistados e a
infraestrutura do bairro.
Instituto Federal de Santa Catarina | Câmpus Joinville
joinville.ifsc.edu.br
Alguns dados levantados pelo
estudo foi a baixa escolaridade
das famílias e alto índice de
pessoas idosas, crianças e
pessoas com deficiência. As
pesquisadoras
também
concluíram que a maioria dos
moradores não conhece todos
serviços oferecidos pelo Centro
de Referência. “Os dados
coletados
apontam
alguns
indicadores importantes, tais
como o não reconhecimento da
assistência social enquanto
direito”, destaca o estudo.
Segundo a professora, os
dados coletados poderão servir
de embasamento para a adoção
de programas e projetos
condizentes com a realidade da
comunidade
local,
como
preconiza a Política Nacional de
Assistência Social, que deu
origem aos CRAS.
Página
03
Informativo
Câmpus Joinville
Ano 3 | nº 25 | março de 2014
Horário de
trabalho na
Copa do Mundo
Professor Paulo Amaro com a aluna Gabriella Chaves, que vai participar de evento nos EUA
Matemática abre portas para
de ativ
aluna do Câmpus
Joinville
O interesse e a dedicação
a cálculos, fórmulas e números
está levando a aluna do curso
integrado em Eletroeletrônica do
Câmpus Joinville, Gabriella
Radke Chaves, 16 anos, a viajar
pelo mundo. Em 2012 ela
participou de um evento
estudantil na Alemanha e agora
arruma as malas para embarcar
para o es Estados Unidos, onde
vai participar do National Youth
Science Camp (NYSC), uma
escola de verão que acontece na
cicade de Charleston, capital do
estado de West Virginia, de 27
de junho a 20 de julho deste ano.
Gabriella e um estudante
do Instituto Federal do Rio de
Janeiro
serão
os
únicos
representantes do Brasil no
evento. Além de estudar
Matemática, eles participarão de
atividades voltadas a ciências,
como genética, medicina e
engenharia, e farão de visitas a
diversas cidades e instituições
americanas. Todas as despesas
serão pagas pelo governo dos
Estados Unidos.
O professor de Matemática Paulo Amaro dos Santos
conta que, quando chegou no
Câmpus Joinville em 2011,
começou a motivar os alunos a
participarem das Olimpíadas de
Matemática.
|O professor percebeu, no
entanto, que nem todos os alunos
se interessavam, pelo simples
fato de grande parte não gostar
da disciplina. Ao mesmo tempo,
conta que o Câmpus Joinville já
revelou vários destaques, além
de
Gabriella.
“Para
nós,
professores, quando vemos o
resultado desses alunos, nos dá
mais motivação”, afirma.
Instituto Federal de Santa Catarina | Câmpus Joinville
joinville.ifsc.edu.br
Nos dias de jogos da
Seleção Brasileira de Futebol,
na Copa do Mundo Fifa 2014,
o IFSC terá expediente apenas
no horário da manhã, até as
12h30.
O horário é definido
pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão,
conforme Portaria número 113,
de três de abril de 2014, válida
para todos os órgãos e entidades da administração pública
federal direta, autárquica e
fundacional, sem prejuízo às
atividades consideradas essenciais.
Aniversariantes
de abril
2/4 – Raquel Crestani
Agostineto
2/4 - Carolina Drago
Fernandes
4/4 - Ana Barbara Knolseisen
Sambaqui
5/4 - Marcio Tadeu da Costa
6/4 - Geraldo Sales dos Reis
8/4 - Thiago de Oliveira
Garcia Simoes
9/4 - Luis Sergio Barros
Marques
14/4 - Luciana Maciel
15/4 - Suely Maria Anderle
22/4 - Leonidas Cayo Mamani
Gilapa
22/4 - Jorge Cunha
23/4 - Andrea Heidemann
25/4 - Roberta Briesemeister
Página
04
Informativo
Câmpus Joinville
Ano 3 | nº 25 | março de 2014
Câmpus Joinville participa de lançamento
da Política de Comunicação do IFSC
Servidores dos câmpus
Joinville
participaram
da
capacitação em comunicação que
integra a implementação da Política
de Comunicação do IFSC, dia 4 de
abril.
A equipe da Dircom
abordou as principais atribuições da
comunicação
institucional,
enfatizando o papel das áreas de
eventos, jornalismo e programação
visual, e falou sobre as inovações
que a Política de Comunicação traz
em seus 15 capítulos, como a
proposta
de
trabalhar
a
comunicação institucional de forma
integrada entre Reitoria e câmpus
com base em diretrizes comuns.
Além da diretora de
Comunicação, Waleria Kulkamp
Haeming, estiveram presentes a
programadora visual Geisa Golin
Albano, o jornalista
Daniel
Augustin Pereira, que assumirá o
cargo de jornalista no Câmpus
Jaraguá do Sul, e a jornalista do
Câmpus Joinville, Carla Algeri.
Também esteve presente a jornalista
Giovana Perine, que já atuou no
Câmpus Joinville, e falou sobre a
Servidores do Câmpus Joinville conheceram a Política de Comunicação do IFSC
implementação da TV IFSC.
Também apresentou a proposta
da criação do novo vídeo
institucional do Câmpus, cujas
filmagens contaram com a
colaboração
de
alunos
e
servidores.
A Política de Comunicação do IFSC, construída pela
Dircom com participação dos
servidores do IFSC e orientação
de um consultor contratado,
estabelece diretrizes
para o trabalho de comunicação
institucional do IFSC, prevê a
criação de manuais para sua
operacionalização e trata de temas
como a profissionalização da
comunicação, com setores especializados nos câmpus.
Segundo
a
diretora
Waleria, para que a Política de
Comunicação “saia do papel”, é
necessário que todos os servidores
sejam envolvidos com a proposta
apresentada.
Agenda de março da direção
06 de março - Reunião na Reitoria - Maurício
10 de março - Colégio de Dirigentes - Maurício
13 de março – Abertura da Feira Cidadão do Mundo – Maurício
14 de março – Aula inaugural na Fundação Cultural – Maurício
17 de março – Aula inaugural do mestrado em Educação, Univille – Suely
18 de março – Reunião da Comissão do PDI – Maurício, Valter, Suely
19 de março – Fórum Municipal de Educação – Suely
20 de março - Palestra do Núcleo de Educação Superior - ACIJ – Maurício
24 de março - Colégio de Dirigentes – Maurício, Valter, Angela e Luciano
25 de março - Reunião da Direção - Maurício, Deborah, Valter, Angela
26 de março – Reunião do IPPUJ - Maurício, Rômulo
27 e 28 de março – Encontro de Fiscais de Contratos, Florianópolis – Maurício, Valter
31 de março - Reunião da comissão PDI e direção
Instituto Federal de Santa Catarina | Câmpus Joinville
joinville.ifsc.edu.br
Página
05
Informativo
Câmpus Joinville
Ano 3 | nº 25 | março de 2014
NEAD
A servidora Caroline Guedes é
a nova coordenadora do
Núcleo de Ensino a Distância
– NEAD do Câmpus Joinville.
Ela está alocada provisoriamente na sala dos professores do Bloco 4.
Biblioteca
Bibliotecárias dos câmpus do Norte do Estado reuniram-se em Joinville
Joinville recebe encontro
regional das bibliotecárias
O Câmpus Joinville do
IFSC sediou dia 14 de abril o
Encontro
Regional
das
Bibliotecárias, com a participação de oito servidoras dos
câmpus de Joinville, Jaraguá do
Sul, Geraldo Werninghaus,
Canoinhas, Gaspar e Itajaí.
Durante todo o dia,
foram
discutidos
vários
assuntos, como a migração do
software Sophia para o novo
sistema SIGAA e as ações do
Grupo de Trabalho sobre
desenvolvimento de coleções
(forma de aquisição, avaliação
do acervo, descarte e demais
atividades que norteiam a
composição das bibliotecas do
IFSC).
As bibliotecárias foram
recebidas pelas colegas do
Câmpus Joinville, pelo diretor
do Câmpus, Maurício Taques, e
pelo diretor de Ensino, Valter
Vander de Oliveira.
A
bibliotecária
e
assessora da direção do Câmpus
Joinville, Angela Morel Nitschke
Dums, explica que foi um
momento de troca de experiência
sobre os procedimentos adotados em cada um dos câmpus,
como forma de multiplicar os
bons exemplos e padronizar processos. "Devido à expansão do
IFSC, temos bibliotecas de várias
idades e com estruturas bem
diferentes", afirma.
A participação em cursos
de aperfeiçoamento e a participação dos bibliotecários do IFSC
na revisão do Manual de
Redação e do Manual de
Produção Científica, da Diretoria
de Comunicação, foram outros
assuntos discutidos.
Os próximos encontros
poderão ser realizados nos
demais câmpus da região norte,
como forma de conhecer a
realidade de todas as bibliotecas.
Instituto Federal de Santa Catarina | Câmpus Joinville
joinville.ifsc.edu.br
A Biblioteca do Câmpus Joinville adquiriu novas obras, já
disponíveis para empréstimo
ou consulta local. São mais de
300 títulos nas áreas de Saúde e
Serviços, Metal-mecânica, Elétrica e cultura geral.
Planejamento
Dia 29 de abril, será realizado o
Seminário
Regional
do
Planejamento Estratégico, no
auditório do Câmpus Jaraguá
do Sul, atividade realizada pela
Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional. Participam
do encontro 14 servidores do
Câmpus Joinville.
PDI
A diretora de Ensino, Daniela
de Carvalho Carrelas, estará no
Câmpus Joinville dia 22 de
abril, das 14h às 17h, para
tratar do PDI - Plano de Oferta
de Cursos e Vagas.
Doações
O programa Mulheres Mil
necessita da doação de revistas
velhas, de temas diversos, para
atividades de recorte. O
material pode ser entregue no
Registro Acadêmico.
Página
06
Informativo
Câmpus Joinville
Ano 3 | nº 25 | março de 2014
Entrevista – Ondina Machado de Marichal
“Profissionalmente, sinto que
minha missão foi cumprida”
Sentimento de realização
profissional, de ter feito parte da
construção de um sonho coletivo,
materializado na infraestrutura do
Câmpus Joinville e no sucesso
profissional dos alunos formados
no curso técnico em Enfermagem.
A professora Ondina Machado de Marichal, primeira
docente da Escola Técnica que
deu origem ao Câmpus Joinville
do IFSC, falou sobre sua trajetória
de 19 anos na instituição, um dia
antes de se aposentar.
Ondina
calcula
ter
contribuído com a formação de
cerca de 1,5 mil alunos, em cursos
técnicos e de extensão, em
Joinville e cidades próximas. Apesar de todos os avanços da
Medicina, afirma que a principal
característica de um profissional
da saúde deve ser a empatia –
colocar-se no lugar do outro.
- Como foi o início da Escola
Técnica em Joinville?
Fui a primeira professora do curso
técnico em Enfermagem, criado
em 1995. Eu tinha 31 anos e pouca
experiência como professora, mas
muita
experiência
como
enfermeira. Passei por todos os
setores da profissão. Mesmo como
professora, continuei trabalhando
em hospitais. Nesse tempo, muitas
pessoas me diziam que eu deveria
ser somente professora, que tinha
vocação – colegas de trabalho,
pacientes e alunos, todos diziam
isso. Eu acreditei, mas tinha muita
vergonha de falar em público.
Então, um dia fui para a igreja
vendo Jesus crucificado, alguém lá
disse que toda a vergonha do
mundo Jesus passou naquela cruz.
Professora Ondina (de preto, ao centro) em uma das muitas formaturas do curso em Enfermagem
Isso me inspirou e eu fui perdendo a
vergonha aos poucos. Então, já fiz
muita coisa, já falei com o ministro
da Educação (Tarso Genro na época)
e até com o presidente Lula.
- A instalação do curso foi difícil?
Houve uma época em que não
tínhamos onde nos instalarmos.
Éramos uma extensão do Câmpus
Florianópolis e fomos desafiados a
procurar outro órgão, pois o curso
aqui iria fechar. Então batemos de
porta em porta, na prefeitura, com
deputados, ministro, até conseguir a
sede em Joinville. Eu, os outros
professores e os alunos fizemos
passeatas e audiência pública até
conseguir o terreno. No começo
quase não tínhamos estrutura, não
havia funcionários, a escrituração era
feita por alunos bolsistas. Íamos para
Florianópolis, nas reuniões semanais,
e a BR 101 ainda nem era duplicada.
Instituto Federal de Santa Catarina | Câmpus Joinville
joinville.ifsc.edu.br
- Como era o trabalho nas
extensões?
Fomos chamados pelas prefeituras
de Canoinhas, Porto União, Mafra
e Jaraguá do Sul para ministrar
cursos técnicos porque não havia
esses profissionais lá. Então, de
1999 a 2002 ministramos cursos
nesses municípios. Chegávamos a
fazer 12 horas de trabalho por dia.
Dávamos estágios nas férias
porque não havia quem desse.
Tínhamos um grupo de professores
muito unido, era muito bom. O
resultado foi bastante positivo. Em
Porto União, por exemplo, de uma
turma de 40 alunos, formamos 38,
e todos conseguiram emprego nas
prefeituras. Muitos desses fizeram
ainda a graduação em Enfermagem. Até hoje tenho contato
com os alunos dessa época.
SEGUE NA PRÓXIMA PÁGINA
Página
07
Informativo
Câmpus Joinville
Ano 3 | nº 25 | março de 2014
Continuação Entrevista - Ondina Machado de Marichal
“O profissional tem que ter empatia”
- E as mudanças que
aconteceram ao longo dos
anos, como foram?
Foram muitas épocas de
turbulências, de angústias. Em
2000, começamos a trabalhar
com a avaliação por competências, e não entendíamos bem
como funcionava. Também
começamos o Projeto de Ação
Comunitária, o PAC. Foi
inovador, um desafio muito
grande de por tudo no papel e
depois o mais difícil, fazer sair
do papel. E saiu! Ficou melhor
do que a gente imaginava. De
2000 a 2014 coordenei mais de
30 projetos de ação comunitária. É uma forma de devolver
para a sociedade uma parte do
que ela investe em nós. O aluno
também passa a olhar o mundo
com outros olhos e ainda
aprende que a pesquisa não é
um bicho de sete cabeças.
Nossos alunos aprendem a falar
em público, digo que eles saem
“sem vergonha” daqui.
- Como foi o trabalho de
expansão do Câmpus
Joinville?
Em 2006 tivemos a implantação do câmpus e a expansão.
Foi o pior período, de muitas
mudanças e conflitos. Depois
vieram os resultados, outras
áreas, com outro enfoque, e
hoje a gente vê o pátio cheio de
alunos, de adolescentes, isso é
muito gratificante.
- A senhora se sente realizada,
vendo a qualidade alcançada
Professora
Ondina
(sentada)
durante aula
prática no
laboratório de
Enfermagem.
Para ela,
apesar dos
avanços
tecnológicos,
principal
característica
do
profissional
deve ser a
empatia.
pelo curso técnico em
Enfermagem hoje?
Me sinto realizada ao ver a alta
empregabilidade dos nossos
alunos. Noventa e oito por cento
deles já saem empregados e
muitos ainda vão para a
graduação. Já fui cuidada e tive
familiares cuidados por exalunos e vejo a qualidade da
formação que eles têm. Temos
toda
infraestrutura,
um
laboratório modelo que foi
montado peça a peça, desde a
época da Escola Técnica. Nosso
aluno aprende não somente a
parte técnica, mas também
humanização.
- Atualmente, qual o perfil de
um profissional da área da
saúde, em uma época de tantos
avanços tecnológicos?
Instituto Federal de Santa Catarina | Câmpus Joinville
joinville.ifsc.edu.br
O profissional tem que usar a
empatia, saber se colocar no lugar
das pessoas - e isso não se ensina,
é da personalidade dele. Mesmo
com todo o avanço tecnológico,
se a pessoa não tem empatia, não
fica muito tempo na área.
- Qual seu sentimento nesse
momento de despedida?
Saio feliz, só tenho a agradecer a
Deus e também aos meus
colegas. Aprendi muito com eles.
Sinto que profissionalmente
minha missão foi cumprida.
Quero me dedicar agora ao
trabalho voluntário que faço na
Igreja Católica e fazer um
doutorado em Teologia. Já tenho
mestrado em Saúde em Gestão
no Trabalho e três pós-graduações em Educação. Agora vou
fazer outra coisa.
Página
08
Download

Leia o InfoJoi