SHEILA ANTONY
2011
sheilaantony@yahoo.com.br
A adolescencia é um fenomeno biológico,
psicológico e social que afeta o individuo em
sua totalidade organísmica-existencial.
A palavra adolescente tem uma dupla origem
etimológica. Vem do latim ad (a, para) e
olescer (crescer), significando processo de
crescimento e também de adoecer. Portanto,
adolescer representa aptidão para crescer e
adoecer.
A OMS considera a adolescencia como constituída
em 2 fases (10-16anos e 16-20 anos). Em geral
distingue-se 3 etapas com flutuações
progressivas e regressivas.
1) Adolescencia inicial (10 a 14 anos) :
transformações corporais e psiquicas.
2) Adolescencia média (14 a 17 anos): passagem
da bissexualidade para a heterossexualidade.
3) Adolescencia final (17 a 20 anos):
estabelecimento de novos vínculos com os pais,
a questão profissional, a aceitação do novo corpo
e dos processos psiquícos do mundo adulto.


O Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)
foi instituído pela Lei 8.069 no dia 13 de
julho de 1990. Ela regulamenta os direitos
das crianças e dos adolescentes inspirado
pelas diretrizes fornecidas pela Constituição
Federal de 1988, internalizando uma série de
normativas internacionais.
Art. 2º Considera-se criança, para os efeitos
desta Lei, a pessoa até doze anos de idade
incompletos, e adolescente aquela entre doze
e dezoito anos de idade.







Luto do corpo (redefinição da imagem corporal)
Luto das imagens parentais da infancia
Reorganização da identidade e delimitação da
individualidade.
Aceitação da sexualidade e definição da
identidade sexual.
Busca da independencia dos pais e
estabelecimento de um novo vinculo parental.
Escolha de uma carreira profissional.
Construção de um sistema pessoal de valores
moral, social, cultural.
McConville (1995):
1) O adolescente está desprendendo-se do
campo familiar.
2) O adolescente está aumentando a
capacidade de interiorização.
3) O adolescente está integrando as mudanças
internas e externas - criando novas
modalidades de contato/engajamento e
reorganizando a identidade.





Ampliação da consciência como um todo (corpomente-outro-ambiente).
Definição das fronteiras do self e fronteiras do
ego (manifestação e organização da identidade )
Delimitação das fronteiras de contato (a relação
com o outro, com o grupo, com os pais).
Oposição aos introjetos familiares e sociais.
Busca pela libertação da confluência familiar
(substituição do vinculo de dependencia infantil).
“Considera-se normal um adolescente que se
comporte durante um longo período de maneira
incoerente e imprevisível; que se oponha a seus
impulsos e os aceite; que consiga evitá-los e se
sinta submetido a eles; que ame seus pais e os
odeie; que se rebele contra eles e que dependa
deles; que se sinta envergonhado de reconhecer
sua mãe frente aos demais e que deseje de todo
coração falar com ela; que busque a imitação e a
identificação com outros, enquanto busca sem
cessar sua identidade; que seja idealista, amante
da arte, generoso e desinteressado, porém também
o contrário, que seja egocentrico, egoísta e
calculador...Existem poucas situações na vida que
sejam mais difíceis de enfrentar que a de um filho
ou uma filha adolescente que luta por liberar-se”.
(Anna Freud)
1)
2)
3)
4)
funcionamento em casa
relacionamento com os pais
funcionamento na escola ou no trabalho
relacionamento com o grupo social






Cadeira vazia.
Diálogo de polaridades.
Uso de bonecos para trabalhar as relações
familiares, situações da vida escolar.
Argila para mobilizar emoções, corpo,
energia agressiva.
Sentenças-eu.
Livros, estórias.
Download

GESTALT-TERAPIA DA ADOLESCENCIA