SER LIVRE E SER FELIZ
Encontros com adolescentes e jovens
Coleção Catequese Permanente
Roteiros para encontros
PRÉ-EVANGELIZAÇÃO
com crianças de 5 a 7 anos
Volume 1: Conhecendo Jesus
Volume 2: Seguindo Jesus
Volume 3: Caminhando com o povo de Deus
EVANGELIZAÇÃO FUNDAMENTAL
com crianças de 8 a 11 anos
Volume 1: Deus é amor
Volume 2: Jesus, nosso Salvador
Volume 3: O Espírito Santo nos sustenta
Volume 4: Somos Igreja
CATEQUESE COM ADOLESCENTES E JOVENS
Volume 1: Ser livre e ser feliz
Volume 2: Viver e conviver
Volume 3: Compreender o mundo
Volume 4: Comprometer-se
subsídios
Volume 1: Elementos de didática na catequese, Pe. Orione Silva e Solange Maria do Carmo
Volume 2: Organização paroquial na catequese, Pe. Orione Silva e Solange Maria do Carmo (em preparação)
Pe. Orione Silva
Solange Maria do Carmo
SER LIVRE E SER FELIZ
Encontros com adolescentes e jovens
Catequese Permanente
Aprofundando a fé cristã
Módulo 1
Direção editorial: Claudiano Avelino dos Santos
Coordenação editorial: Jakson de Alencar
Ilustrações: Mirella Spinelli
Capa: Marcelo Campanhã
Revisão: Cícera G. S. Martins
Iranildo Bezerra Lopes
Diagramação: Dirlene França Nobre da Silva
Impressão e acabamento: PAULUS
CD Gravado e Mixado no STUDIO LABORATÓRIO MUSICAL
Matipó-MG (31) 3873-1576
Produção musical: Paulo Felix Delesposte
Arranjos: Paulo Felix e Elias Pires
Violões: Paulo Felix e Elias Pires
Baixo: Paulo Felix e Elias Pires
Bateria: Elias Pires
Samples: Paulo Felix Delesposte
Voz: Fabio Adriano e Ariane Kelly Silva
Mixagem e masterização: Paulo Felix Delesposte
Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)
(Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)
Silva, Orione
Ser livre e ser feliz: encontros com adolescentes e jovens: aprofundando a fé cristã: módulo 1 / Orione Silva, Solange Maria do Carmo. — São Paulo: Paulus, 2014. — (Coleção
Catequese permanente)
ISBN 978-85-349-4065-8
1. Adolescentes 2. Catequese - Igreja Católica 3. Encontros religiosos 4. Evangelização
5. Fé 6. Jovens 7. Vida cristã I. Carmo, Solange Maria do. II. Título. III. Série.
14-10684
Índices para catálogo sistemático:
1. Catequese: Adolescentes e jovens: Cristianismo 268.433
1ª edição, 2014
© PAULUS – 2014
Rua Francisco Cruz, 229
04117-091 – São Paulo (Brasil)
Tel. (11) 5087-3700 • Fax (11) 5579-3627
www.paulus.com.br
ed[email protected]
ISBN 978-85-349-4065-8
CDD-268.433
Introdução
Este é o módulo 5 da catequese permanente, também intitulado Ser livre
e ser feliz. Nos quatro módulos anteriores, demos condições para que os catequizandos fizessem as experiências básicas da fé cristã: saborear o amor infinito de Deus Pai (módulo 1), conhecer Jesus Cristo como salvador (módulo 2),
perceber a força transformadora do Espírito, que nos capacita a ser discípulos
(módulo 3) e desenvolver os laços de pertença à Igreja (módulo 4). Agora é
hora de promover outra experiência, também fundamental para a vida cristã:
o encontro consigo mesmo.
Muitos poderão protestar, argumentando que a fé cristã corre o risco de ser
transformada em psicologia, e que as Escrituras podem ser vistas como livro de
autoajuda. Não é sem razão a advertência. Mas se a Boa-nova de Jesus é força
para viver, não teria a fé cristã que se preocupar com o bem-estar de quem a
acolhe? Estamos fartos de cristãos cheios de doutrina e vazios de entusiasmo
com a fé e com a própria vida. Cristãos tristes, sem entusiasmo, sem vigor, que
acolheram a fé cristã por tradição, mas não se beneficiam da força transformadora que ela oferece. O apóstolo Paulo intuiu a importância dessa energia de
vida que a fé cristã oferece. Não são poucos os textos onde ele afirma que quem
está em Cristo é uma nova criatura, que tudo se fez novo em Cristo. A fé cristã
carrega em si uma força, uma potência, uma energia assustadora. E essa energia
tem sido transformada na obrigação de cumprimentos de preceitos, sem dar aos
cristãos aquilo que lhes é garantido por Jesus, por direito: a força para viver. Nenhum teólogo de bom senso pode negar que os relatos dos Evangelhos mostram
a força transformadora do encontro com Jesus. Os evangelistas são unânimes
em afirmar que quem fazia seu encontro com Jesus não descobria só um mestre
a quem seguir, mas também uma força para viver. Cada seguidor do Mestre de
Nazaré, motivado por sua presença amorosa, reencontrava dentro de si um tesouro escondido: o que havia de melhor em si mesmo, o seu “melhor eu”.
Foi pensando nisso que dedicamos este livro ao tema ser livre e ser feliz.
Os adolescentes – ainda mais que as pessoas de outras faixas etárias – buscam
com afinco a felicidade. Eles se rebelam, se revoltam com a vidinha medíocre
que o mundo lhes apresenta como possível. Eles querem experimentar algo
mais, desejam mais. Esse desejo – próprio da idade, das mudanças hormonais,
5
das descobertas da vida – facilita o debate sobre a liberdade e a felicidade,
ainda mais em tempos atuais, em que se valoriza tanto a felicidade, a ponto
de ser condenado por muitos como tempo de narcisismo, hedonismo, presentismo, individualismo etc. Se, na cristandade, gastávamos nossa energia na
transmissão da tradição, tão importante para a preservação dos valores e, na
modernidade, nos consumíamos em prol de um reino futuro, uma terra sem
males, hoje nossos jovens gastam todo o seu potencial numa busca louca e
desenfreada pela felicidade. É, pois, papel da catequese ajudá-los nessa busca.
A catequese deve ser espaço para falar livremente dos sonhos, das esperanças,
das angústias, das revoltas. Ela deve favorecer o encontro do catequizando
consigo mesmo, para que, na amizade com Jesus, encontre a si mesmo, descubra o que há de melhor dentro de si e tenha forças para enfrentar a vida.
Não se assuste, então, o catequista quando se deparar com encontros que
– pela mediação da fé cristã – vão propor temas como os temperamentos, suas
características básicas, os sentimentos mais frequentes como raiva, angústia,
tristeza. É a vida do adolescente tornada tema de reflexão; é a vida dele em
debate. Os conteúdos da fé cristã, tão importantes, não serão esquecidos, mas
serão mediação para a experiência cristã de Deus, que acontecerá no íntimo
do coração de cada um, quando se descobrir livre e feliz, graças a Jesus Cristo,
que tanto o amou. É como a água: ela pode ser bebida e, com isso, manterá a
vida das pessoas. Mas nem toda água é para ser bebida; é para lavar, banhar,
proporcionar prazer, alegrar, simbolizar. Não nos preocupemos tanto, nesta
etapa, em dar conceitos e doutrinas. A água da fé cristã, nesse caso, não é para
beber. É como a água do mar: ninguém bebe a água do mar; a gente mergulha
nela e sai dele renovado, caso contrário, seríamos tragados por sua força bravia
e morreríamos afogados. Que cada catequista ajude sua turma a fazer o mergulho dentro de si mesmo, pela mediação da fé cristã, que é força para viver!
Lembramos aos catequistas que agora eles dispõem de um recurso a mais
em sua formação – o site <www.fiquefirme.com.br>, que foi criado especialmente para este fim: ajudar as pessoas a fazerem sua caminhada com Jesus
com mais ânimo e firmeza. O “fiquefirme” é um site de assessoria teológico-pastoral, com linguagem fácil, teologia confiável e espiritualidade profunda.
Lá os catequistas encontrarão desde artigos acadêmicos até causos, fábulas,
testemunhos, poesias, crônicas, orações, vídeos, músicas. Tudo para acompanhar a formação teológica e espiritual dos agentes das pastorais, especialmente
os catequistas. Há, ainda, uma coluna só sobre catequese, com artigos diversos, encontros e músicas. Além disso, o leitor pode deixar seus comentários ou
tirar suas dúvidas por meio do endereço eletrônico que lá se encontra. Tomara
que vocês gostem da novidade!
Desejamos a todos os catequistas um ótimo trabalho. E que Deus os
abençoe!
Os autores
6
Primeira Etapa
Convivendo com os dramas
da vida
Vamos iniciar este módulo propondo uma reflexão sobre a vida, seus dramas, alegrias e conflitos. E mais: vamos refletir sobre a nossa presença no
meio desse turbilhão de coisas. A vida é bela, mas é sofrida. Somos livres, mas
nem tanto. Somos responsáveis pelas nossas decisões, mas há coisas que nos
escapam. Viver o presente é sabedoria, mas desconsiderar o passado e o futuro
é imprudência. Então, a vida parece bem mais complicada do que pensamos
inicialmente. O que fazer?
Bom, primeiramente, a atitude mais acertada é enfrentar os dramas da
vida, tomando conhecimento da infinitude de possibilidades e emoções que a
tecem. É este o objetivo dessa etapa: conversar livremente sobre a vida, sem
receios, sem culpas, sem pudores e sem máscaras. Essa oportunidade de falar
sobre a vida, de partilhar as angústias, de rezar os dramas que ela oferece,
pode ser libertadora. Isso ajudará cada adolescente a se posicionar com mais
firmeza diante das intempéries da vida, pois – temos de admitir! – a vida tem
muitas intemperanças, muitas noites traiçoeiras, muitas tempestades que parecem afundar o barquinho frágil de nossa vida. Fará bem aos catequizandos
falar sobre isso e procurar caminhos para essas tribulações juntamente com
outros companheiros.
Que o catequista prepare bem os encontros para não ser pego de surpresa. Apesar de o tema proposto parecer corriqueiro – não se engane o
catequista! –, os encontros são exigentes. Falar da vida de qualquer modo
pode até ser fácil, mas falar da vida e de seus conflitos a partir da ótica cristã,
7
mergulhando no mundo da fé cristã, não é tarefa de pouca importância. Os
encontros exigem conhecimento do tema, especialmente da Bíblia; abertura
de coração e capacidade de diálogo. Certamente os encontros ajudarão o
próprio catequista a entender melhor a vida e a enfrentar seus dramas com
mais otimismo e força.
8
Download

SER LIVRE E SER FELIZ Encontros com adolescentes e