REALIDADE DA JUVENTUDE
CAPIXABA: UM OLHAR PARA O
CHÃO QUE NOS DESAFIA
Ms. Hingridy Fassarella Caliari
Assistente Social
Prfª. Departamento de Serviço Social
EMESCAM
Observatório Capixaba de Juventude
Por que falar de jovem?
Brasil
• 50% dos jovens da América Latina;
• 50,2 milhões de pessoas, o que corresponde
a 26,4% da população total (190 milhões);
• “Questão Juvenil” dos anos XXI;
Onda jovem
ESPÍRITO SANTO
POPULAÇÃO JOVEM
• 3,5 milhões população total;
• 947 mil pessoas de 15 a 29 (IBGE, 2010);
• presença de um jovem a cada 3,6 capixabas;
ONDA JOVEM
Quem é Jovem?
•
•
•
•
Organização das Nações Unidas (ONU)
Banco Mundial
Organização Internacional do Trabalho (OIT)
IPEA;
População entre 15 e os 24 anos
Quem é Jovem?
• Conselho Nacional da Juventude (CONJUV)
• Organização Ibero-Americana de Juventude (OIJ)
População entre 15 a 29 anos
15 a 17 anos(Jovem-adolescente), de 18 a 24 (JovemJovem) anos e de 25 a 29 anos (Jovem-Adulto)
• Para Pochman (2004) expectativa de vida
População entre 16 a 34 anos
Pesquisa de opinião Perfil da
Juventude Brasileira – 2003
• as coisas boas de ser jovem:
▫
▫
▫
▫
▫
não ter responsabilidades,
poder aproveitar a vida,
ter liberdade,
fazer amizades,
ter saúde e disposição física, mas também poder
estudar e adquirir conhecimentos e poder
trabalhar
Pesquisa de opinião Perfil da
Juventude Brasileira – 2003
• os assuntos que mais lhes interessavam:
▫ Educação;
▫ trabalho e;
▫ oportunidades de cultura e lazer;
• as coisas ruins de ser jovem:
▫ o convívio com riscos variados – drogas, violência,
más companhias;
▫ a falta de trabalho e renda;
▫ além da falta de liberdade expressa pelo controle
familiar;
A duração e a qualidade desta etapa
do ciclo da vida
•
•
•
•
Classe social;
Gênero;
Raça/cor;
Desenvolvimento da Região;
Questão Social-Juventude
• per capita de até meio salário mínimo(SM)
▫ 30,6% dos jovens;
• per capita entre meio e dois SMs▫ 53,7% dos jovens;
• per capita superior a dois SMs▫ 15,7% dos jovens
Cerca de 84% dos jovens
brasileiros podem ser
considerados pobres no
Brasil
Violência /jovens brancos e negros
• “novos padrões da mortalidade juvenil”;
Doenças infecciosas
causas externas
Acidentes de transito e homicídios
(72% ou ¾ das mortes)
VIOLÊNCIA-BRASIL
Mapa da Violência, 2011
RANKING DE HOMICÍDIO DA POP TOTAL
POR 100 MIL HAB.
Mapa da Violência,
2012
ESTADO-HOMICÍDIOS DE JOVENS 15 A
24 ANOS POR 100 MIL HAB.
Mapa da Violência, 2012
CAPITAL –HOMICÍDIO JUVENTUDE POR
100 MIL HAB.
Mapa da Violência, 2012
MUNICÍPIO –HOMICÍDIO JUVENTUDE
POR 100 MIL HAB.
Mapa da Violência, 2012
HOMICÍDIO POR IDADE
HOMICIDIO RAÇA/COR JOVEM
As chances reais de JOVENS NEGROS chegarem
a vida adulta são 111,2% menor do que dos jovem
branco;
3X MAIS JOVENS NEGROS MORREM QUE
JOVENS BRANCOS
Extermínio da
Juventude Negra
ES-Trabalho e Juventude
População Economicamente Ativa
(PEA)
• Do total de jovens: 73,1% se declararam
como PEA:
▫ 41,0% de 15 a 17 anos;
▫ 77,2% de 18 a 24;
▫ 85,6% de 25 a 29 anos
Desemprego - jovens capixabas de 14, 1%
7,5 % população total
Educação e Juventude
• Em 2009, a escolaridade média da população: 9,2
anos de estudo;
• Analfabetismo (não saber ler e escrever): 1,21%;
▫ 73,9% em áreas urbanas e 26,1% em áreas rurais;
• Analfabetismo Funcional (igual ou inferior a
quatro anos de estudo): 5,1%.
▫ 92,0% em áreas urbanas e 7,1% em áreas rurais;
• Maior nível de escolaridade entre os jovens das
áreas urbanas (9,5 anos de estudo) em relação aos
jovens das áreas rurais (7,6 anos de estudo).
QUEM ESTUDA?
• 29% DOS JOVENS
PNAD, 2009.
Coordenação de Estudos Sociais-IJSN, 2012.
ES-Quantos anos de estudo?
PNAD, 2009.
Coordenação de Estudos Sociais-IJSN, 2012.
ES-Ensino público ou privado?
PNAD, 2009.
Coordenação de Estudos Sociais-IJSN, 2012.
ES-Trabalho, estudo e tempo livre
(2009)
• (51,4%) só trabalhava;
• 19,2% não trabalhavam nem estudavam
(em média 200 mil);
• 17,1% só estudavam ;
• 12,4% trabalham e estudavam;
Acesso a computador com internet
PNAD, 2009.
Coordenação de Estudos Sociais-IJSN, 2012.
REALIDADE DA JUVENTUDE CAPIXABA: UM
OLHAR PARA O CHÃO QUE NOS DESAFIA
[email protected]
[email protected]
Observatório Capixaba de Juventude
Tel:(27) 81418929
Referências
• ANDRADE, Carla Coelho de; AQUINO, Luseni Maria C. de; castro,
Jorge Abrahão De. Juventude e Políticas Sociais no Brasil.
Brasília : Ipea, 2009.
• CALIARI, Hingridy F. Um ensaio sobre a participação política
da juventude brasileira. Dissertação (Mestrado em Política Social)
– Programa de Pós Graduação em Política Social Universidade Federal
do Espírito Santo, Vitória, 2009.
• IJSN. Perfil da Juventude e Políticas Públicas no Espírito
Santo. ES: Instituto Jones dos Santos Neves, 2012.
• JACOBO, Julio W. Mapa da Violência 2011: Os jovens do Brasil.
Instituto Sangari.
• POCHMANN, M. Juventude em busca de novos caminhos no Brasil.
In: NOVAES, R. et al (org). Juventude e Sociedade: trabalho,
educação, cultura e participação. São Paulo: Editora Fundação Perseu
Abramo, 2004, p. 217-241.
Download

Realidade da Juventude Capixaba (CF 2013)