REVISTA
WWW.SETCESP.ORG.BR
São Paulo . Ano 01 . nº 04
INTERNACIONAL
Viagens técnicas
ajudam o transporte
DIRETORIA ADJUNTA
Conheça a nova Diretoria
de Transporte de Bebidas
FOCO NA SEGURANÇA
NO TRÂNSITO
Revista SETCESP - julho 2013 | 1
EDITORIAL
Motorista: a chave da
segurança no trânsito
P
ode parecer óbvio dizer que a figura do motorista é a grande resposta para a segurança viária e principalmente nas operações
de transporte rodoviário de cargas, mas o foco neste
profissional precisa ganhar cada vez mais força no setor para que tenhamos mão de obra mais qualificada
e especializada, com resultados de mais segurança nas
estradas.
O Brasil é um dos campeões mundiais da violência
no trânsito e este assunto tem sido debatido de forma
direta e criteriosa no SETCESP e nas demais entidades
que representam o transporte de cargas brasileiro.
A Lei 12.619, que regulamenta o trabalho dos motoristas e estabelece a obrigatoriedade de controle
da jornada de trabalho e do tempo de direção tem o
claro objetivo de transformar o ambiente das rodovias
brasileiras em algo mais humano, mais seguro e com
menos fatalidades.
Fomentar este debate entre as empresas e os órgãos fiscalizadores, conscientizar os transportadores
da importância das práticas de segurança no trânsito
e disseminar estas ideias são as missões do transporte
brasileiro neste década da Segurança Viária da ONU,
período em que os olhos do mundo estão voltados
para a questão dos acidentes de trânsito.
O SETCESP realizou em julho o seminário que debateu a segurança no trânsito no transporte de cargas,
nosso assunto de capa, e recebeu neste evento diversos especialistas para traçar um panorama deste problema e apontar para as possíveis soluções.
Confira a reportagem completa do evento nesta
edição, que traz em detalhes os principais trechos das
palestras, o alarmante cenário da violência no trânsito
no Brasil, números de acidentes e possíveis medidas
para evitar e prevenir as ocorrências.
Outro tema de destaque é o ingresso de representantes do SETCESP no Conselho Municipal de Trânsito
e Transportes, grupo criado pelo prefeito de São Paulo,
Fernando Haddad, para debater as principais necessidades da metrópole nos assuntos ligados ao trânsito, à
mobilidade urbana e ao transporte público. O SETCESP,
mais uma vez, mostra sua posição de vanguarda nos
assuntos da mobilidade de São Paulo e se faz representar em um importante foro de debates para a cidade.
Também nesta edição, confira algumas das principais
dúvidas que os transportadores têm ao renovar ou
emitir seu Registro Nacional de Transportador Rodoviário de Carga (RNTRC), documento obrigatório exigido
pela ANTT para a atividade de transporte.
Por fim, leia também um artigo da NTC&Logística
sobre o posicionamento das empresas de transporte
a respeito da Lei 12.619, as novidades das Diretorias
Adjuntas do SETCESP e muito mais, nesta nossa quarta edição da Revista SETCESP.
Boa leitura!
Manoel Sousa Lima Jr.
Presidente
Fale com o presidente: [email protected]
2 | Revista SETCESP - julho 2013
Revista SETCESP - julho 2013 | 3
EXPEDIENTE
ÍNDICE
Sindicato das Empresas de Transportes de
Carga de São Paulo e Região
• Presidente: Manoel Sousa Lima Jr.
• Vice-presidentes: Tayguara Helou, Adriano Depentor, Roberto Mira,
Roberto Granero e André Ferreira
• Secretários: Ana Carolina Ferreira Jarrouge - Suplentes: Celso Rodrigues
Salgueiro Filho e Olavo Erineu Braido
• Tesoureiros: Titular: Roberto Mira Jr. - 1º Suplente: Altamir Filadelfi Cabral
2º Suplente: Celso Masson
• Conselho Fiscal: 1º Titular: Oswaldo Dias de Castro 2º Titular: Antonio Luiz Leite - 3º Titular: Jackson Martins Cruz
1º Suplente: José Maria Gomes - 2º Suplente: Alexandre Duarte
3º Suplente: Rogério Simão Helou
• Delegados representantes: Titular: Manoel Sousa Lima Jr.
Suplente: Francisco Pelucio.
• Conselho Superior: Aristóteles de Carvalho Rocha,
Romeu Natal Panzan, Rui César Alves, Urubatan Helou e Francisco Pelucio.
REVISTA SETCESP
• Publicação mensal do Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de
São Paulo e Região.
18
24
28
VIAGENS TÉCNICAS
EIXO SUSPENSO
TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO
SETCESP ganha o mundo para trazer conhecimento sobre o transporte e melhorar setor
Pedágios paulistas ficam ainda mais caros
para o transporte de cargas
SETCESP retoma trabalhos de Diretoria Adjunta para estudar a TI aplicada ao TRC
Rua Orlando Monteiro, nº 1 - Vila Maria - São Paulo / SP
CEP: 02121-021 - Telefone: (11) 2632-1000
Fax: 2954-6493 - Sugestões de pauta e contato da redação:
[email protected]
Site: www.setcesp.org.br
• Conselho Editorial: Presidente: Manoel Sousa Lima Jr. Conselheiros: Tayguara Helou, Ana Carolina Ferreira Jarrouge, Roberto Mira Jr.,
André Ferreira, Adauto Bentivegna Filho e Leonardo Andrade.
• FICHA TÉCNICA:
Capa: Fernanda de Campos
Editoração/Produção e Fotos: Campos e Andrade Comunicação
www.camposeandrade.com.br
Projeto Gráfico: Fernanda de Campos
Consultoria técnica de fotografia: Gregor Osipoff
Revisão: Frederico Doca
Redação e Reportagem: Leonardo Andrade e Victor José
Colaboração: Viviane Masetto
Jornalista Responsável/Editor-Chefe:
Leonardo Andrade - MTB: 39.540
Tiragem: 4.000 exemplares
06
SEGURANÇA NO TRÂNSITO
Evento na entidade traçou um panorama do
problema dos acidentes viários no Brasil
SEÇÕES
ENTIDADE
Representantes da Agende Guarulhos
visitam SETCESP
ESPAÇO DO MANTENEDOR 26
Nesta edição, saiba quais são os produtos e serviços em rastreamento de frotas que o associado mantenedor 3S oferece ao mercado de transporte de cargas
38
COLUNA SUSTENTABILIDADE Veja neste mês o exemplo da RG LOG e suas iniciativas para
mitigar o impacto ambiental de suas operações por meio
da neutralização de carbono
WWW.SETCESP.ORG.BR
São Paulo . Ano 01 . nº 04
48
Edição nº 4 - ano I
REVISTA
INTERNACIONAL
Viagens técnicas
ajudam o transporte
DIRETORIA ADJUNTA
Conheça a nova Diretoria
de Transporte de Bebidas
FOCO NA SEGURANÇA
NO TRÂNSITO
A capa desta edição traz a iconografia do trânsito com o volante em primeiro plano e o semáforo ao fundo
para representar a preocupação do
SETCESP com a violência no trânsito,
uma questão que preocupa até mesmo a Organização das Nações Unidas.
O Brasil é o quarto no ranking mundial de mortes no trânsito e precisa
trabalhar muito para diminuir a violência que mancha com sangue suas
ruas e estradas. O SETCESP promoveu
o debate durante evento com grande
comparecimento de público.
DIRETORIAS DE ESPECIALIDADES Confira o resumo das atividades das Diretorias Adjuntas de
Especialidades, com as reuniões, os temas debatidos, as visitas técnicas e os detalhes do trabalho dos grupos
Adriano Depentor
Conheça o perfil do vice-presidente do SETCESP responsável pelas negociações trabalhistas
30
54
ENTIDADE
Confira a lista dos novos associados do SETCESP, empresas
que ingressaram no mês de maio no quadro associativo da
entidade e que se uniram pelos objetivos do setor
58
Revista SETCESP - julho 2013 | 1
14
TRT CAMPINAS
Representante do SETCESP participa de evento
do Tribunal sobre acidentes no trabalho
4 | Revista SETCESP - julho 2013
INDICADORES ECONÔMICOS Números divulgados pelos principais órgãos econômicos
e tabelas produzidas pelo Departamento de Economia do
SETCESP
Celso Masson
O diretor que representa Guarulhos trabalha fortemente para ajudar associados da região
32
66
Revista SETCESP - julho 2013 | 5
DEBATE NO TRANSPORTE
Segurança no
Trânsito em
debate no
SETCESP
Evento na entidade joga luz sobre o tema e questiona o papel do transportador no cenário dos acidentes de trânsito. Brasil está entre os países com maior
ocorrência por mortes em acidentes
6 | Revista SETCESP - julho 2013
O SETCESP recebeu no final de julho, com iniciativa da Diretoria Executiva e
organização da diretora Ana Carolina Ferreira Jarrouge, o I Seminário Segurança
no Trânsito no TRC: prevenção e consequências dos acidentes de trânsito, evento
que reuniu com casa cheia na sede do Sindicato os principais especialistas e profissionais envolvidos com o tema para esclarecer aos transportadores associados
as responsabilidades e o tamanho do problema no setor.
“O evento em si traz um tema polêmico e de extrema importância para o nosso setor, tanto com relação à edição da Lei 12.619, promulgada para diminuir
os acidentes e as mortes nas estradas e com o foco na segurança no trânsito, e
também com relação à aplicação de exames toxicológicos dentro das empresas.
Acho que não havia momento mais propício para a realização deste evento, que
Revista SETCESP - julho 2013 | 7
DEBATE NO TRANSPORTE
O Brasil é o 4º no ranking mundial de mortes no trânsito
trouxe muita informação para os nossos associados, mostrando como as empresas podem se programar e melhorar a prevenção e o atendimento
aos casos de acidentes, diminuindo o número de
casos e diminuindo os usuários de álcool e drogas, que são vetores desses acidentes”, avalia a
diretora Ana.
O presidente do SETCESP, Manoel Sousa Lima
Jr., abriu o evento ressaltando a urgência do
tema e a importância do debate para o dia a dia
do transportador. “O momento do acidente é crítico para qualquer transportadora e é necessário
tomar uma série de atitudes que necessitam de
conhecimento por parte do motorista e das equipes envolvidas. Com este seminário, esperamos
minimizar as dificuldades dos transportadores
nestes momentos tão complicados”, disse o presidente.
O primeiro palestrante do Seminário foi Eduardo Biavati, da empresa Em Trânsito Consultoria,
com o tema “Panorama Mundial e Nacional da
Violência no Trânsito”. De posse de dados estatísticos, Biavati mostrou o tamanho da violência
no trânsito no Brasil, que resultou, somente em
2011, em mais de 43 mil mortes em 12 meses.
“Evitar os acidentes está mais ao nosso alcance
8 | Revista SETCESP - julho 2013
do que estamos habituados a entender. Estamos
na Década da ONU de Ação para o Trânsito Seguro e a meta das Nações Unidas é reduzir em 50% o
número de mortes previstas até 2020. O Brasil é o
quarto no ranking mundial de mortes no trânsito”,
alertou Biavati.
Segundo o palestrante, há 10 anos o Brasil não
contabiliza menos de 30 mil mortos no trânsito
por ano. Para o especialista, a situação está fora
de controle. “Estamos assistindo a um grande aumento na motorização da população nos últimos
anos e isto está diretamente ligado ao número de
acidentes. No transporte de cargas, temos também um número alarmante. Apesar de corresponderem a apenas 3% da frota circulante no País, os
caminhões estão envolvidos em cerca de 29% dos
acidentes com mortes”, disse o especialista.
Primeiro Painel
Após a apresentação de Biavati, o primeiro painel do evento foi aberto com o tema “Medidas
Preventivas a serem Adotadas pelas Empresas de
Transporte e Logística”. Os primeiros a participar
do painel foram os policiais militares instrutores
em treinamentos e consultorias Alexandre Daniel
e Alessandro Ferro. De acordo com eles, o foco
na prevenção pode trazer grandes resultados
para as empresas e evitar prejuízos e perda de
vidas. “Um dos maiores causadores de acidentes
de trânsito é a falta de conhecimento da legislação e das regras de trânsito. Antes do acidente,
acontece a infração de trânsito”, disse o policial
Alessandro Ferro.
Alexandre Daniel falou sobre a fiscalização
realizada nas rodovias e os principais flagrantes
encontrados pelos policiais: “Vemos muitos casos de falta de manutenção nos veículos, carga
mal arrumada, equipamentos impróprios para o
uso, veículos sem tacógrafo, ausência de extintores, entre tantas outras infrações que, se fossem
evitadas, poderiam prevenir os acidentes”, explicou o profissional.
Em seguida, dentro do mesmo painel, o advogado especialista em transporte de cargas, assessor Jurídico do SETCESP, Dr. Narciso Figueirôa
Jr. falou sobre os direitos e deveres dos motoristas, no sentido de que as empresas podem realizar testes em seus trabalhadores para verificar a
presença de drogas e álcool. Esta é uma medida
preventiva, segundo o advogado. “A Lei 12.619,
que regulamenta a profissão de motorista, traz
direitos e deveres aos profissionais e às empresas. O profissional do volante deve se submeter
a testes e programas de erradicação de álcool e
drogas nas empresas. Estes programas de controle, instituídos pelos empregadores, trazem
questionamentos sobre a interferência no direito
individual do motorista, mas o não cumprimento
destes procedimentos afeta o coletivo, que precisa conviver com um trânsito seguro”, argumentou Narciso.
Para fechar o painel sobre prevenção, a biomédica Grazziele Cristine de Araújo, da Psychemedics
Brasil, apresentou uma exposição sobre o tema
“Programa Corporativo de Controle de Álcool e
Drogas”. Segundo a palestrante, que teve o objetivo de demonstrar como as empresas de transporte podem adotar medidas simples para inibir
o uso de álcool e drogas no trabalho, a lei não explicita o tipo de teste que deve ser feito com os
motoristas, ficando a cargo da empresa a escolha
do procedimento. “Existem diversos tipos de exames que podem ser realizados com os motoristas:
laboratoriais, pré-admissionais, pós-acidente, etc.
Também são vários os tratamentos que podem
ser aplicados em caso de dependência. “O mais
importante é criar uma cultura de conscientização e conhecimento dentro da empresa. Quanto
mais a transportadora realizar eventos com conteúdo para seus motoristas, com palestras, debates e muita informação, melhor será para o dia
a dia desses trabalhadores nas ruas e estradas”,
complementou a biomédica.
Segundo painel
A abertura do segundo painel, que teve como
tema central as consequências dos acidentes, ficou a cargo de Márcio Montesani, diretor Técnico do Núcleo de Perícias Técnicas. O palestrante
falou sobre “Como desenvolver e implantar um
programa de atendimento e análise de acidentes”,
orientando as transportadoras sobre a montagem
de um sistema de resposta aos acontecimentos.
“Quando um acidente com um caminhão da empresa acontece, ele pode trazer diversas consequências à vida das pessoas, ao nome da empresa e
aos envolvidos. É por isso que é tão importante
investigar cada acidente para que se possam mensurar as principais causas e adotar medidas para
evitar os próximos acidentes”, disse Montesani.
O palestrante Eduardo Biavati voltou ao segundo painel para falar sobre o tema “Entre mortos e
feridos: consequências da longa duração da violência no trânsito”, em que expôs a necessidade de
treinamento constante das equipes operacionais,
o uso das ocorrências como exemplo para evitar
os acidentes futuros e a necessidade de mudança
do comportamento das pessoas. “Hoje, 53% dos
acidentes de trânsito acontecem com vítimas na
faixa etária entre 15 e 39 anos, 82% homens. Esta
é uma tendência mundial muito preocupante, que
faz com que a base da pirâmide diminua, pois há
um número enorme de jovens na idade de buscar
o primeiro emprego tendo suas vidas ceifadas no
trânsito. As sequelas na sociedade deixadas pelos
acidentes são muitas e são profundas. A cada pessoa que morre em um acidente de trânsito, 20 sobrevivem e seis ficam permanentemente em uma
cadeira de rodas”, finalizou o palestrante.
Terceiro painel
Para finalizar o evento, a programação trouxe
no terceiro painel o tema “Programas bem-sucedidos”, para demonstrar como casos de prevenção
de acidentes podem trazer melhorias para a operação das empresas. No segmento de transporte
de cargas, o palestrante do SEST SENAT Djalma
André Soares Uva apresentou o Programa Olho
Vivo na Estrada, mantido em parceria com a Abiquim para assegurar as condições de integridade
e segurança no transporte de produtos perigosos.
“Toda vez que um motorista assume o volante de
um caminhão, muitas coisas são variáveis e, se ele
souber analisar essas variáveis e tomar as atitudes
certas, consegue evitar acidentes e se adaptar às
mudanças. O nosso curso abre os olhos do motorista para estes detalhes”, disse Djalma.
A última palestra foi proferida pelo médico
Sérgio Rogério de Barros Vieira, que apresentou o
tema “Medicina do Sono - A importância do Sono
Revista SETCESP - julho 2013 | 9
DEBATE NO TRANSPORTE
na Prevenção de Acidentes”. Vieira falou sobre o
caso da viação Águia Branca e seu projeto de prevenção de acidentes com base na medicina do
sono. “O cérebro humano tem seus limites e precisamos respeitar estes limites. Quando se fala na
importância do sono para uma condução segura
é nos momentos de vigília que se está pensando.
Um indivíduo bem descansado trabalha bem e alguém com deficiência no sono tem sérios riscos
de causar acidentes”, disse o médico.
“A segurança no trânsito está diretamente ligada às condições do motorista. É por isso que valorizamos tanto aqui no SETCESP a questão da formação de mão de obra qualificada para o transporte,
pois se temos como treinar bem o motorista, podemos ver todas as transportadoras trafegando por
rotas tranquilas. O advento da Lei 12.619 vem para
ajudar a melhorar a segurança viária, pois o motorista mais descansado e mais atento trabalha melhor e não se envolve em problemas. O Brasil já sofre com a falta de infraestrutura viária e a questão
da educação para o trânsito tem que ser reforçada,
pois somos recordistas negativos em violência no
trânsito. Este evento traz um assunto muito importante ao debate e certamente realizaremos outros
encontros como este para tratar destes temas vitais
para o transporte”, finaliza o presidente do SETCESP,
Manoel Sousa Lima Jr.
Na foto à esquerda, a diretora Ana Carolina Ferreira Jarrouge, que fez o cerimonial do evento, e o presidente Manoel Sousa Lima Jr., responsável pela abertura
dos debates. À direita, o assessor Jurídico do SETCESP, Narciso Figueirôa Jr., que discorreu sobre os direitos e deveres dos motoristas. Abaixo, o público do
evento, que lotou o auditório do SETCESP para debater a segurança no trânsito no TRC
Infográfico: Fernanda de Campos
10 | Revista SETCESP - julho 2013
Revista SETCESP - julho 2013 | 11
TRIBUTOS
SETCESP considera que caminhões não
deveriam pagar IPVA, assim como os táxis
Lei de 2008 isenta os taxistas do Estado de São Paulo do pagamento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), mas caminhões, que também são veículos de serviço, pagam o imposto
O
SETCESP considera injusto o fato de os veículos destinados ao transporte de passageiros, os taxis, serem isentos do Imposto
sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA),
segundo a Lei 12.296 de 23 de dezembro de 2008, e
os caminhões, que também são veículos de serviço, de
grande utilidade para a sociedade, terem que pagar o
imposto.
“Não estamos dizendo que é injusto dar a isenção
ao taxi, mas consideramos que os caminhões, que são
veículos que prestam serviço essencial para todos,
também deveriam ser isento deste imposto. O IPVA é
uma rubrica que é paga pelos proprietários de veículos com destinação ao desenvolvimento viário, mas o
setor já paga uma pesada carga tributária e já é onerado com tributos como a Cide, o custo com os pedágios
e tantos outros que deveriam reavaliar o pagamento
de IPVA pelos caminhões. O argumento para dar a
isenção aos táxis é de que eles são veículos de serviço,
ferramentas de trabalho. Bom, nunca vi ninguém com-
prar caminhão para passear em toda minha vida”, comenta o presidente do SETCESP, Manoel Sousa Lima Jr.
De acordo com o presidente Manoel, o IPVA é um
imposto que tem impacto direto nos custos do transportador, pois incide sobre o valor do veículo. “É um
tributo sentido no caixa das empresas de maneira contundente. Isso acaba desequilibrando muito a conta
das empresas, e, como todos os outros, não reflete em
melhorias ou contrapartidas para a população”, diz.
O SETCESP trabalha para ajudar seus associados
a enfrentar a pesada carga tributária que se abate sobre as empresas de transporte de cargas e logística,
um dos setores da economia com maior incidência de
tributos sobre seu faturamento. Além do trabalho institucional e político para sensibilizar as autoridades e
governos sobre a pressão tributária no transporte de
cargas, a entidade também oferece a seus associados
atendimento tributário realizado por profissionais especializados. Entre em contato com o SETCESP pelo telefone 11 – 2632-1000
C
M
Y
CM
MY
CY
CMY
Foto: Adamo Basani
K
12 | Revista SETCESP - julho 2013
Revista SETCESP - julho 2013 | 13
EVENTO TRT CAMPINAS
TRT da 15ª Região debate o Direito do
Trabalho com participação do SETCESP
Evento realizado pelo Tribunal reuniu magistrados e especialistas para debater aspectos das relações trabalhistas. Um dos paineis, com participação do SETCESP, abordou os acidentes de trabalho e a segurança
O
Tribunal Regional do Trabalho da 15ª
Região, de Campinas (SP), realizou em
julho o 13º Congresso Nacional de Direito do Trabalho e Processual do Trabalho, evento que reuniu magistrados, representantes do Judiciário, especialistas e profissionais para debater
aspectos das relações de trabalho e do Direito Trabalhista em diversos setores da sociedade.
Um dos temas abordados pelo evento, no terceiro painel, foi “Acidente de Trabalho nos Transportes”. O painel, coordenado pelo desembar14 | Revista SETCESP - julho 2013
gador Edmundo Fraga Lopes, que também é o
gestor regional, em segunda instância, do Programa Trabalho Seguro do TST, contou com a participação do assessor jurídico do Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas de São Paulo e
Região, Narciso Figueirôa Junior, e do procurador
do Ministério Público do Trabalho do Mato Grosso, Paulo Douglas Almeida de Moraes.
O desembargador Edmundo ressaltou, na
abertura do painel, que o transporte rodoviário
de passageiros e cargas foi o foco dos trabalhos
do Programa Trabalho Seguro, em 2013, e também será o tema do seminário do programa, a
ser realizado em setembro deste ano.
O representante do SETCESP, Narciso Figueirôa, expôs estatísticas do transporte rodoviário
no Brasil, falando sobre a relação entre os altos
índices de acidentes registrados nos últimos
anos e as condições de tráfego, do número de
estradas pavimentadas construídas, do mito do
rodoviarismo, dos custos do setor, e ressaltou
que “para a superação dos problemas existentes
são necessários vultosos investimentos na recuperação, operação e manutenção da malha, com
concurso e capitais públicos e privados”.
Figuerôa também falou do faturamento do
setor (transporte rodoviário) no país, no valor
de R$ 154,8 bilhões, que representa 6,7% do
Produto Interno Bruto (PIB) nacional, salientando que desse montante, só o setor de transporte rodoviário de cargas faturou R$ 129,8 bilhões
(5,6% do PIB). O palestrante também falou dos
principais projetos e campanhas da entidade
que representa, e que visam desde o combate à
poluição pela redução de emissão de poluentes
pelos veículos, até as campanhas nacionais de
saúde, como a de prevenção ao HIV.
Dentre os desafios destacados pelo palestrante, constam ainda o de fomentar uma cultura da segurança que, segundo afirmou, “ainda
não faz parte da rotina dos trabalhadores do setor”, bem como desmistificar o conceito de segurança, ainda visto como sinônimo de despesa.
Por fim, o palestrante abordou a Lei
12.619/12, com seus principais avanços como,
entre outros, o controle de jornada de trabalho, o limite da prorrogação da jornada de trabalho, os intervalos inter e intrajornada e o seguro obrigatório custeado pelo empregador. O
palestrante falou ainda da inovação da lei, com
relação ao empregado, de se submeter a testes
e programas de controle de uso de drogas e álcool, instituídos pelo empregador, com ampla
ciência do empregado, mas garantiu que “não
há discriminação do trabalhador”. O expositor
criticou, contudo, a responsabilidade objetiva
do empregador. Segundo o seu entendimento
“o parágrafo único do artigo 927 não se aplica
nas hipóteses de acidente do trabalho, pois a
Constituição Federal tem norma expressa estabelecendo como pressuposto da indenização
a ocorrência de culpa do empregador: ‘Art. 7º:
São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais,
além de outros que visem à melhoria de sua
condição social: XXVIII - seguro contra acidentes
de trabalho, a cargo do empregador, sem excluir
a indenização a que este está obrigado, quando incorrer em dolo ou culpa’. Nesse sentido,
concluiu que “a previsão do Código Civil, nesse
ponto, é incompatível com o dispositivo constitucional”.
O palestrante concluiu sua exposição apresentando algumas sugestões para minimizar os riscos
nas tarefas exercidas pelos empregados no setor
de transporte rodoviário de cargas. Dentre as sugestões, constam: priorizar políticas de educação
e orientação de trânsito nas escolas, bem como
aos pedestres e demais usuários de vias urbanas
e rodovias; capacitação e formação do motorista
profissional do transporte rodoviário de cargas
através de curso técnico com grade curricular
adequada às necessidades da categoria, com foco
na direção segura e defensiva; cumprimento dos
limites de jornada de trabalho e descansos, bem
como do tempo de direção estabelecidos pela Lei
12.619/2012; fiscalização do limite de tempo de
direção e de jornada de trabalho; investimento na
manutenção e ampliação das rodovias em boas
condições de trafegabilidade, bem como sinalização horizontal e vertical; viabilização da ampliação e construção de pontos de parada ao longo
das principais rodovias para que se possa oferecer condições adequadas para o cumprimento
dos repousos previstos na Lei 12.619/2012.
“Cada vez mais o SETCESP tem sido
convidado por diversas entidades,
fóruns, órgãos governamentais e
tribunais para participar de debates
importantes acerca do transporte rodoviário de cargas, seu papel
na sociedade e suas necessidades.
Ficamos muito felizes em ter em
nosso corpo de assessores, diretores
e especialistas, palestrantes e geradores de conteúdo que representam
a nossa entidade lá fora, trazendo a
força do setor e levando a nossa contribuição para um Brasil melhor”,
Manoel Sousa Lima Jr,
presidente do SETCESP
Revista SETCESP - julho 2013 | 15
EVENTO TRT CAMPINAS
O segundo expositor Paulo Douglas Almeida
de Moraes, procurador do Ministério Público do
Trabalho de Mato Grosso, iniciou sua exposição
ressaltando a importância capital do tema, e
baseou-se, também, na Lei 12.619/12 para falar
sobre o que chamou de “efeitos preventivos do
debate”. O procurador também se valeu de gráficos que expuseram, dentre outros, índices de
acidentes e consumo de drogas pelos empregados no transporte rodoviário, concluindo que
“está claro que o uso de drogas está diretamente
ligado à violação dos limites biológicos”.
Com base na Lei 12.619/12, o expositor falou
da limitação da jornada e do tempo de direção,
do estabelecimento de intervalos de descanso,
da vedação da remuneração por comissão, da
oneração do tempo em fila (tempo de espera) e
da aplicação transversal das Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho e Emprego.
Com relação à responsabilidade objetiva do
empregador, o palestrante divergiu do primeiro
16 | Revista SETCESP - julho 2013
colega de painel, Narciso Figueirôa, e ressaltou as
peculiaridades fáticas aplicáveis à atividade do
transporte rodoviário, tais como a exposição do
motorista profissional a risco acentuado; o fato de
a atividade registrar maior nível de letalidade em
acidentes do trabalho; e da exposição ao perigo
de vida em razão do rotineiro roubo de cargas. O
palestrante afirmou, ainda, que a responsabilidade objetiva se justifica porque, “ainda que o empregador e o motorista sejam diligentes, a segurança depende da diligência de terceiros”.
O procurador concluiu sua exposição discorrendo sobre a competência da Justiça do Trabalho
para julgar ações que visem adequar os pátios de
embarcadoras, alfândegas e instalações portuárias ao determinado nas NRs do MTE; para julgar
o acidente de trabalho envolvendo motorista autônomo; e para julgar ações que visem compelir
embarcadoras a cumprir a obrigação de fiscalizar
o tempo de direção.
Com informações de: Ademar Lopes Junior
Revista SETCESP - julho 2013 | 17
VIAGENS TÉCNICAS
SETCESP
fomenta o
conhecimento
no setor
com viagens
técnicas
Saber como são as regras e as condições de funcionamento para as empresas de transporte de cargas de
outros países, conhecer como é a vivência do trânsito de grandes cidades em outros continentes e tomar
contato com novas ideias e tecnologias são alguns dos principais objetivos das viagens internacionais realizadas pelo SETCESP. Próximo destino será Israel
O
SETCESP está embarcando para mais uma
viagem técnica internacional, seguindo a
tradição da entidade de promover a ida de
grupos de transportadores brasileiros para conhecer a
realidade do transporte e da logística em outras regiões
do mundo para trazer ao Brasil novos conhecimentos e
novas ideias e soluções para questões ligadas ao dia a
dia da atividade.
O destino do grupo que será liderado pelo presidente Manoel Sousa Lima Jr. e pelo vice-presidente
Tayguara Helou será Israel, país conhecido por sua tecnologia de ponta no setor de segurança patrimonial e
pessoal. “Nossa viagem a Israel é um sonho antigo de
muitos transportadores e o país foi escolhido justamente por ser um polo de tecnologia e treinamento
contra o crime organizado e para ações de segurança.
O roubo de cargas a maior preocupação dos transportadores e elegemos nosso destino para conhecermos
18 | Revista SETCESP - julho 2013
o que há de mais moderno nesta área”, comenta o presidente Manoel.
Nos anos anteriores, os grupos formados pelo
SETCESP para estas viagens técnicas visitaram países
como Espanha, Argentina, México, Rússia, China e Inglaterra, sempre em busca de novas experiências e
vivências para trazer para o Brasil e ajudar a melhorar
o setor no país. “No México, por exemplo, o SETCESP
teve contato com o avançado programa governamental de renovação de frota, em que o Estado sucateia o
caminhão velho antes que o transportador possa comprar um novo. Da Argentina, trouxemos a ideia da Lei
do Decomiso, um importante instrumento contra o
roubo de cargas que promove o confisco de estoques
de mercadorias que tenham itens comprovadamente
provenientes do crime. Na Inglaterra, pudemos ver de
perto a preparação para a mobilidade urbana às vésperas dos Jogos Olímpicos de 2012. São diversas informa-
Revista SETCESP - julho 2013 | 19
VIAGENS TÉCNICAS
ções e experiências que podem inspirar ideias e ajudar
o transporte brasileiro”, diz Manoel.
Para o ex-presidente do SETCESP, Urubatan Helou,
as viagens são, muitas vezes, o ponto de partida para
projetos importantes dentro da entidade ou no setor
como um todo. “Renovação de frota, organização viária, tecnologia contra o roubo, legislação para combater os receptadores de cargas roubadas. Estes são
temas vitais para o transporte brasileiros que pudemos ver de perto em outros países, graças às viagens
promovidas pelo SETCESP. Considero esta atividade
de suma importância para os transportadores, que
podem ter contato com outras realidades e comprovar que o Brasil está entre os países com empresas de
transporte mais competitivas e bem organizadas. Sobrevivemos aqui em um ambiente inóspito e temos
muito que ensinar ao mundo em termos de transporte de cargas. Além disso, temos também muito que
Terra de grandes
empresas de
transportes, a Espanha se destaca
pela forte cadeia
logística do frio.
Em visita ao país
ibérico, a missão
do SETCESP teve a
oportunidade de
conhecer diversas
transportadoras
e suas estruturas,
com avançados sistemas de refrigeração das cargas.
Outro destaque da
viagem foi a visita
ao embaixador.
20 | Revista SETCESP - julho 2013
No maior país em
extensão territorial
do mundo, o
grupo do SETCESP
teve a oportunidade de conhecer o
sistema de segurança e combate
ao roubo de cargas
russo, que conta
com a participação
ativa do antigo
exército soviético.
Outro destaque
está no acompanhamento médico
dos motoristas
antes e depois das
viagens.
A viagem realizada
ao gigante asiático,
segunda maior
potência econômica do mundo,
mostrou como as
transportadoras
se organizam e
atuam na China.
Nesta viagem, o
grupo do SETCESP
teve a oportunidade de visitar uma
das maiores feiras
de negócios em
veículos e transportes do mundo,
além de conhecer
transportadoras.
aprender e nos inspirar”, diz Helou.
A cada viagem, a agenda apertada e a necessidade
de aproveitar cada dia da programação não impedem
os transportadores de conversar com representantes
locais do transporte, trocar experiências e conhecer as regras e a realidade do setor no país visitado.
A programação é sempre cuidadosamente feita para
que o grupo brasileiro visite entidades representativas, órgãos governamentais e de fiscalização, empresas de logística e transporte, indústrias e operações
especiais.
“Damos muito valor ao conhecimento e à busca por
inovação e creio que a nossa próxima viagem, que está
agendada para Israel, vai revelar coisas interessantes
para os transportadores brasileiros. A tecnologia e a comunicação são armas poderosas contra o crime organizado e estamos prontos para trazer estas novidades ao
Brasil”, finaliza o vice-presidente Tayguara Helou.
O México dá exemplo para o Brasil
quando o assunto
é renovação da frota de caminhões.
Lá, o governo
federal fomenta
um programa de
sucateamento dos
caminhões velhos
e ajuda e incentivo
para a compra
dos veículos
novos. Com isso,
a idade média da
frota mexicana de
caminhões tem
apresentado queda significativa.
Os representantes do SETCESP
visitaram a cidade
de Londres às
vésperas dos Jogos
Olímpicos de 2012
e tiveram a oportunidade de tomar
contato com uma
cidade que prioriza
a mobilidade urbana, dando atenção
ao abastecimento
do comércio e
valorizando o
caminhão como
veículo importante
para a logística
metropolitana.
Do nosso vizinho,
o grupo do
SETCESP trouxe
a ideia da Lei do
Decomiso, um
instrumento legal
que permite às
autoridades o
confisco e o descomissionamento
de estoques que
tenham itens
provenientes de
roubo de cargas.
A ação atinge os
receptadores, que
são os agentes geradores do roubo
de cargas.
Revista SETCESP - julho 2013 | 21
TREINAMENTO
Treinamento SETCESP - Cursos do mês de agosto
Administração
de Frotas
Técnicas de Entrevistas - Como
Planejar e Realizar Entrevistas
Dirigindo com
Habilidade e
Segurança
17/08/2013
17/08/2013
17/08/2013
Planejamento
Tributário no
Transporte
Departamento
Pessoal e sua
Rotina Prática
23/08/2013
Competências da
Liderança
24/08/2013
21 e 22/08/2013
Atendimento
ao Cliente
24/08/2013
Informações e inscrições:
[email protected] - 11 - 2632-1088
Gestão de Alta
Performance em
Distribuição
31/08/2013
22 | Revista SETCESP - julho 2013
Revista SETCESP - julho 2013 | 23
PEDÁGIO
Cobrança de pedágio por eixo
suspenso é confirmada em SP
Medida do Governo do Estado onera transportadoras, que pagam a conta do não reajuste das tarifas em
todas as praças de cobrança das rodovias estaduais
N
o final de junho, o governador de São Paulo,
Geraldo Alckmin (PSDB), anunciou que não
entraria em vigor o tradicional e previsto em
contratos reajuste dos pedágios nas rodovias estaduais.
A notícia, recebida primeiramente com alegria por toda
a sociedade, veio em um momento em que as manifestações populares pressionavam os governos.
No segundo momento deste ato, veio a má notícia: o Estado de São Paulo, que não cobrava o pedágio
sobre os eixos suspensos dos caminhões, aqueles que
não estão tocando o solo devido ao veículo estar descarregado, passaria a cobrar em todas as praças de pedágio.
“Esta foi uma má notícia para o setor, pois o transporte de cargas se viu pagando a conta da suspensão
do reajuste das tarifas nas praças estaduais. Somente
esta cobrança traz um impacto financeiro entre 12,5%
e 33% sobre a conta pedágio e isso vem para aumentar
ainda mais o custo das transportadoras”, disse o presidente do SETCESP, que analisou o problema e serviu
24 | Revista SETCESP - julho 2013
de fonte para os principais veículos de comunicação
de São Paulo sobre o tema.
Manoel alertou a toda a sociedade paulista que a
nova cobrança adicional dos pedágios onera toda a
cadeia e é de difícil repasse para os embarcadores. “O
custo disso está recaindo sobre o bolso dos transportadores, pois os nossos contratos são negociados em determinados períodos e o repasse fica muito complicado. Estamos vendo a mudança das regras com o jogo
em andamento e isso não me parece justo”, argumenta
o presidente.
Questionado sobre que medidas o Sindicato vai
tomar sobre a cobrança, Manoel reforçou seu posicionamento e a atuação da entidade: “Não vamos entrar
em conflito com ninguém. Vamos continuar usando a
via do diálogo para levar ao governo do Estado a nossa
preocupação e os nossos argumentos. Tenho certeza
de que nossos governantes irão enxergar a importância do transporte de cargas e deverão trazer alguma
compensação em médio prazo”, disse Manoel.
Infográfico: Fernanda de Campos
Revista SETCESP - julho 2013 | 25
GUARULHOS
AGENDE Guarulhos visita o SETCESP
Agência de fomento ao desenvolvimento da cidade de Guarulhos realiza visita de aproximação com o Sindicato e planeja realizar evento na sede da entidade
A
Agência de Desenvolvimento e Inovação
de Guarulhos (AGENDE), representada por seu Secretário Geral, Roberto Marchiori, e o Coordenador do Núcleo
Acadêmico e do Parque Tecnológico, Dr. Devanildo Damião,
visitou o Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de
São Paulo e Região (SETCESP) a
convite do seu Presidente, Manoel Souza Lima Jr e do Diretor
Celso Masson. Também estiveram presentes o Assessor da
Presidência do SETCESP, Adauto
Bentivegna Filho, e os diretores
Ana Carolina Ferreira Jarrouge e
Roberto Mira.
Na ocasião, o Secretário Geral apresentou os principais
projetos da AGENDE e destacou
a importância do segmento do
setor de Logística na cidade de Guarulhos e das
novas possibilidades com o projeto do Parque Tecnológico. Celso Masson, ex-presidente da AGENDE,
destacou que a Incubadora Tecnológica AGENDE
Guarulhos vem desenvolvendo projetos de grande
importância para a cidade e que o segmento logístico deve ser integrado ao projeto.
O Dr. Devanildo Damião informou que a próxima edição da Revista Análise Guarulhos irá abordar o segmento de Serviços, no qual o segmento
logístico tem grande impacto, especificamente o
setor de transporte de cargas, que apresenta mais
de 22.000 empregos formais em Guarulhos. Também destacou a metodologia que a AGENDE desenvolveu para apuração dos dados e da equipe
técnica, na qual divide a coordenação com o Engenheiro Marcelo Chueiri.
O Presidente do SETCESP demonstrou admiração pelo projeto da AGENDE e destacou que a entidade tem grande interesse em aproximar-se dele
26 | Revista SETCESP - julho 2013
Foto: Agende Guarulhos
Da esquerda para a direita:
presidente do SETCESP, Manoel
Souza Lima Jr, Roberto Marchiori e Adauto Bentivegna Filho,
Assessor da Presidência.
e vislumbrar algum equipamento no entorno do
Parque Tecnológico, cuja região apresenta logística diferenciada.
O Secretário Geral, Roberto Marchiori, lembrou
que o Presidente da AGENDE, Aarão Ruben de Oliveira, é um grande entusiasta do desenvolvimento logístico da cidade, e se propôs a fazer o lançamento da nova edição da Revista no SETCESP.
Revista SETCESP - julho 2013 | 27
TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO
Foto: Cristina Ribeiro
O diretor, Roberto Mira Jr.
(ao centro), coordenou a
reunião de trabalho, que
teve a presença do presidente Manoel Sousa Lima
Jr. e do assessor Adauto
Bentivegna Filho (à direita)
e dos representantes da
Positron, à esquerda
Diretoria de Especialidade de TI
retoma atividades
Grupo tem como objetivo criar debates acerca das melhores soluções disponíveis no mercado, além de aproximar fornecedores e transportadoras visando a redução de custos
D
e olho na crescente necessidade de aprimorar conhecimento e metodologia de operações no transporte, o SETCESP retomou recentemente as atividades da Diretoria de Especialidade
de Tecnologia da Informação.
Segundo Roberto Mira Jr., Diretor Adjunto da Especialidade e Diretor Financeiro da entidade, o grupo
foi instituído exatamente por um pleito das empresas
de transportes para difundir as melhores tecnologias
do nosso setor, ou seja, criando debates, desenvolvendo uma maior aproximação entre os fornecedores
de TI justamente visando a redução de custos e aprimoramento do segmento dentro das empresas de
transportes.
A Diretoria já realizou duas reuniões neste ano,
sendo que a próxima está agendada para agosto. Mira
Jr. conta que no último encontro já havia muitos parceiros do SETCESP querendo que participar das atividades. “Na primeira reunião tinha não mais que dez
pessoas, e na segunda já tinham mais de 30. Então podemos ver que esse é um assunto expressivo, visto que
praticamente toda a burocracia hoje em dia tem sido
realizada eletronicamente”, comenta.
Dentre os tópicos mais emergentes da Diretoria
está a questão da Lei 12.619. “Queremos saber como
28 | Revista SETCESP - julho 2013
será realizado o controle disso dentro do caminhão.
Então já houve uma apresentação de uma empresa no
último encontro da Especialidade, afirmando que contam com tecnologia para suprir essa necessidade. Outras tecnologias serão apresentadas nas próximas reuniões. Além disso, existe o pleito de fornecimento de
tecnologia para as pequenas empresas. Foi realizada
também uma apresentação de uma tecnologia disponível para empresas menores e que não é tão onerosa”,
explicou o dirigente.
O Sindicato estuda a possibilidade de alguns encontros serem realizados posteriormente em algum
fornecedor, para que possam ser esclarecidos alguns
tópicos a respeito da tecnologia que a determinada
empresa fornece. “O papel do SETCESP nesse quesito é fundamental. O Sindicato está angariando novos
negócios, novas oportunidades, redução de cus tos na
questão de tecnologia. Aliás, para os transportadores
que têm visão, o TI é tão importante quanto o caminhão. Mesmo porque sem informação você não tem
transporte”, conclui Roberto Mira Jr.
Os interessados que quiserem entrar participar das
reuniões devem entrar em contato com m contato
pelo telefone (11) 2632-1036, com Cristina ou e-mail:
[email protected]
Revista SETCESP - julho 2013 | 29
DIRETORIA ESTATUTÁRIA
Foto: Campos e Andrade Comunicação
Relações
sindicais em
mãos
competentes
Escolhido para coordenar as negociações com
os Sindicatos Laborais, o vice-presidente Adriano Depentor tem bagagem para enfrentar este
desafio e ajuda o SETCESP em temas cruciais para
a vida sindical patronal
O
vice-presidente do SETCESP, Adriano
Depentor, diretor-presidente da Jamef
Transportes, é outro exemplo de jovem
executivo com grande bagagem de experiência. Ele
é formado em Administração de Empresas pelo Instituto Newton Paiva, em Minas Gerais, PGA no INSEAD,
em Fontainebleau, na França, e está à frente de uma
das grandes empresas de transporte de cargas fracionadas do Brasil.
Nas entidades de classe do transporte, Adriano
atua desde 1996, ingressando como conselheiro da
NTC&Logística. Foi coordenador da câmara técnica de
tarifas e comercialização da entidade entre 2009 e 2011.
No SETCESP, Adriano ocupou cargo de destaque como
conselheiro consultivo na gestão do presidente Urubatan Helou, de 2004 a 2006, atuando também como
coordenador da COMPENERT. Nas gestãos seguinte, de
Francisco Pelucio, Adriano atuou como vice-presidente,
cargo que ocupa atualmente, e também figurou como
diretor da FETCESP.
“Meu trabalho, como na gestão anterior, está focado
nas relações sindicais com os 11 Sindicatos Laborais da
base territorial do SETCESP e o nosso grande objetivo
é sempre manter uma boa interlocução com as entidades que representam os trabalhadores, agindo com
respeito mútuo, valorizando as pessoas que trabalham
30 | Revista SETCESP - julho 2013
no transporte e respeitando os limites econômicos das
empresas”, conta Depentor, que participa ativamente das
negociações trabalhistas, coordenando os negociadores
Adauto Bentivegna Filho e Narciso Figueirôa Jr.
O vice-presidente se mostra otimista em relação ao
trabalho da atual gestão da entidade. “O presidente Manoel trouxe ao primeiro plano da gestão do Sindicato os
membros da COMJOVEM e eu considero esta uma ótima
iniciativa, pois são gente competente e muito valorosa”,
comenta.
Para ele, o trabalho do SETCESP é vital para fazer com
que as empresas do setor enfrentem seu dia a dia com
respaldo. “O grande papel da entidade é trabalhar para
resolver ou mitigar os problemas coletivos do setor que
representa. Estes problemas impelem a entidade a trabalhar e, assim melhorar o cenário de atuação de seus
associados. Dentre estas questões, eu enumeraria as restrições ao caminhão nas grandes cidades, a carga tributária que as transportadoras são obrigadas a pagar, a falta de incentivos ao transporte e tantas outras. Trabalhar
junto aos poderes nos interesses éticos e legítimos do
nosso setor são atitudes que esperamos do SETCESP”, diz
Adriano. Neste ano, Adriano relatou que as negociações
trabalhistas foram morosas e difíceis, com grande pressão por parte dos trabalhadores. “O cenário estava difícil,
mas a capacidade incontestável dos nossos negociadores, Dr. Adauto e Dr. Narciso, somada à compreensão dos
empresários do transporte rodoviário de cargas sobre o
atual momento, fez com que chegássemos a um bom resultado, que foi possível a todos”.
Perguntado sobre que mensagem ele deixa para os
associados do SETCESP, Adriano dispara: “Prestigiem o
SETCESP, pois uma entidade forte passa pela participação ativa dos seus associados”.
Revista SETCESP - julho 2013 | 31
Cabine muito
mais Confortável
e espaçosa,
Com volante
ajustável.
DIRETORIA ESTATUTÁRIA
Foto: Campos e Andrade Comunicação
Quer a maior CapaCidade de Carga
e o menor Consumo da Categoria?
o hyundai hd78 entrega.
O diretor
que representa
Guarulhos
Celso Masson, tradicional empresário do segmento de transporte de máquinas e equipamentos
industriais, ocupa posição de destaque na atual
diretoria, com importante atuação em Guarulhos,
um dos municípios mais importantes da base
territorial do SETCESP
C
elso Masson é um dos diretores mais atuantes do SETCESP. Representante de Guarulhos,
o transportador iniciou sua trajetória pelas
entidades de classe do transporte pela NTC&Logística,
nos tempos de Rua Borges Lagoa.
“O transporte de máquinas e equipamentos
industriais sempre foi a minha especialidade e
me trouxe às entidades para participar. Lembro
que na Associação, quando se mudou aqui para
o prédio da Vila Maria, foi formada uma comissão
sobre este assunto e foi aí que iniciei a coordenação do grupo. Fiquei como presidente desta especialidade por muitos anos”, conta Celso.
Atualmente, além de transportador e diretor
do SETCESP, Celso Masson acumula o importante posto de secretário Adjunto de Transportes de
Guarulhos, posição estratégica para dar a contribuição do setor para o trânsito e a mobilidade de
uma das cidades mais importantes para a logística brasileira. “O transporte traz tantas questões
e problemas a serem resolvidos que, ao buscar a
raiz destas soluções, conheci o mundo político
e acabei ingressando, primeiro pela Agência de
Desenvolvimento de Guarulhos, em que fui pre-
vuC
liberado para
CirCular nos
grandes Centros
urbanos
sidente, e agora como secretário, representando a
importância do transporte de cargas para a cidade”, conta.
Celso sempre fez a coordenação dos assuntos
do SETCESP relacionados à cidade de Guarulhos.
Na nova gestão da entidade, está incumbido pelo
presidente da articulação política e técnica na região, que tem diversas individualidades e questões
dos transportadores que precisam ser tratadas
com cuidado. Masson comemora a nova diretoria da entidade, que traz sangue novo aos cargos
Executivos: “A COMJOVEM tem jovens empresários
preparadíssimos, que já têm experiência de participação na entidade. Com isso, eles acabaram dando
um dinamismo excepcional para a diretoria, além
da qualidade. Dou os parabéns ao Manoel, que os
escolheu por se sentir seguro e porque sabia da
qualidade dos nossos jovens”, declara.
Para Celso Masson, o SETCESP tem feito seu papel nas esferas política, técnica e econômica para
assessorar seus associados e ajudar as empresas
de transporte de cargas a enfrentar dificuldades
como roubo de cargas, burocracia e falta de infraestrutura. “Conhecemos as dificuldades do transporte e sabemos que somente por meio de entidades fortes como o SETCESP poderemos atacá-las
e vencê-las. O empresário do setor precisa vencer
muitas etapas e saber de muitos detalhes para
que seu negócio funcione bem e o SETCESP está aí
para dar esta força. Associados: confiem em nossa
diretoria e contem com o trabalho de todos nós!”,
finaliza Celso Masson.
últimas unidades
euro iii.
CapaCidade de Carga de
5,225 toneladas.
2 freios-motores.
motor turboCharger
Com interCooler
potênCia máxima.
Cabine basCulante 45º,
de fáCil manutenção.
as nervuras reforçadas
no teto ofereCem
segurança máxima.
produzido
no brasil
na fábriCa de
anápolis - go.
Alguns equipamentos descritos nas fotos e nos textos são opcionais e podem ou não estar disponíveis na versão apresentada neste anúncio. Consulte o distribuidor.
www.hyundai-motor.com.br
distribuidores em todo o paÍs: 0800 55 95 45
Respeite os limites de velocidade.
32 | Revista SETCESP - julho 2013
Revista SETCESP - julho 2013 | 33
COOPERATIVA DE CRÉDITO
Sicredi é premiado na Conferência
Mundial das Cooperativas de Crédito
Foto: Sicredi
Foto: Brian Branch,presidente-executivo da Woccu, e Manfred Afonso Dasenbrock
D
urante a Assembleia Geral, o Woccu (Conselho Mundial de Cooperativas de Crédito)
concedeu três diferentes destaques globais, considerando seus mais de 70 países membros. E
o Sicredi foi premiado por ter registrado o maior incremento no percentual de ativos. O encontro integrou
a programação da Conferência Mundial das Cooperativas de Crédito, realizada de 14 a 17 de julho, em
Ottawa, no Canadá.
O Sicredi encerrou 2012 com R$ 31,3 bilhões de ativos totais, o que representa um crescimento de 20%
sobre 2011. Em maio de 2013, o total de ativos registrado foi de R$ 36,3 bilhões, 16% de crescimento. A distinção foi entregue ao presidente da SicrediPar, da Central
Sicredi PR/SP e diretor do Woccu, Manfred Alfonso Dasenbrock. “Tive a honra de receber o prêmio em nome
de todos os associados, dirigentes e colaboradores do
Sicredi. Esta avaliação mostra que estamos no caminho
certo para a construção de um cooperativismo de crédito mais forte no Brasil”, comemora Dasenbrock. Na
ocasião, também estavam presentes Orlando Borges
Müller, vice-presidente da SicrediPar e presidente da
Central Sicredi Sul, e Pedro Caldas, presidente da Cooperativa Sicredi Planalto Central GO. Na premiação, o
presidente do Woccu, Manuel Rabines, e o presidenteexecutivo, Brian Branch, declararam que o modelo sis34 | Revista SETCESP - julho 2013
têmico que o Sicredi desenvolveu, aliado ao profissionalismo implantado nas cooperativas integrantes deste
Sistema, é a razão do destaque concedido. Branch também ressaltou a importância do planejamento estratégico do Sicredi e a participação na conferência, com
uma delegação organizada e integrada por dirigentes,
jovens, mulheres, executivos e colaboradores. As outras
duas distinções foram entregues para as cooperativas
dos Estados Unidos, por meio da organização nacional
CUNA (Credit Union National Association), pelo maior
crescimento nominal de associados, e para a confederação do Quênia, África, que registrou o maior incremento
percentual de associados.
Sobre o Sicredi
O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa
com mais de 2,3 milhões de associados e 1.229 pontos
de atendimento, em 10 Estados do país. Organizado em
um sistema com padrão operacional único conta com
108 cooperativas de crédito filiadas, distribuídas em
quatro Centrais Regionais - acionistas da Sicredi Participações S.A. - uma Confederação, uma Fundação e um
Banco Cooperativo que controla uma Corretora de Seguros, uma Administradora de Cartões e uma Administradora de Consórcios.
Revista SETCESP - julho 2013 | 35
DIRETORIA ADJUNTA DE ESPECIALIDADE
Especialidade de Transporte de
Bebidas é a nova diretoria do SETCESP
Grupo ainda em fase de estruturação já
conta com 18 empresas representantes
R
eforçando ainda mais sua esfera de atuação, o SETCESP agora passa a contar com
a nova Diretoria Adjunta de Especialidade
de Transporte de Bebidas. O grupo ainda em fase
de estruturação já conta com 18 empresas representantes que operam para os maiores clientes do
ramo, como a Ambev e a Coca-Cola.
“O nosso papel é levar as reivindicações para dentro do Sindicato para que em seguida possam ser
atendidas, ou seja, assuntos referentes às operações
rodoviárias e distribuição urbana”, comenta Ramon
Garcia de Alcaraz, Diretor Adjunto da Especialidade e
dirigente da transportadora Fadel. “Esse é um grupo
que compreende cerca de 30 mil funcionários entre
essas empresas, além de mais de cinco mil veículos.
Isso considerando as transportadoras que operam
para as grandes companhias”, ressalta.
Dentre as pautas mais urgente da nova Especialidade, destaca-se a questão das restrições urbanas.
Segundo Alcaraz, o transporte de bebidas é um dos
segmentos com maior pulverização, por exemplo, na
cidade de São Paulo, são realizadas aproximadamente 20 mil entregas diárias.
“Mas o que dificulta ainda mais o nosso serviço
é que em cada município existe uma restrição diferente, ou seja, em São Paulo pode-se trafegar com
um veículo de determinada medida, já entrando em
36 | Revista SETCESP - julho 2013
Osasco, a regra muda. O setor pede que as empresas
sejam ouvidas antes de as regras entrarem em vigor.
A nova Diretoria já está pensando em métodos que
amenizem essa questão”, explica o executivo.
Além disso, o Grupo estuda a possibilidade de
negociar em conjunto a aquisição de implementos,
além de manter relações mais estreitas com grandes clientes. Outro tópico bastante importante
para a Especialidade tem sido a questão do passivo
trabalhista.
“Esse mote queremos dividir em vários tópicos,
como por exemplo no aprimoramento da negociação com o cliente em termos de planejamento para
que as jornadas sejam menores, trabalhar internamente nas empresas para que o controle de ponto
e tempo ocioso, que é algo muito preocupante no
nosso ramo”, explica o Diretor. “Passivo trabalhista é
um dos nossos maiores desafios, uma vez que empregamos muita gente”.
Sobre a importância de estar atuando pela Entidade, Ramon destaca: “Ou entramos para o SETCESP
e lutamos pelo nosso segmento ou alguém fará por
nós do jeito que esse alguém bem entender. Então
o melhor é de fato atuar e fazer isso com todo o suporte de um sindicato com mais de 75 anos como é
o SETCESP. É isso o que vai agregar aos nossos negócios. É necessário que o empresário contribua”.
Revista SETCESP - julho 2013 | 37
ASSOCIADO MANTENEDOR
3S apresenta suas soluções de
rastreamento de veículos
Empresa especialista em sistemas de segurança para o transporte de cargas associada mantenedora do
SETCESP já soma oito anos no segmento
A
Imagem: Airforcemag.com
ssociada mantenedora do SETCESP, a 3S, empresa de rastreamento e monitoramento, já
acumula oito anos de expertise em tecnologia segmentada. Com os trabalhos iniciados em março
de 2005, a companhia passou a fornecer serviços de
pronta resposta aérea e de comercialização de sistemas
de rastreamento de veículos.
Tomando por base os requisitos de certificação
da norma ISO 17999, a 3S preparou desde seu início
toda infraestrutura necessária para assegurar a redução de falhas e as melhores condições de confiabilidade dos sistemas.
Para atender condições ideais de segurança física e
operacional a Central de Monitoramento está instalada no Complexo Empresarial Helipark, na Região Metropolitana de São Paulo, que conta com sistemas que
atendem aos rígidos padrões aeronáuticos de controle
para segurança.
Atualmente consolidada como um dos principais
players no segmento que atua, a companhia conta com
apoio financeiro, técnico e operacional um grupo empresarial composto por empresas que atuam em vários setores, inclusive de serviços aéreos especializados e de recuperação de veículos roubados. Além disso, a companhia
conta com o suporte de parceiros tecnológicos como
Motorola, Diveo e TIM para aperfeiçoar seu alcance.
Para atender a demanda com soluções de gerenciamento remoto, a empresa tem como origem um grupo
de empresas que atuam nos ramos de hotelaria, engenharia, lixo hospitalar, indústria, gerenciamento de estacionamentos, táxi aéreo, serviços aéreos especializados e
rastreamento de veículos roubados.
A 3S fornece os produtos nas modalidades Smart
(monitoramento e rastreamento do veículo via internet),
ProControl (gerenciamento de velocidade, percurso e
tempo, análise de diários de bordo, etc.), ProDriver (telemetria e pontuação do motorista) e Web Service (troca de
dados via web).
Por ser um dos Associados Mantenedores da Entidade, a 3S atua ativamente em prol dos pleitos da
categoria. Ao fornecer tecnologias que proporcionam
maior segurança para o motorista e o veículo, a 3S cria
soluções concretas para a prevenção de prejuízos futuros, além de auxiliar o SETCESP e toda a categoria no
aprimoramento de um dos tópicos mais preocupantes
e complexos da atividade.
38 | Revista SETCESP - julho 2013
Revista SETCESP - julho 2013 | 39
PREFEITURA DE SP
Presidente do
SETCESP toma
posse no
Conselho
de Transportes
de São Paulo
Sindicato terá diversas contribuições para a mobilidade urbana da maior cidade do Brasil e quer
ajudar São Paulo a ter sincronia entre as necessidades de movimentação da população e a as
necessidades de abastecimento e de circulação
de bens e mercadorias
O
presidente do SETCESP, Manoel Sousa Lima
Jr., foi empossado como membro do Conselho Municipal de Transportes e Trânsito
da cidade de São Paulo, em reunião realizada na Biblioteca Mario de Andrade, no centro da cidade. Além
do presidente, o diretor Altamir Filadelfi Cabral também ocupou sua vaga no conselho, que tem o objetivo de dar um direcionamento aos debates sobre
as formas de financiamento do transporte na cidade,
sobre a circulação de bens e mercadorias e sobre a
mobilidade urbana em geral.
Os dois representantes do SETCESP no grupo
formado por 49 participantes no total. “O setor de
transporte de cargas tem papel fundamental para a
vida de todos os cidadãos e precisa participar destes
importantes debates sobre a circulação das pessoas
e dos produtos pela metrópole. Estamos cientes da
responsabilidade de fazer parte deste conselho e
traremos para São Paulo um debate em prol da sincronia entre as necessidades dos cidadãos e a circulação das cargas”, disse o presidente Manoel.
Quando anunciou a criação do órgão, o prefeito
Fernando Haddad havia dito que o conselho foi criado para abrir planilhas e mostrar os custos do sistema, deixando “tudo em pratos limpos”. “Eu vou instalar o Conselho Municipal de Transporte Público com
a participação dos usuários, com a participação do
40 | Revista SETCESP - julho 2013
movimento social junto com os empresários e com
o governo para abrir as planilhas, para que as pessoas tenham consciência dos custos que estão sendo
enfrentados, com a presença do Ministério Público,
para que fique tudo em pratos limpos”, disse.
A criação do conselho vai permitir a participação
mais efetiva da sociedade nas decisões referentes à
mobilidade urbana executadas pela Secretaria Municipal dos Transportes ou feitas por intermédio da
Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e da São
Paulo Transportes (SPTrans). O Conselho Municipal
de Trânsito e Transporte será presidido pelo Secretário Municipal de Transportes, Jilmar Tatto (PT).
O conselho é composto por 39 membros e seus
espectivos suplentes, pelo período de dois anos.
A mesa será composta por 13 representantes dos
órgãos municipais, 13 representantes da sociedade civil eleitos em votação direta pela população e
13 representantes dos operadores dos serviços de
transportes (sindicatos e associações). As eleições
para definição dos membros da sociedade civil ocorrem em até 60 dias. Enquanto isso, os membros do
Conselho da Cidade irão responder pelo grupo.
Também serão convidados para o conselho representantes do Ministério Público do Estado, Câmara Municipal, Tribunal de Contas do Município e
Controladoria Geral do Município.
Revista SETCESP - julho 2013 | 41
42 | Revista SETCESP - julho 2013
Revista SETCESP - julho 2013 | 43
REGISTRO NACIONAL DO TRANSPORTADOR
Tire suas dúvidas sobre o
Sim. Todos os veículos deverão ter uma cópia
do Certificado – CRNTRC, em tamanho natural ou
reduzido, desde que legível, não sendo necessária
autenticação.
No documento do veículo de carga de propriedade da minha Empresa consta o CNPJ da
Matriz, mas o caminhão trabalha para a Filial.
Posso cadastrar os documentos da empresa
com os dados da filial?
Não. Você deve sempre enviar as informações
relativas à Matriz da Empresa. O CNPJ da Filial também ficará registrado no sistema e o veículo pode
ser utilizado tanto pela Matriz como pelas Filiais.
Como faço para renovar o RNTRC? Posso
ainda recadastrá-lo? O meu certificado CRNTRC
ainda está na validade. Preciso recadastrá-lo?
Confira aqui as dúvidas mais frequentes dos transportadores no site da ANTT sobre a emissão deste documento obrigatório para o transporte rodovário de cargas
A ANTT disponibiliza em seu site uma lista com
as perguntas mais frequentes sobre o registro RNTRC e as orientações para os requerentes do registro. As informações a seguir são reprodução do material da ANTT. Tire suas dúvidas:
Quais os tipos de veículos que devem ser registrados no RNTRC?
Todos os veículos de carga que executem transporte rodoviário de carga mediante remuneração
(veículos de categoria “aluguel” – placa de fundo
vermelho e letras brancas), com capacidade de carga útil igual ou superior a 500 Kg.
Tenho uma empresa e um veículo de carga
que transporta minhas próprias mercadorias.
Preciso registrar este caminhão na ANTT?
Quem sempre transporta carga própria e, portanto, nunca cobra frete, não precisa se inscrever
no RNTRC. Quem somente transporta carga própria
deve ter seus veículos emplacados como categoria
“particular” (placa com fundo cinza e letras pretas).
O Transporte de Carga Própria é identificado quando a Nota Fiscal dos produtos tem como emitente
ou destinatário a empresa, entidade ou indivíduo
proprietário ou arrendatário do veículo.
Ainda não fiz o pedido de registro junto à
ANTT. Quais são os procedimentos e qual a forma para encaminhamento do pedido?
Minha empresa tem veículos somente para
transporte de carga própria, mas eles possuem
placas vermelhas. Tenho que me cadastrar no
RNTRC?
Todos os procedimentos necessários ao pedido de registro no RNTRC podem ser consultados
no site da ANTT, neste link. A solicitação de inscrição poderá ser feita, pessoalmente ou por meio
de um representante constituído, nas Unidades da
ANTT ou nos Postos Credenciados por todo o País.
Link: http://rn3.antt.gov.br/
De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro,
a placa vermelha caracteriza veículo de aluguel e,
portanto, pressupõe a cobrança de frete. Desta forma, regra geral, os veículos de carga com placas
vermelhas com capacidade de carga útil mínima de
500 Kg deverão ser cadastrados. Assim sendo, sugerimos que você se dirija ao DETRAN do seu Esta-
44 | Revista SETCESP - julho 2013
do e regularize a situação, transferindo os veículos
para a categoria particular – placa cinza.
Posso efetuar meu cadastro no RNTRC pelos
correios ou pela internet?
Não é possível, por enquanto, efetuar o cadastro no RNTRC via correios ou internet. De acordo
com a Resolução ANTT nº 3056, de 2009, e suas
alterações, o processo de inscrição, manutenção
e renovação do cadastro no RNTRC deverá ser realizado diretamente nos postos credenciados, nas
unidades da ANTT ou nas entidades que atuam em
cooperação à Agência, na presença do transportador ou de seu representante constituído. Para
conhecer os pontos de cadastramento, acessar:
http://rn3.antt.gov.br/
Quando será entregue o meu Certificado do
RNTRC?
Efetuando o cadastro em um dos Postos da
ANTT ou Credenciados, o transportador recebe o
Certificado do RNTRC na hora. Enquanto o transportador não estiver de posse do Certificado do
RNTRC ele não estará habilitado ao transporte remunerado de cargas.
Tenho vários caminhões e só recebi um certificado do RNTRC. Preciso tirar fotocópias do documento para cada um dos veículos?
Informamos que todos os transportadores cadastrados no RNTRC até o dia 15 de maio de 2009
e que não efetuaram o seu recadastramento estão
suspensos. Para se regularizar, o transportador
deve comparecer em uma das unidades regionais
da ANTT ou em um posto credenciado. Para informações sobre nomes, telefones e endereços das
entidades credenciadas, consulte o site da ANTT
http://rn3.antt.gov.br/ ou entre em contato com
a agência pelo telefone 0800 610 300. Os instrumentos legais que dispõem sobre o exercício da
atividade de transporte rodoviário de cargas por
conta de terceiros e mediante remuneração; assim
como estabelecem procedimentos para inscrição
e manutenção no RNTRC, são a Lei nº 11.442/2007
e a Resolução ANTT nº 3056/2009.
Como posso saber se meu registro já foi efetuado?
Por meio do link http://appweb2.antt.gov.br/
rntrc é possível visualizar os transportadores já
habilitados pela ANTT a realizar o transporte rodoviário de cargas, em território nacional. A consulta
pode ser feita pela razão social/nome da empresa
ou do transportador, pela categoria (autônomo,
cooperativa ou empresa), pelo estado ou cidade.
É possível alterar dados, como o endereço
do transportador, por exemplo?
Revista SETCESP - julho 2013 | 45
REGISTRO NACIONAL DO TRANSPORTADOR
Os pedidos de alteração de dados cadastrais devem seguir os mesmos procedimentos previstos
para os pedidos de registro, podendo ser efetuada,
pessoalmente ou por meio de um representante
constituído, nas Unidades da ANTT ou nos Postos
Credenciados por todo o País. Para conhecer os pontos de cadastramento, acesse: http://rn3.antt.gov.br/
Pedi a inclusão ou exclusão de um veículo.
Como faço para ter certeza que essa mudança foi
efetivada?
O Transportador poderá consultar se o veículo
ainda está na sua frota acessando http://rn3.antt.
gov.br/system/Modulos/Transportador/tra00006.
aspx ou solicitar um extrato da frota em qualquer
posto da ANTT ou credenciado http://rn3.antt.
gov.br/
Quais são os documentos exigidos na fiscalização do RNTRC?
Na fiscalização do RNTRC, serão exigidos dos
transportadores de carga ou do condutor: – Contrato ou Conhecimento de Transporte Rodoviário de
Cargas, que poderá ser substituído por outro documento fiscal, desde que contenham as informações
necessárias, tratadas nos artigos 23 e 39 da Resolução ANTT nº 3.056/2009. – Certificado de Inscrição
no Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas – CRNTRC, em tamanho natural ou
reduzido, desde que legível, admitida a impressão
em preto e branco, ou do Certificado de Registro e
Licenciamento de Veículos –CRLV contendo o número do RNTRC; – Identificação do número de inscrição
no RNTRC nas laterais dos veículos, na forma prevista na Resolução ANTT nº 3056/2009.
a prestação do serviço?
O Contrato ou o Conhecimento de Transporte
deve ser emitido por viagem e é de porte obrigatório na prestação do serviço de transporte rodoviário remunerado de cargas durante toda a viagem.
Para fins de fiscalização, o Conhecimento de transporte pode ser substituído por outro documento
fiscal, desde que possua as informações definidas
nos incisos II,III,IV,V,VIII,IX,X e XI do art. 23 da Resolução ANTT 3.056, de 2009.
É cobrada alguma taxa para obter o RNTRC?
A Resolução ANTT nº 3.056/2009 não prevê a
cobrança de emolumentos ou taxas para inscrição,
manutenção ou renovação do Registro Nacional
de Transportadores Rodoviários de Cargas – RNTRC, quando realizados nos postos próprios de
atendimento da Agência. Para maior facilidade aos
usuários do RNTRC, a ANTT firmou convênio com
algumas entidades representativas do setor e de
âmbito nacional, ampliando a rede de atendimento. São gratuitos em qualquer posto de atendimento da ANTT ou de seus conveniados: a) O registro
do transportador, compreendendo a inserção de
dados no sistema; b) A impressão do certificado e
do extrato da frota do transportador em papel A4
comum; c) A inclusão e a exclusão de veículos da
frota. Deverão ser arcados diretamente pelo usuário os serviços extras decorrentes da inscrição
no RNTRC, que são prestados pelas entidades credenciadas, como: a) Impressão ou confecção dos
adesivos; b) Fotocópias; c) Autenticações; d) Vias
adicionais, etc. Para conhecer os pontos de cadastramento, acesse: http://rn3.antt.gov.br/
É obrigatório o porte do Conhecimento de
Transporte Rodoviário de Cargas – CTRC durante
FONTE: ANTT
Tire suas dúvidas sobre o
46 | Revista SETCESP - julho 2013
Revista SETCESP - julho 2013 | 47
No mercado de transportes e logística,
a PRAJNA tem a solução na medida
certa para as suas necessidades
COLUNA SUSTENTABILIDADE
Conheça o Programa RG LOG
Sustentável
Empresa cuida do meio ambiente mantendo uma coordenadoria de programas sustentáveis, como o seu
projeto florestal efetivo, com o plantio de uma floresta com 300 mil árvores em Goiás
Fundada em 2008, com uma metodologia
inovadora em transporte de cargas, a RG LOG
vem desenvolvendo programas de sustentabilidade desde seu início.
Instituiu uma coordenadoria de programas
sustentáveis e através dele vem criando alternativas eficientes de sequestro de carbono, controle e inventários de emissões, destino correto de
dejetos, reuso de água e eficiência energética.
Através dessa coordenadoria instituiu um
projeto de fomento florestal efetivo, criando em
parceria uma floresta de 300.000 árvores de seringueira no estado no Goiás.
“A escolha da seringueira deu-se por fatores
planejados, pois visava criar um banco eficiente
de carbono (CO²) sequestrado, e devido à cultura da seringueira (Heveicultura), ser uma floresta de ciclo longo (40 anos) garante um estoque
suficiente para neutralizar todas as emissões de
frota e serviços da RG LOG”, é o que explica André Rossetti, presidente da empresa.
“Buscávamos criar um sistema eficiente e real
de controle e neutralizações de nossas emissões
e assim criamos esse projeto”.
O diferencial dele está no fomento da floresta, pois assim conseguimos ter um estoque destinado exclusivamente a nossos processos, com
o qual conseguimos com esse desenvolvimento
florestal criar um banco próprio de sequestro
de carbono de 150 mil toneladas de CO² equivalente para fazer frente às emissões de 25 mil
toneladas de CO² da empresa.
O programa de sustentabilidade da RG LOG
é constituído de uma tríade composta por RG
Ambiente, RG Gente e RG Consciente; assim
criando um sistema integrado de ações entre
meio ambiente, social e gestão.
Segundo Paula Coutinho, uma das gestoras de sustentabilidade da empresa, o cuidado
com o meio ambiente é uma missão que nasceu
junto com a transportadora.
“É um princípio da empresa, a questão de
preservação. Queremos neutralizar o nosso impacto na natureza e isso só pode ser feito por
meio de ações sólidas de preservação do meio
ambiente. A busca pela multimodalidade e pela
máxima eficiência energética é um exemplo”,
diz Paula.
A empresa realiza o transporte e a operação
logística da cadeia industrial, cortando diversos
Estados diariamente, em uma frota com idade
média reduzida e gestão de emissões.
RG LOG a identidade da logística sustentável.
NOSSOS DIFERENCIAIS:
NOSSOS PRODUTOS:
- Atendimento em todo Brasil.
- Agendamento de exames ON LINE – agilidade nas admissões
e demissões.
- Software 100% WEB – Acesso às informações de qualquer
lugar do mundo
- Digitalização de PRONTUÁRIOS MÉDICOS, facilitando a
localização de ASO´s quando necessário.
- Médicos e Engenheiros especialistas em Peritagem Judicial.
- Gerenciamento do FAP- Fator Acidentário Previdenciário.
“Somente no setor de Logística – Transporte, atendemos mais
de 10.000 colaboradores em todo Brasil, somando aos 300.000
colaboradores atendidos em todos os segmentos pelo Brasil”.
Ao longo de nossos 10 anos de atuação na área de Medicina e
Segurança do Trabalho desenvolvemos Know-how para atender de
forma específica as necessidades do setor de Logística e Transporte, e trabalhamos com intuito de oferecer soluções para que o seu
Departamento Pessoal/ RH foquem seus esforços principalmente
aos interesses de sua empresa. “
- Central de Saúde para Motoristas (CSM): A Prajna se preocupa
com a saúde dos profissionais do transporte e apoia iniciativas
para monitorar e ajudar caminhoneiros e outros trabalhadores
a ter mais qualidade de vida e hábitos mais saudáveis.
- Os clientes Prajna têm acesso ao programa Estrada para a
Saúde, uma blitz da saúde realizada em diversas rodovias
paulistas com acompanhamento contínuo para carreteiros,
exames médicos, tratamento odontológico, entre outros.
- Somente em 2010, o programa realizou mais de 15 mil
atendimentos, que demonstraram, por meio dos resultados,
que os motoristas de caminhão precisam estar alerta em
relação à saúde, principalmente em relação a problemas
como sedentarismo, obesidade e triglicérides alterado.
R. Severino Araújo de Lima, 95 - Freguesia do Ó
CEP: 02927-040 - São Paulo - SP
Tel: (11) 4508-2332 - [email protected]
www.prajnas.com.br
48 | Revista SETCESP - julho 2013
Revista SETCESP - julho 2013 | 49
LEI DO MOTORISTA
A verdade sobre a Lei do Motorista
Confira a íntegra do comunicado da NTC&Logística sobre o seu posicionamento sobre as mudanças na Lei
12.619/12, que regulamenta a profissão do motorista, sua jornada de trabalho e o tempo de direção e descanso, conhecida como Lei do Motorista
EXPERIÊNCIA DE GENTE GRANDE,
COM IMAGINAÇÃO DE CRIANÇA.
V
ale lembrar a participação da entidade e dos demais representantes do transporte de cargas durante quatro anos na fase de elaboração da lei em vigor, cuidando em promover amplo debate entre empresários do setor, em todo o país, para depois participar das negociações que ocorreram entre empresários, trabalhadores empregados e autônomos, com a mediação
do Ministério Público do Trabalho para o envio de um projeto, contendo consenso possível naquele
momento ao Congresso Nacional, onde foi discutido sofrendo modificações no Senado e na Câmara
e, depois de aprovado foi enviado para o Executivo, sendo sancionada a lei com vetos sobre temas
importantes para sua aplicação.
Logo após a publicação da lei, o setor já se posicionou em defesa de aperfeiçoamentos da lei,
não só em razão dos vetos que dela suprimiram disposições consideradas essenciais para a sua aplicação, mas também para a correção de distorções nela contidas, que dificultam sua perfeita interpretação e aplicação.
Já nesta fase, a NTC tem participado de todos os foros onde se discute a lei, quer para sua perfeita compreensão e aplicação – seminários com o judiciário trabalhista, com o Ministério Público
do Trabalho, com advogados trabalhistas, com empresários do setor e com embarcadores – quer
para seu aperfeiçoamento através de acordos ou convenções coletivas e de alterações legislativas
– junto ao Congresso Nacional, à Casa Civil da Presidência da República, ao Ministério do Trabalho,
ao Ministério Público do Trabalho, às entidades de representação dos trabalhadores, às entidades
de variados setores da economia.
Em defesa do aperfeiçoamento da lei, a NTC encaminhou suas sugestões em todos os foros
mencionados e não tem se furtado em participar de toda e qualquer discussão que vise com seriedade e lealdade buscar um consenso para o seu aprimoramento.
As propostas encaminhadas e defendidas pela NTC&Logística são frutos de novos debates e sugestões dos empresários do setor e tem por objetivo:
Estabelecer igualdade de tratamento entre motorista empregado e o transportador autônomo;
Flexibilizar o descanso diário do motorista em oito horas contínuas, mais três horas durante o
mesmo dia;
Permitir ao motorista empregado trabalhar quatro horas extraordinárias num mesmo dia;
Definir o descanso semanal como sendo de vinte e quatro horas, seguido ou antecedido do descanso diário;
Flexibilizar o descanso semanal permitindo sua acumulação por três semanas;
Permitir ao motorista pequenas movimentações durante o tempo de espera;
Permitir ao motorista em dupla o descanso no próprio veículo e o descanso com veículo parado
por seis horas a cada três dias;
O cadastramento dos postos de combustíveis das rodovias de todo o país em cento e oitenta
dias e a vigência da lei após esse prazo;
Fiscalização educativa nos primeiros cento e oitenta dias de vigência da lei;
Regra de transição para os trechos de rodovia em que não existam pontos de parada a cada
cento e cinquenta quilômetros, permitindo a direção até chegar ao ponto existente ou outro local
de descanso.
Esta é a verdade sobre a posição das empresas de transporte: não concordamos com a simples
revogação ou deturpação da lei. Queremos com sinceridade o aperfeiçoamento da Lei 12.619/12.
Apresentamos e defendemos nossas propostas e estamos abertos à busca de soluções de consenso, bem como para discutir outras propostas honestas e sinceras de aprimorar a lei que surgir.
FLÁVIO BENATTI
PRESIDENTE DA NTC&LOGÍSTICA
50 | Revista SETCESP - julho 2013
Revista SETCESP - julho 2013 | 51
PEDÁGIO
RASTREAMENTO
Exceção será a praça de Jacareí (SP), que teve um acréscimo de R$ 0,10, a partir da
zero hora de domingo, 4 de agosto
A
ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) definiu que as tarifas de pedágio da
Via Dutra serão mantidas, à exceção da praça
de pedágio de Jacareí (SP), que teve um acréscimo de
R$ 0,10, a partir da zero hora de domingo, 4 de agosto.
A decisão foi publicada no Diário Oficial da União desta
quinta-feira (1/8).
Segundo a Agência, foi aplicada a variação do IPCA
(Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) do
período, de 6,7%. O reajuste, entretanto, foi compensado com a adequação do cronograma de investimentos
e redução da verba contratual de fiscalização.
“Este é mais um exemplo de que reduzir a pressão de custos sobre a sociedade é importante para
fomentar o crescimento do País. A rubrica pedágios
é um peso muito grande, até mesmo para uma família que está viajando de férias. Para o transporte
de cargas, o custo com o pedágio é enorme e as
transportadoras deixam todos os anos fortunas nas
praças de cobrança. A sociedade precisa se mobilizar para fazer com que esta pressão tarifária seja aliviada e para que, aos poucos, a vida dos brasileiros
não seja ainda mais onerada”, comenta o presidente
do SETCESP, Manoel Sousa Lima Jr.
TELEGESTÃO PÓSITRON
SOLUÇÕES EM TELEMETRIA PARA A GESTÃO DE DESEMPENHO
Referência no desenvolvimento de soluções tecnológicas em Rastreamento, a Pósitron oferece
ferramentas completas para a Gestão de Desempenho. Além da Telemetria Pósitron, dados e
informações são analisados e transformados em conhecimento, através de uma Central de
Inteligência, possibilitando aos clientes realizar a gestão de sua frota em vários níveis de serviço:
DESEMPENHO
DO VEÍCULO
E FORMA DE
CONDUÇÃO DO
MOTORISTA
TELEGESTÃO:
SOLUÇÕES EM
TELEMETRIA
PARA GESTÃO DE
DESEMPENHO
TELEMETRIA
• Associação do motorista
• Hodômetro
• Identificação do motorista
• Jornada de trabalho e tempo de direção
• Controle de velocidade e infrações
• Frenagem e aceleração bruscas
TELEGESTÃO PÓSITRON I
Todas as vantagens de Telemetria, mais:
• Definição de indicadores e metas
• Diagnóstico da operação
• Relatório e plano de ação
JUL/2013
Valores de pedágios
da Via Dutra serão mantidos
• Tempo do veículo
parado com a ignição
ligada
• Relatórios gerais de
utilização do veículo
TELEGESTÃO PÓSITRON III
Todas as vantagens anteriores,
mais:
• Reuniões mensais para
avaliação de resultados
• Capacitação dos motoristas
TELEGESTÃO PÓSITRON II
Todas as vantagens anteriores,
mais:
• Reunião de apresentação do
relatório inicial
• Reuniões trimestrais para
avaliar resultados
CONSULTE QUEM É ESPECIALISTA NO ASSUNTO E FIQUE TRANQUILO!
Entre em contato e saiba como obter esta ferramenta que irá auxiliar a
gestão de tomada de decisões e maximizar os resultados da sua empresa.
Para conhecer a linha completa de produtos Pósitron, acesse:
52 | Revista SETCESP - julho 2013
Revista SETCESP - julho 2013 | 53
DIRETORIAS ADJUNTAS
Reunião marca trabalho conjunto das
Diretorias de Especialidade de
Produtos Perigosos e Transporte
de Resíduos
Café da Manhã realizado no SETCESP abordou a legislação e as regras para o transporte de produtos perigosos e os procedimentos da logística reversa e a manufatura reversa de resíduos eletrônicos
O
SETCESP realizou em julho um café da
manhã especial para marcar o trabalho
conjunto das Diretorias de Especialidade
de Transporte de Produtos Perigosos, que tem o diretor Thiago Budni à frente, e da Diretoria de Especialidade de Transporte de Resíduos, recém-criada
pelo diretor Tercio Borlenghi.
O encontro contou com a participação de diversos associados, empresários, especialistas e profissionais do transporte de produtos perigosos e
resíduos e os participantes puderam assistir a duas
palestras.
A primeira palestra, sobre “Legislação para o
Transporte de Produtos Perigosos - ANTT e NBRs”,
foi proferida pela presidente da Comissão de Produtos Perigosos da ABNT (Associação Brasileira de
Normas Técnicas), Glória Benazzi, que focou sua
apresentação na norma que trata sobre o curso
das operações de carga, descarga e transbordo de
produtos perigosos. O complemento da palestra
foi feito pela assessora Técnica do SETCESP, Sandra
Caravieri, que explicou aos associados as principais
alterações ocorridas no Decreto nº 96.044/88 - Regulamento de Produtos Perigosos.
A segunda palestra do evento foi proferida por
Lucio Di Domenico, diretor da empresa Descarte
Certo, sobre o tema “ Logística Reversa e Manufatura Reversa de Resíduos Eletroeletrônicos”. O palestrante discorreu sobre os principais aspectos
técnicos e dificuldades da logística reversa e do
transporte de resíduos, um nicho do transporte de
cargas importantíssimo para o meio ambiente.
“Fiquei muito satisfeito em ver o trabalho conjunto das duas diretorias Adjuntas de Especialidade, pois os assuntos abordados por estes grupos
são importantíssimos para diversas especialidades
de transporte. As operações com produtos perigo-
sos, a logística reversa e a coleta de resíduos são
atividades logísticas de altíssima contribuição para
a indústria, o meio ambiente e a sociedade e as regras que envolvem estas atividades são complicadas e numerosas, demandando um apoio por parte
da nossa entidade para os associados”, comenta o
presidente do SETCESP, Manoel Sousa Lima Jr.
CONSÓRCIO NACIONAL
54 | Revista SETCESP - julho 2013
Revista SETCESP - julho 2013 | 55
BASE TERRITORIAL
Conheça a
base territorial
do SETCESP
Região formada por 51 municípios concentra grande parte do PIB do transporte paulista e
engloba três dos maiores municípios brasileiros: São Paulo, Guarulhos e Osasco
A
Base Territorial do SETCESP é formada pela cidade de São Paulo e mais 50 municípios da Região Metropolitana. Toda essa região concentra um total de 11 Sindicatos Laborais que realizam negociações trabalhistas com o SETCESP, celebrando, todos os anos, as Convenções Coletivas de Trabalho.
A delimitação da Base Territorial é importante para definir qual é a área geográfica de atuação de um Sindicato. Desde sua fundação, em 1936, até meados dos anos 1980, o SETCESP teve sua base territorial abrangendo
todo o Estado de São Paulo e seus mais de 500 municípios.
Com o advento da criação da FETCESP, a Federação das Empresas de Transportes de Carga do Estado de São
Paulo, houve o desmembramento da base territorial do SETCESP e a criação, também, dos 13 demais Sindicatos
Patronais do Transporte Paulista, distribuídos pelo Litoral, ABC Paulista e Interior.
Atualmente, a base de atuação do SETCESP engloba a Região Metropolitana de São Paulo, excluindo-se o ABC
Paulista, que conta com Sindicato próprio. Os 14 Sindicatos de empresas de transportes do Estado de São Paulo
que compõem a FETCESP são: SETCARP (Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas de São José do Rio Preto
e Região), SETCATA (Sindicato das Empresas de Transporte de Carga de Araçatuba e Região), SETCESP (Sindicato
das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região), SETRANS (Sindicato das Empresas de Transporte de
Carga do ABC e Região), SINDETRANS (Sindicato das Empresas de Transporte de Carga de Ribeirão Preto e Região),
SINDIVAPA (Sindicato das Empresas de Transporte Comercial de Carga do Vale do Paraíba e Litoral Norte), SINDBRU (Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas de Bauru e Região), SINDETRAP (Sindicato das Empresas
de Transportes de Cargas de Piracicaba e Região), SINDISAN (Sindicato das Empresas de Transporte Comercial de
Carga do Litoral Paulista), SETCAPP (Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas de Presidente Prudente), SETCAR (Sindicado das Empresas de Transportes de Carga de Araraquara e Região), SETCARSO (Sindicato das Empresas de Transporte de Carga de Sorocaba e Região), SINDECAR (Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas de
Porto Ferreira e Região), e SINDICAMP (Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas de Campinas e Região).
Confira na página ao lado a lista de municípios da atual base territorial do SETCESP.
56 | Revista SETCESP - julho 2013
Revista SETCESP - julho 2013 | 57
Neste espaço você confere, todos os meses, a lista dos novos associados do SETCESP, empresas que acreditam na união do transporte rodoviário de cargas como forma de buscar os objetivos comuns do setor e
somar forças para conquistar as bandeiras que a entidade busca. Veja abaixo os novos associados do mês
de JUNHO e JULHO de 2013:
IDEIALOG LOGÍSTICA LTDA
Respeite os limites de velocidade.
Novos associados do SETCESP
RINO COM
ENTIDADE
TRANSPORTES E LOGÍSTICA DIA & NOITE LTDA
INOVA EXPRESS LTDA
PROFILE SOLUCOES EM LOGÍSTICA LTDA EPP
J.J.C TRANSPORTES EM GERAL LTDA ME
VRC-VICARI TRANSP LOGÍSTICA LTDA
BGMRODOTEC TECNOLOGIA E INFORMÁTICA LTDA
EXPRESSO FORBI TRANSPORTES LTDA
LIMA & TEIXEIRA COURIER LTDA - EPP
SEMI TRANS SERV EM TRANSPORTES LTDA - ME
MARDONIO CARGO EXPRESS TRANSPORTES LTDA
PNT EXPRESS TRANSPORTES E SERVIÇOS LT ME
TRANSPORTADORA AVENIDA EXPRESS LTDA
BR LLOGIC LOGISTICA & TRANSPORTES
Vença desafios com quem melhor
entende os caminhos do Brasil.
Em todas as estradas e com todos os tipos de carga, os caminhões rodoviários Scania reúnem força
e desempenho, garantindo a maior economia de combustível. Um amplo portfólio de soluções em serviços
proporciona mais rentabilidade às suas operações. Você não pode parar, e o Brasil também não.
Por isso, o seu caminhão tem que ser Scania.
Para associar sua empresa do SETCESP, entre em contato com a entidade
pelo telefone 11 - 2632-1000 ou pelo e-mail [email protected]
58 | Revista SETCESP - julho 2013
facebook.com/ScaniaBrasil
Faz diferença ser Scania.
Revista SETCESP - julho 2013 | 59
Empresa especializada em transporte de cargas fracionadas e embaladas atua no Estado de
São Paulo há 66 anos
QUANDO A CORRIDA É POR ECONOMIA,
O TICKET CAR É SEMPRE O 1º
®
Equipe Ticket Car®
Corinthians Motorsport.
A
transportadora Expresso Salomé está no
time das companhias com mais tempo de filiação ao SETCESP. Associada desde novembro de 1952, a companhia especializada em transporte
de produtos perigosos embalados e fracionados atua
no setor há 66 anos atendendo o abastecimento no Estado de São Paulo.
“A empresa começou dois anos depois do fim da
Segunda Grande Guerra, em 1947, com o fundador
Gabriel Salome, já falecido, sendo este um dos pioneiros no transporte de cargas no Estado”, conta Jair Nardo, atual diretor da Salomé.
Em 1964, entrou como sócio Guilherme Nardo,
também já falecido. Esta sociedade começou após
o empresário adquirir um caminhão no ano de 1960
para transportar os produtos cultivados pela sua pequena propriedade no município de Guapiaçu e tam60 | Revista SETCESP - julho 2013
bém transportar cereais produzidos pelas famílias japonesas das imediações.
“Por volta de 1963, com a ida dessas famílias para
a capital de São Paulo, Guilherme, enxergando ali
uma ótima oportunidade, fez a mudança dessas famílias japonesas para a cidade e no retorno transportava cargas para o Expresso Salomé. Logo nesse período ele adquiriu a companhia”, diz Nardo.
Atualmente, a Salomé conta com 70 veículos e
seis unidades (São Paulo, Campinas, Votuporanga,
São José do Rio Preto e Catanduva), onde trabalham
cerca de 130 colaboradores diretos e eventualmente
mais 40 agregados.
“É algo muito gratificante ainda estar atuando no
TRC após tanto tempo. Além disso, é muito importante estar associado ao SETCESP, uma entidade que
mostra a força e representatividade do setor”, conclui.
Só a solução mais completa em gestão
de frotas te oferece uma redução média
de 20% em despesas.
Gestão
de Frotas
Manutenção
Ticket Car®
Assistência 24h
Ticket Car® Ticket Car® Track
Gestão de
Recolha de Nota e Ticket Car®
Estabelecimento
Interno
Track Online
Ticket Car®
Carbon
Control
* De capitais e regiões metropolitanas. De outras localidades, digite o código de sua operadora local e o DDD da capital de seu estado.
Expresso Salomé soma 60 anos como
associada ao SETCESP
cantaloop.com.br
ASSOCIADOS MAIS ANTIGOS
Ticket Car®
Carbon Free
Tem economia, tem Ticket®.
www.ticketcar.com.br | 4003-9000*
Revista SETCESP - julho 2013 | 61
ROUBO DE CARGAS
Polícia paulista prende empresários
com R$ 30 mi em cargas roubadas
Departamento de Investigação especializado recuperou materiais como produtos de limpeza e alimentos;
os dois detidos eram responsáveis por armazenar produtos roubados em rodovias
A
pós investigações da 2ª Divecar (Delegacia
de Investigações sobre Roubos de Cargas)
do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais), dois empresários responsáveis por
armazenar materiais obtidos por meio de roubos foram
presos em flagrante no dia 16 de julho atuando em São
José do Rio Pardo (SP).
A carga, estimada em R$ 30 milhões, continha
produtos como azeite, óleos lubrificantes, presuntos importados, pneus e materiais de limpeza. Todo o
carregamento foi levado em oito caminhões para São
Paulo, em meados de julho. As mercadorias serão devolvidas aos proprietários. No local também foi encontrada uma carreta com registro de roubo.
Segundo informações da 2ª Divecar, o ponto de
armazenamento, instalado no bairro Fartura, operava como um galpão comercial de produtos furtadas, mas para despistar usavam a fachada como
uma empresa de distribuição de hortifruti.
As investigações sobre essa ramificação da ‘Co-
Fenômeno de norte
a sul do Brasil.
Automação de processos e gestão integrada para
otimizar a produtividade e transformar seu negócio.
nexão Caipira’, que reúne quadrilhas envolvidas
em roubo e receptação de mercadorias, começaram em maio.
Os produtos eram furtados nas rodovias Anhanguera e Bandeirantes, trecho que compreende a região de Campinas. Os policiais da 2ª Divecar conseguiram identificar a base logística do grupo criminoso
em Rio Pardo.
Os dois empresários presos são sócios e responderão por receptação. A polícia ainda investiga a participação de outros integrantes na quadrilha.
“Este trabalho da Divecar na prisão dos receptadores é uma excelente notícia para os transportadores, pois mostra que a polícia paulista está atenta ao
problema do roubo de cargas, eleito pelas empresas
de transporte como a maior preocupação dos empresários. Parabenizo as equipes da Divecar por esta vitória contra o roubo de cargas e espero que tenhamos
cada vez mais êxito nesta luta contra o crime”, comenta o presidente do SETCESP, Manoel Sousa Lima Jr.
Entregar mais eficiência. Se este é o caminho
da sua empresa no futuro, conte com a TOTVS
para chegar cada vez mais longe. Afinal, nossas
soluções de nova geração em software, tecnologia,
infraestrutura e serviços são o que você precisa
para transformar a gestão do seu negócio.
Novos desafios pedem novas soluções.
Ligue e agende uma visita com os nossos consultores.
Software (SaaS)
|
Tecnologia
|
Serviços
www.totvs.com
0800 70 98 100
/totvs
62 | Revista SETCESP - julho 2013
Revista SETCESP - julho 2013 | 63
ESPAÇO DOS ASSOCIADOS
Leitores podem sugerir pautas
para as próximas edições
Uma das prerrogativas da nova revista do SETCESP
é a interatividade da publicação com seus leitores.
A partir desta edição, está criado o canal de comunicação com o público, que poderá enviar sugestões de pauta para o conteúdo da revista
A
partir desta edição, a Revista SETCESP abre a todos os seus leitores um novo canal de interação.
Os transportadores associados, profissionais do
transporte e da logística, entidades parceiras e demais
participantes da cadeia do transporte e da logística poderão sugerir pautas que deverão nortear reportagens nos
próximos números da revista.
“A interação com o público é um dos ingredientes
mais preciosos da comunicação moderna e a nossa revista quer trazer às suas páginas assuntos que estejam na
cabeça dos transportadores, que, em seu dia a dia, detectam fatos e notícias que devem ser disseminadas a toda
a comunidade transportadora. É por isso que estamos
abrindo esta possibilidade de nossos leitores enviarem
suas sugestões de pauta”, comenta o vice-presidente e
diretor de Comunicação do SETCESP, Tayguara Helou.
As pautas poderão ser enviadas diretamente à equipe
de redação da revista, que passará os assuntos à aprovação da Diretoria Executiva, foro que vai eleger os temas
que deverão entrar nas páginas da publicação.
Já imaginou sua empresa
aqui na Revista SETCESP?
Espaço criado pela entidade vai publicar cases e fatos relevantes das transportadoras associadas ao SETCESP, na página dedicada exclusivamente às
empresas associadas
Ser associado a uma entidade como o SETCESP é fazer parte de uma grande comunidade
do transporte de cargas, um grupo de empresas que sobrevive no dia a dia, mesmo com as
grandes dificuldades do mercado e do ambiente empresarial brasileiro.
Dentro deste universo de transportadoras, cada um faz seu papel e cria soluções e modos
de atuação para se diferenciar da concorrência, atender aos clientes da melhor forma possível e buscar a excelência e a qualidade total.
Todo este trabalho, certamente, rende histórias que merecem ser contadas e compartilhadas com todo o setor. Portanto, a Revista SETCESP abre, a partir de hoje, a COLUNA do
ASSOCIADO, um espaço dedicado à publicação de cases e histórias das transportadoras
filiadas ao Sindicato.
Para enviar sua pauta à Revista SETCESP, basta escrever
para o endereço de e-mail [email protected]
Todas as sugestões serão analisadas.
Para participar, basta inscrever sua empresa pelo e-mail [email protected],
colocando no e-mail o assunto COLUNA DO ASSOCIADO e descrevendo o case ou a história que queira compartilhar com toda a comunidade transportadora.
Os cases e histórias serão recebidos pela Diretoria do SETCESP e serão selecionados de
acordo com a relevância, o ineditismo e a contribuição para o setor de transporte rodoviário de cargas brasileiro.
64 | Revista SETCESP - julho 2013
Revista SETCESP - julho 2013 | 65
Indicadores econômicos do setor
O SETCESP informa alguns indicadores econômicos referentes ao mês de junho de 2013.
% No mês
% Em 12 meses
Índice
% No mês
% Em 12 meses
IGPM/FGV
0,75
6,34
IPC/FIPE
0,32
5,22
INPC/IBGE
0,28
6,97
INCT-F/NTC
0,02
8,05
IPCA/IBGE
0,26
6,70
INCT-L/NTC
0,06
7,42
Variação do Índice de Emprego no Transporte Rodoviário de Cargas
% No mês (JuN/2013)
% Em 12 meses
-2,35
-1,80
Região Metropolitana de São Paulo (Fundação SEADE)
Combustíveis - Referência: JUNHO/2013 – Fonte: ANP
COMBUSTÍVEL
Preço R$ / Litro
% Em 12 meses
DIESEL
2,286
12,56
GASOLINA
2,699
2,62
ÁLCOOL
1,751
-1,96
GNV
1,664
15,72
PLANILHA DE CUSTOS DOS VEÍCULOS MAIS UTILIZADOS
C 100 BIZ c/
Baú
MB Sprinter 413
CDI 2.2 td
Furgão
ACELLO
VUC 715
MB 710/37
c/ Furgão
Duralumínio
MB Atego
1315/48 s/ 3º
eixo F. Duralumínio
- TOCO
QUILOMETRAGEM MENSAL
3.000
3.000
4.000
4.000
8.700
8.700
9.553
9.800
CUSTOS FIXOS
MENSAIS (R$)
1.999,35
6.814,57
5.856,77
6.448,08
7.560,19
8.442,30
8.914,96
15.779,35
Remuneração
do Capital
65,82
966,64
886,96
1.092,91
1.495,45
1.736,08
2.079,48
4.584,21
Salário do
Motorista
1.735,00
2.834,00
2.834,00
2.834,00
2.834,00
2.834,00
2.834,00
3.111,03
Salário de
Oficina
37,52
407,16
407,16
407,16
508,95
508,95
1.017,89
678,60
Reposição do
Veículo
109,90
1.270,30
914,83
1.128,49
1.203,58
1.397,81
1.150,43
3.021,56
Reposição do
Equipamento
11,08
-
170,40
218,24
377,21
377,21
243,25
1.224,75
Licenciamento
(IPVA)
40,03
170,30
119,62
126,40
194,05
194,05
224,17
432,53
946,95
1.394,20
1.365,74
2.726,67
2,1757
TIPO DE
VEÍCULO
Seguros
MB Atego
1315/48 c/ 3º
eixo F. Duralumínio
- TRUCK
MB L1620
C/ 3° EIXO
Scania T 330
4x2 CCL c/
SemiRReb. 3
eixos
-
1.166,17
523,80
640,88
0,2140
0,7001
0,7053
0,7779
1,1526
0,9946
1,0188
0,0948
0,2904
0,2459
0,3042
0,2643
0,2945
0,2528
0,7051
Combustível
0,0771
0,2858
0,3206
0,3206
0,7189
0,4156
0,6385
0,9525
Lubrificantes
0,0063
0,0496
0,0117
0,0117
0,0148
0,0153
0,0313
0,0289
Lavagens e
Lubrificação
0,0240
0,0313
0,0500
0,0550
0,0280
0,0280
0,0252
0,0394
Pneus
0,0118
0,0430
0,0771
0,0864
0,1266
0,2412
0,0710
0,4498
CUSTO TOTAL
MENSAL (R$)
2.641,35
8.914,87
8.677,97
9.559,68
17.587,81
17.095,32
18.647,56
37.101,21
CUSTOS VARIÁVEIS
(R$ POR KM)
Peças e acessórios para
manutenção
SAC Sicredi - 0800 724 7220 / Deficientes Auditivos ou de Fala - 0800 724 0525. Ouvidoria Sicredi - 0800 646 2519.
Índices de Inflação - Referência: JUNHO/2013
Índice
As pessoas, juntas, são a força que move o mundo.
E esta vida em rede pede uma nova economia e um outro jeito de resolver a vida financeira. Mais sustentável e
humano, mais empreendedor e rentável para todos.
Somos uma instituição financeira cooperativa. Feita por pessoas para pessoas. E isso significa que além de termos
conta-corrente, investimentos, cartões de crédito e financiamentos como um banco, a gente sabe que os valores
que importam nem sempre são feitos de números.
Aqui não somos clientes, somos associados. E no lugar de agências, temos unidades de atendimento. São nomes
diferentes porque a filosofia é diferente. Somos mais de 2 milhões de associados, temos voz de decisão e participamos
dos resultados. Juntos, viabilizamos produtos e serviços mais acessíveis e reinvestimos os recursos nas comunidades
onde vivemos, em cada um dos 10 estados em que estamos presentes. Para nós, ninguém precisa perder para todo
mundo ganhar. Ao contrário, gente que coopera cresce.
Se você também pensa assim, você acredita no que a gente já pratica há mais de 100 anos. Agora só falta viver a
sua vida financeira assim também.
Conta-corrente • Investimentos
Poupança • Consórcios • Crédito
Cartão de Crédito • Seguros
Fonte: Departamento de Economia e Estatística do SETCESP
66 | Revista SETCESP - julho 2013
Sicredi FETCOOP
Palácio do TRC - Rua Orlando Monteiro, nº 21
Vila Maria - SP | Tel: (11) 2632-1004
sicredi.com.br
gentequecooperacresce.com.br
Revista SETCESP - julho 2013 | 67
68 | Revista SETCESP - julho 2013
Download

FOCO NA SEGURANÇA NO TRÂNSITO