2
Política
Panorama
político
O Estado do Maranhão - São Luís, 7 de janeiro de 2014 - terça-feira
Ilimar Franco
A Câmara parada
A
umenta a temperatura entre o Planalto e o comando da
Câmara. A Casa não vota desde setembro. O ano é de
reeleição. E há projetos de interesse dos eleitores na fila
para votar. Entre esses: regular a PEC das domésticas; piso salarial dos policiais e dos agentes de saúde; fim do fator previdenciário; tornar a corrupção crime hediondo; e Ficha Limpa para
servidor público dos três poderes.
O PT leva um chega para lá
O Planalto está informando aos petistas que eles devem
reduzir a fome para a reforma ministerial. O partido quer
fazer o sucessor da ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais). Os paulistas tem até um candidato, o deputado
Ricardo Berzoini. Acontece que a presidente Dilma não
abre mão de ter ao seu lado, no Palácio, nomes de sua mais
absoluta confiança. Por isso, Aloizio Mercadante (Educação) está bem posicionado para a Casa Civil e Ideli Salvatti
a ficar em seu lugar. Ela perdeu a disputa interna no PT catarinense para concorrer ao Senado. E é tarde para Ideli organizar campanha para deputado federal sem ter que
atropelar os "companheiros".
“A paciência já se esgotou.
Vamos votar o Marco Civil da
Internet com ou sem acordo,
para aprovar ou rejeitar, no
retorno do recesso”
Henrique Eduardo Alves, Presidente da Câmara dos Deputados
(PMDB-RN)
Só na água
Leonardo Aversa/15-12-2009
A deputada Jandira
Feghali (PCdoB-RJ) foi
parada na madrugada de
ontem em blitz da Lei Seca, na Rua do Catete. Ela foi
reconhecida, cumprimentada pelo guarda. Mas este
pediu para ela descer do
carro e entrar na fila do
bafômetro. Ela foi liberada,
o teste deu negativo. Ela
tinha passado o dia num
churrasco, mas se limitou
a consumir sucos e água.
Cabo de guerra
A Rede está se fortalecendo no interior do PSB. Os socialistas resistem no cotovelo. Mas ganha terreno a possibilidade
de apoio das candidaturas de Miro Teixeira (PROS) ao governo do Rio e de Walter Feldman (PSB/Rede) em São Paulo.
Vem aí, mais médicos
As universidades federais abriram este ano 60% a mais de
vagas para Medicina. Em 2013, foram oferecidas pelo Sisu
pouco mais de 1.800 vagas para o curso em todo o país. Para
este ano, chegaram a 2.950 as vagas disponíveis.
Fica combinado assim
O DEM perdeu a Secretaria da Agricultura de Minas Gerais.
Assumiu um deputado do Solidariedade, o Zé Silva, e o suplente Mário Heringer (PDT) se manteve na Câmara. A explicação do senador Aécio Neves (PSDB-MG) para os aliados do
DEM: "Para eu fortalecer vocês, antes vocês têm que me fortalecer".
Factoide da Copa
As ameaças do governo para forçar as empresas aéreas a
baixarem seus preços para a Copa não assustam. Não há tempo para abrir o mercado para empresas estrangeiras nem há
espaço disponível para atendê-las nos aeroportos.
A fila anda
Com a prisão de João Paulo Cunha (PT-SP) decretada, a
petista Iara Bernardi será efetivada na vaga. Para assumir
como suplente será chamado Gustavo Petta (PCdoB). Mas,
se ele não aceitar, a próxima da fila é Maria Lúcia Prandi
Gomes (PT).
zzz
O vice Michel Temer vai reunir, dia 17, os 92 prefeitos do
PMDB paulista para apoiar a chapa Paulo Skaf
governador/Dilma presidente.
Com Simone Iglesias, sucursais e correspondentes
ilimar@bsb.oglobo.com.br
Dilma Rousseff faz balanço
de ações e programas de
educação em seu governo
Presidente afirma que entregou quase 1.300 creches em todo o país e
garante que meta é atingir a marca de 6 mil contratadas até o fim do ano
B
RASÍLIA - A presidente Dilma Rousseff (PT)
fez um balanço ontem,
durante o programa de rádio
"Café com a Presidenta", das
principais ações de governo
voltadas à educação. Segundo
Dilma, o governo entregou
quase 1.300 creches e outras
3.100 estão em construção. Ela
disse também que as escolas
públicas em tempo integral devem chegar a 60 mil em 2014.
Dilma assegurou que ampliará os programas educacionais até o fim do ano. "Em 2014
vamos melhorar e ampliar ainda mais os programas educacionais que estamos executando nos últimos três anos do
meu governo. Vamos trabalhar
sem descanso para atingir novas metas e continuar esse processo de transformação do ensino no Brasil, que vai da creche à pós-graduação", afirmou.
Para a presidente, a creche é
o primeiro passo. "Meu governo já entregou quase 1.300 creches e outras 3.100 já está estão em construção. A nossa
meta é encerrar este ano com
6 mil creches contratadas por
todo o país. Nós vamos conseguir isso porque estamos usando agora um novo método
construtivo. Com essa nova forma de construir, as estruturas
e os acabamentos do prédio
vêm prontos lá da fábrica, e a
obra leva, no máximo, sete meses. É na creche que a criança
recebe os estímulos necessários para desenvolver a sua capacidade de aprendizado para
o resto da vida. Então, garantindo o acesso às creches damos a todos os brasileirinhos e
brasileirinhas, seja qual for a
renda de suas famílias, igualdade de oportunidades desde
o início de suas vidas", disse.
A presidente falou também
sobre as escolas em tempo integral. "Temos um programa
chamado 'Programa de Ensino Integral'. E, com ele, já estamos levando educação em
dois turnos para crianças e
adolescentes de 49 mil escolas
públicas de todo o Brasil. O
nosso objetivo agora para este
ano é chegar a 60 mil escolas
com ensino de tempo integral.
A boa notícia é que essas escolas são frequentadas por alunos beneficiários do 'Programa Bolsa Família'. Além disso,
fizemos o 'Programa Caminho
da Escola', que são os ônibus
amarelinhos, para garantir que
as crianças das áreas rurais e
dos municípios do interior
cheguem mais rápido, com
maior segurança e conforto à
sala de aula. Hoje, já são 17 mil
ônibus só no meu governo",
completou.
Alfabetizadores - Segundo a
presidente, outro segredo na
educação é o professor. "Cerca de 300 mil alfabetizadores,
Divulgação
Presidente da República afirma que volume de investimentos aumentará em 2014 para a educação
Mais
A presidente Dilma Rousseff
(PT) afirmou que nos últimos
10 anos, todos do governo petista, foi dobrado o número de
matrículas nas universidades
federais. Atualmente, segundo
a presidente, são mais de 1 milhão de universitários em todo
o país. “Isso só foi possível graças ao nosso esforço para expandir a Rede Federal de Ensino Superior no Brasil, abrindo
novos campi e criando novas
universidades e a interiorização do ensino superior no Brasil”, finalizou a petista.
professores alfabetizadores já
estão fazendo os cursos, de
dois anos, que nós oferecemos
para aperfeiçoar os métodos
de ensino, conhecer novas técnicas e ajudar cada criança
deste país a chegar aos 8 anos
já sabendo ler e a fazer as operações básicas de matemática.
Além do professor alfabetizador, já estamos oferecendo
também, para 400 mil professores do Ensino Médio, cursos
de formação", disse.
Dilma também falou da
profissionalização dos ensinos
médio e técnico. "Têm jovens
que fazem o ensino técnico simultaneamente ao ensino médio. E outros preferem fazer o
ensino técnico depois que terminam o Ensino Médio. Nos
dois casos, eles já saem do curso com uma profissão. O nosso governo retomou os investimentos no ensino técnico,
porque formar bons técnicos
é fundamental para dar mais
oportunidades para os jovens
no mercado de trabalho e para melhorar a qualidade e a
Presidente destaca avanços
do ProUni no ensino superior
Dilma Rousseff também fez um
balanço do ProUni e do Fies e
falou dos investimentos no ensino superior. "Só em 2013, nós
concedemos, pelo ProUni, 177
mil bolsas de estudos e, assim,
chegamos à marca de 1,2 milhão
de bolsas. O ProUni concede bolsas de estudos aos estudantes
que não têm condições de pagar
uma faculdade particular, permitindo que eles realizem o sonho de fazer um curso superior.
Além do Sisu e do ProUni, o nosso governo estimula a entrada no
ensino superior por meio do Fies,
o Financiamento Estudantil. Já
são mais de 1 milhão de financiamentos estudantis no meu
governo, e com condições de
pagamento muito favoráveis. A
meta é oferecer o financiamento
a 400 mil estudantes para que
eles possam cursar o ensino superior", disse.
A presidente citou o programa
Ciência sem Fronteiras como um
dos maiores investimentos da
educação do país. "Desde que foi
criado, há pouco mais de dois
anos, o Ciência sem Fronteiras já
concedeu 60 mil bolsas para es-
produtividade do trabalho, o
que também é importantíssimo para a nossa economia. Foi
para isso que nós criamos, no
meu governo, esse grande programa que é o Pronatec, o 'Programa Nacional de Acesso ao
Ensino Técnico e ao Emprego'.
Em pouco mais de dois anos,
o Pronatec já realizou 5,5 mi-
tudantes brasileiros cursarem um
ano da sua faculdade ou da pósgraduação nas melhores universidades do mundo. Até o final
deste ano, queremos chegar a 101
mil bolsas concedidas, o que nunca foi feito na história deste país
em um espaço de tempo tão curto", explicou.
Dilma terminou o programa
falando sobre os demais investimentos do Governo Federal nos
últimos três anos. "Nós aumentamos os investimentos em educação no meu governo, mas vamos fazer muito mais com os recursos dos royalties do petróleo e
do Fundo Social. Em 2013, tivemos uma vitória histórica da educação brasileira, que foi a
aprovação, no Congresso, da lei
que nós enviamos e que destina
recursos dos royalties do petróleo
para investimentos em educação,
75% dos royalties. Essa lei ainda
destina metade do Fundo Social
do pré-sal, formado pelo excedente em óleo, para a educação.
São bilhões de reais para fazer
mais creches, mais escolas, para
alfabetizar as nossas crianças”, finalizou.
lhões de matrículas nos cursos
técnicos ou de qualificação
profissional que oferecemos de
graça em parceria com o Sistema S - com o Senai, o Senac, o
Senar e o Senat - e também
com os institutos técnicos federais e as escolas estaduais. O
governo federal está investindo R$ 14 bilhões no Pronatec.
Download

Dilma Rousseff faz balanço de ações e programas de