WEJ Consultoria e Ensino Pedagógico Ltda.
Endereço: Rua João Jacó de Souza, 285, Centro, Araripina-PE.
Telefones: (87) 3873-0278/(87) 9627-6261/ (87) 9109-0786
Site: www.wejconsultoria.com.br
E-mail/Facebook: wej_consultoria@hotmail.com
CURSO LIDERARTE
Instrutora:
Eva Maria Oliveira
CURSO LIDERARTE
A LIDERANÇA é um tema importante para os gestores
devido ao papel fundamental que os líderes representam na
eficácia do grupo e da organização. Os líderes são responsáveis
pelo sucesso ou fracasso da organização. Liderar não é uma
tarefa simples, pelo contrário, liderança exige paciência,
disciplina, humildade, respeito e compromisso, pois, a
organização é um ser vivo dotado de colaboradores dos mais
diferentes tipos.
Como Definir a Liderança?
A Liderança pode ser definida como a habilidade de motivar e
influenciar os liderados, de forma ética e positiva, para que
contribuam voluntariamente e com entusiasmo para alcançarem
a organização desejada e os objetivos da equipe.
Perfil do Líder
• Líder é aquele que sabe servir, que sabe fazer funcionar a
harmonia das relações entre os operadores de um
contexto (empresarial ou outro), para que exista o
máximo de produção específica ou resultado integral. A
melhor forma de definir o líder é como um hierarca de
funções: as constrói, as controla, as desenvolve, as dirige
sempre com referência a um escopo definido.
Teorias da Liderança
Existem três teorias sobre a liderança:
• Traços da Personalidade - Segundo esta teoria o líder
possui características marcantes de personalidade que o
qualificam para a função.
• Estilos de Liderança - Esta teoria aponta quatro estilos de
liderança: autocrática, democrática, liberal e paternalista.
• Situações de Liderança (Teoria Contingencial) - Nesta
teoria o líder pode assumir diferentes padrões de liderança
de acordo com a situação e para cada um dos membros da
sua equipe.
Estilos de Lideranças
•
•
•
•
Os tipos de liderança estão condicionados as reações do
comportamento humano, pois, existem quatro tipos de
lideranças que são definidas a partir da tomada de decisão
do líder.
Liderança Autocrática;
Liderança Democrática;
Liderança Liberal ou Laissez Faire;
Liderança Paternalista;
Estilos de Liderança
Existem outros estilos de liderança associados à relação
causal entre cada estilo e os efeitos sobre o clima e o
desempenho do trabalho. Esses estilos são definidos como:
Estilo Visionário
Estilo Conselheiro
Estilo Relacional
Estilo Pressionador
Estilo Dirigista
Liderança e Oportunidades
O bom profissional tem uma visão
diferenciada do mercado de trabalho,
pois, ele consegue ver oportunidade de
crescimento até nos empregos “ruins”
que muitas vezes não oferecem uma
carga horária de trabalho favorável,
uma boa remuneração pelo trabalho
desenvolvido ou oferece muitas
adversidades para o alcance dos
objetivos da organização.
Liderança e Oportunidades
• Algumas estratégias podem ser adotadas pelo líder para
transformar desvantagens em oportunidades de
crescimento. Muitas dessas estratégias são ações simples
que passam a fazer a diferença na sistematização dos
resultados alcançados pela organização.
Estratégias...
• Algumas estratégias podem ser adotadas pelo líder para
transformar desvantagens em oportunidades de
crescimento. Muitas dessas estratégias são ações simples
que passam a fazer a diferença na sistematização dos
resultados alcançados pela organização.
1. Buscar parcerias com outras organizações que possam
fortalecer as ações da instituição ou do grupo.
2. Abordar empresas com o objetivo de angariar estágios
ou aperfeiçoamento profissional dos liderados.
3. Desenvolve um projeto relacionado a um programa de
estágios para recrutar colaboradores competentes.
Estratégias
4. Sempre que possível organiza conferências, reuniões e
seminários envolvendo parceiros para apresentação dos
trabalhos e ações desenvolvidas pela organização.
5. Quando possível organizar ações voluntárias que
resultem em reconhecimento explícito do trabalho da
instituição.
6. Antes de realizar um trabalho fazer orçamentos e
acompanhar atentamente a execução das ações.
7. Ficar atento às inovações do mercado.
8. Realizar planejamentos anuais e mensais, como
também, promover reuniões com os liderados para
conhecer os problemas e desafios da organização.
As 21 Irrefutáveis Leis da Liderança –
John C. Maxwell
1. Lei do Limite
A capacidade de liderança determina o grau de eficácia da
pessoa.
• Antes de compreender a lei, vamos entender o que é eficácia. No
dicionário é a mesma coisa, mas na prática não é!
• Segundo Peter Drucker, um dos gurus da administração, eficiência
consiste em fazer certo as coisas; eficácia consiste em fazer as coisas
certas.
• Vamos à lei: a capacidade de liderança é o limite que determina o
grau de eficácia de uma pessoa.
• Quanto mais baixa a capacidade de liderança de uma pessoa, mais
baixo o limite em seu potencial.
2. A Lei da Influência
A lei da influência é uma das mais importantes. Como diz John
Maxwell, liderança é influência, nada mais, nada menos.
Quando Moisés enviou 12 espias para fazer uma análise da terra
prometida, quando eles voltaram, 10 espias deram um relatório
negativo e somente 2 deram um relatório positivo, que foram
Josué e Calebe. Desse modo, entrou em um conflito de
influências, quem convenceria a multidão?
-Vamos analisar a natureza da liderança:
Liderança é influencia;
Os líderes não possuem influência em todas as áreas;
Nossa influência pode ser tanto negativa quanto positiva;
Líderes fiéis usam sua influência para adicionar valor;
Com a influência vem à responsabilidade.
3. Lei do Processo
“A liderança se desenvolve diariamente, não em um
dia”.
• Tornar-se líder é muito como investir com sucesso no
mercado de ações. Se sua esperança é fazer uma fortuna
em um dia, não terá sucesso. Em desenvolvimento de
liderança, não há “operadores de curto prazo” para o
sucesso. O mais importante é aquilo que, em longo prazo,
você faz dia após dia.
• Se você investe continuamente em desenvolvimento de
liderança, deixando seu “patrimônio” render, o resultado
inevitável é crescimento com o passar do tempo.
4. Lei da Navegação
• Qualquer um pode conduzir o navio, mas é preciso um
líder para estabelecer o rumo.
• ESTRATÉGIA DO LÍDER NA NAVEGAÇÃO:
1. Determine com antecedência um plano de ação;
2. Defina metas;
3. Estabeleça prioridades;
4. Informe as pessoas chaves;
5. Dê tempo para a aceitação;
6. Parta para a ação;
7. Saiba que haverá problemas;
8. Revise diariamente seu plano.
5. Lei da Adição
• Líderes agregam valor ao servir aos outros.
• Agregar valor aos outros ao servir a eles não beneficia
apenas as pessoas que recebem essa ajuda. Isso permite
que os líderes experimentem o seguinte:
• - Realização por liderar os outros;
• - Liderança pelos motivos certos;
• - Capacidade de realizar atos relevantes como líderes;
• - Desenvolvimento de uma equipe de liderança;
• - Postura de ajuda em uma equipe.
6. A Lei da Base Sólida
Confiança é o fundamento da liderança.
• Quão importante é a confiança para o líder? É a coisa
mais importante. É a conexão que mantém unida a
organização. Os líderes não podem, repetidamente,
quebrar a confiança das pessoas e continua a influenciálas. Simplesmente isso não acontece.
7. A Lei do Respeito
•
•
•
•
•
•
•
As pessoas, naturalmente, seguem líderes mais fortes que elas.
O que leva uma pessoa a respeitar e a seguir outra? É por causa das
qualidades do líder? Será em função de um processos que envolve
líder e seguidor? Acontece por causa das circunstâncias? Acredito
que todos esses fatores influenciam. Aqui estão as seis formas
principais pelas quais os líderes conquistam o respeito dos outros:
1.Capacidade natural de liderança.
2.Respeito pelos outros.
3.Coragem.
4.Sucesso.
5.Lealdade.
6.Valor agregado aos outros.
8. Lei da Intuição
Líderes avaliam tudo em função da liderança.
• Em função de sua intuição, os líderes avaliam tudo com
um víés de liderança. As pessoas que nascem com uma
capacidade de liderança natural são particularmente fortes
na área de intuição da liderança. Outras têm que trabalhar
duro para desenvolvê-la e conquistá-la. Mas seja com for,
a intuição é fruto de duas coisas: A combinação de
habilidade natural, as áreas fortes da pessoa, e habilidades
aprendidas. A intuição é bem informada, e isso faz com
que as questões de lideranças apareçam ao líder de uma
forma que não ocorre aos outros.
9. Lei do Magnetismo
Você é quem atrai.
• Os líderes eficazes estão sempre de olho em bons
profissionais. Eles traçam o perfil e selecionam gente
com tais e tais qualidades. Mas na verdade, não é o que
você quer que determina as pessoas que você consegue.
Quem determina isso é o que você é. Na maioria das
situações você atrai pessoas que possuem as mesmas
qualidades suas. Igual atrai igual. Os bons alunos gostam
da companhia de outros bons alunos.
11. Lei do Círculo Intimo
O potencial do líder e determinado pelas pessoas mais
próximas dele.
• Se essas pessoas são fortes, o líder pode realizar grandes
coisas. Se são fracos, nada se fará. “O líder encontra
grandeza no grupo, e ajuda os membros a encontrá-la em
si mesmos.” Warren Bennis.
12. A Lei do Fortalecimento
Só lideres seguros delegam poder aos outros.
• “O melhor executivo é aquele que tem percepção
suficiente para escolher homens competentes que façam o
que ele quer que se faça, e autodomínio suficiente para
não de intrometer no trabalho deles.” Theodor Roosevelt
• O líder deve desenvolver o seu liderado, dar-lhe recursos,
autoridade e responsabilidade e garantir liberdade para
que ele faça o seu trabalho. É inaceitável que por causa de
insegurança pessoal, o líder tenha duas formas de agir:
Ora encoraja o liderado, ora pratica a sabotagem.
13. A Lei da Imagem
•
•
•
•
•
As pessoas fazem o que vêem.
Se você deseja ser o melhor líder possível, não pode
ignorar a lei da imagem. Enquanto você se esforça para
ser um melhor exemplo para os seus seguidores, lembrese do seguinte:
- Os seguidores sempre vêem o que você faz;
- É mais fácil assinar o certo que fazer o certo;
- Devemos mudar antes de tentar melhorar os outros;
- O melhor presente que o líder pode dar é ser um bom
exemplo.
14. A Lei da Aquisição
As pessoas aceitam o líder, depois os seus planos.
• As pessoas, de início, não seguem causas dignas. Seguem
líderes dignos que promovem causas dignas. Se um líder
não cultivar a credibilidade junto aos seus comandados,
pouco importa se os planos são excelentes ou ruins. As
pessoas procuram seguir líderes com os quais têm
afinidade.
• Dê tempo para que as pessoas o aceitem, e se tiver um
grande projeto, não o lance antes de ter conquistado a
credibilidade de todos.
15. A Lei da Vitoria
Líderes descobrem uma forma de a equipe vencer.
• “Se vocês me perguntarem qual a nossa meta, responderei
com uma só palavra: vitória. Vitória a qualquer custo,
vitória apesar de todo o terror, vitória por mais longa e
difícil que seja a estrada; pois sem a vitória não há
sobrevivência”.
16. A Lei do Grande Impulso
O impulso é o melhor amigo do líder.
• Quando você não tem impulso, até as tarefas mais
simples podem parecer problemas insuperáveis. Se há
impulso suficiente, praticamente qualquer tipo de
mudança se torna possível.
17. A Lei das Prioridades
Os líderes sabem que atividade não representa
necessariamente realização.
• Há duas diretrizes que ajudam a medir o nível de
atividade e a determinar as prioridades:
• 1ª) Princípio de Pareto (Vilfredo Pareto, 1848 – 1923)
– foi um economista italiano. Do seu universo de
atividades separar 20% que sejam as mais importantes e
concentre a atenção nelas. Terá 80% de retorno de seu
trabalho.
• 2ª) A Segunda Diretriz são os Três “Erres”: Requisitos,
Retorno e Recompensa.
18. A Lei do Sacrifício I
Um líder precisa abrir mão para progredir.
• Os líderes de sucesso têm de manter uma atitude de
sacrifício para transformar uma empresa ou alavancar um
empreendimento. A verdadeira natureza da liderança é na
realidade o sacrifício.
• Sempre que você souber que o passo é certo, não hesite
em fazer um sacrifício. Líderes eficazes sacrificam muitas
coisas boas para se dedicar a coisas melhores.
19. A Lei do Sacrifício II
Os grandes líderes sabem que identificar o momento certo
é tão importante quanto saber o que fazer e aonde ir.
• Sempre que o líder toma uma decisão, só há na verdade
quatro consequências possíveis:
• 1) A decisão errada no momento errado provoca
desastre.
• 2) A decisão correta no momento errado gera
resistência.
• 3) A decisão errada no momento certo é um erro.
• 4) A decisão certa no momento certo leva ao sucesso.
20. A Lei do Crescimento Explosivo
A chave do crescimento é a liderança. São os bons
recursos humanos. É formar uma equipe de líderes.
• Matemática do Subordinado: Os líderes que
desenvolvem subordinados fazem a sua organização
crescer ao ritmo de uma pessoa por vez.
• Matemática do Líder: Os líderes que desenvolvem
outros líderes multiplicam o seu crescimento, pois cada
líder que lapidam, ganham todos os subordinados desse
líder.
21. A Lei do Legado
“É na sua sucessão que se revela o valor duradouro do
líder”.
• Poucos executivos, líderes ou pastores ajudam a
desenvolver, lapidar e preparar os seus sucessores na
organização. Normalmente, pessoas que vieram de um
começo difícil e foram “apadrinhadas” e tiveram um
mentor que confiou e nela investiu, também reproduzem
isto, investindo e treinando alguém.
Os líderes que praticam a lei do legado
agem assim:
• 1.Eles enxergam longe!
• 2.Eles criam uma cultura de liderança.
• 3.Eles investem hoje para garantir o sucesso de
amanhã.
• 4.Eles valorizam mais a liderança de equipe do que a
liderança individual.
• 5.Eles saem da organização com integridade.
Lideranças em Grêmios Estudantis
• “Tudo o que acontece no mundo, seja no meu país, na
minha cidade ou no meu bairro, acontece comigo.
Então, eu preciso participar das decisões que interferem
na minha vida.” Herbert de Souza (Betinho)
• Grêmio Estudantil
• O Grêmio é a organização que representa os interesses
dos estudantes na escola. Ele permite que os alunos
discutam, criem e fortaleçam inúmeras possibilidades de
ação tanto no próprio ambiente escolar como na
comunidade. O Grêmio é também um espaço de
aprendizagem, cidadania, convivência, responsabilidade e
de luta por direitos.
Grêmio Escolar
• É uma entidade política, essencialmente, democratizante,
com foco na aprendizagem, cidadania, compartilhamento
e na luta por direitos estudantis. Constitui um espaço de
discussões, pautado na livre interação entre os
participantes e a comunidade.
Objetivos do Grêmio Escolar
• A fundamentação desta ação colegiada está em propiciar
aos jovens o reconhecimento e o exercício da prática
política - democrática como princípio para a conquista e
efetivação de direitos, fortalecendo a participação ativa
nas soluções de conflitos.
• Por que o Grêmio na Escola?
• A escola é um local privilegiado de construção da
cidadania, formação de lideranças e da promoção da
cultura cívica.
Como Organizar um Grêmio?
•
•
•
•
•
•
1º Passo:
- Comunicar à direção da escola;
- Divulgar a proposta na escola;
- Convidar os alunos e representantes de turma;
- Constituir COMISSÃO PRÓ-GRÊMIO;
- Elaborar proposta de Estatuto.
Como Organizar um Grêmio?
• 2º Passo:
• Convocar os alunos a participarem da Assembléia Geral
para:
• - Decidir nome do Grêmio;
• - Aprovar o estatuto que regerá o colegiado;
• - Estabelecer período de campanha e data da eleição;
• - Definir os membros da Comissão Eleitoral.
Como Organizar um Grêmio?
•
•
•
•
•
•
•
•
•
3º Passo:
- Formar as chapas que concorrerão à eleição;
- Promover debates entre os candidatos.
4º Passo:
- Organizar e realizar à eleição;
- Apurar os votos e registrar em Ata todas as ocorrências;
- Divulgar o resultado.
5º Passo:
- Enviar cópia da Ata de Eleição e do Estatuto para a
direção da escola;
• - Organizar e realizar a cerimônia de posse.
Leis que reforçam a existência
do Grêmio Estudantil
• A Força do movimento estudantil na história do país motivou a
elaboração de algumas leis que garantem a existência do Grêmio
Estudantil. Elas definem os direitos dos Grêmios se organizarem.
• Estatuto
• A Lei nº 7.398 de novembro de 1985 – Dispõe sobre a organização
de entidades estudantis de 1º e 2º graus e assegura aos estudantes o
direito de se organizar em Grêmios: “Art. 1º - Aos estudantes dos
estabelecimentos de ensino de 1º e 2º graus fica assegurada a
organização de Grêmios Estudantis como entidades autônomas
representativas dos interesses dos estudantes secundaristas, com
finalidades educacionais, culturais, cívicas, desportivas e sociais.”
Em Função disso, vale:
• Saber negociar com a direção da escola, mostrando
sempre a importância e a necessidade daquilo que se
pretende organizar.
• Buscar o envolvimento dos professores nos projetos, pois
eles podem contribuir de forma muito diversificada e
ricas nas ações do Grêmio.
• Investir na comunicação do Grêmio: Divulgar sempre e
de diversas formas (Por exemplo: Por cartazes, rádio ou
reuniões) as ações que o Grêmio realizou, está realizando
e realizará.
Em Função disso, vale:
• Ouvir sugestões que os alunos trazem. Afinal, não
podemos esquecer que o Grêmio existe para representálos. Mas vale a recomendação: Quando uma sugestão não
é viável, é muito importante comunicar os alunos sobre a
inviabilidade da ideia, afinal eles têm o direito de saber o
porquê.
• Fazer parcerias com instituições (Sociais, esportivas, etc.)
e estabelecimentos comerciais da região: Envolvê-los em
gincanas, campanhas, ações sociais, culturais e políticas
da comunidade. Uma dica importante: Não esqueça nunca
de divulgar o nome dos parceiros que colaboram com o
projeto, é uma medida justa e estratégica para futuros
apoios.
Em Função disso, vale:
• Nunca esquecer: Sem trabalho em equipe não existe
Grêmio! E sem Grêmio os alunos não podem explorar
todas as suas ideias para mudar a escola.
“O MAIOR LÍDER é aquele que
reconhece sua pequenez, extrai
força de sua humildade e
experiência da sua fragilidade.”
(Augusto Cury)
Obrigada!!!
“Ontem foi cheque pré-datado, Amanhã é
cheque do Dia e...
HOJE é dinheiro na Mão!”
Download

slide-curso-de-liderança - WEJ