GRUPO DE
LITERATURA
A- Metro Vila Mariana
B- Biblioteca Viriato Corrêa
Fabiano Aparecido Nunes nºusp: 5897104
Felipe Leonardo Ferreira nºusp: 6452617
E-mail: siqueira.adriano@gmail.com
Paulista, diagramador e design gráfico, em 44 anos de vida, Adriano
Siqueira colecionou livros, HQs, Filmes, Cds e tudo mais que existe
sobre vampiros.
Em 1996, começou a escrever contos de terror e vampiros e por este
motivo conheceu muitas pessoas que apreciavam este universo. Enviava
os contos por e-mail, mas com o sucesso criou um site só para colocá-los.
Os comentários sobre eles foram tão positivos que, no ano 2000, o autor
criou um site exclusivo sobre vampiros, para poder divulgar não só seus
contos, mas também, as obras dos escritores nacionais, que cediam seus
livros para serem entregues como prêmio nos Concursos de Contos, e
eventos.O site “Adorável Noite” www.contonoturno.hpg.com.br (que
atualmente é o www.adoravelnoite.com) deixou a sua marca no pescoço
desta nova fase da cultura nacional, através da divulgação de peças
teatrais e curtas metragens.
Paralelamente a criação do site, Siqueira participou da criação do
grupo de novos escritores “Tinta Rubra”, primeiro grupo de escritores de
vampiros da internet. Em 2001, lançou seu primeiro zine de contos de
vampiros e terror do Brasil. Denominado “Adorável Noite”, o zine
passou a divulgar a arte dos novos escritores e até hoje é distribuído nas
vampergrounds paulistas e eventos de ficção científica.
Foi autor convidado nas antologias literárias Amor Vampiro - 2008,
Draculea - o livro secreto dos vampiros - 2009 e Metamorfose - A fúria
dos lobisomens - 2009.
Hoje, além de escrever, Siqueira é consultor de novos sites sobre
vampiros, ministra palestras sobre vampiros, participa de exposições,
cede entrevistas para TV, Rádio e jornais e atualmente produz curtas
metragens, HQs e radionovelas sobre vampiros.
http://www.adoravelnoite.com/
http://adrianosiqueira.blogspot.com/
Solitários e sem amigos, eles vagam pela noite em uma busca eterna
por sangue fresco. Passam o dia dormindo em criptas bolorentas e em
castelos no topo de montanhas. Eles nunca envelhecem e não têm medo
da morte, porque já estão mortos. E se você encontrar com um na rua,
nem saberá que está cara a cara com um monstro.
As descrições de seu físico variam em cada cultura, desde uma fera
de olhos vermelhos com cabelos verdes ou cor-de-rosa (China) até uma
criatura parecida com uma serpente e com cabeça de mulher (a Lamia
grega), que passa pelo cavalheiro de aparência sofisticada, veste uma
capa de gola alta, que é originário de uma lenda do Leste europeu. Na
maioria das histórias, o vampiro é um ser humano que, uma vez morto,
ressuscita com a compulsão de beber o sangue dos vivos.Os vampiros
fazem parte do folclore há centenas de anos, mas só atingiram realmente
notoriedade em 1897, quando foi publicado o livro clássico de Bram
Stoker, Drácula. Os dentes caninos do vampiro que dá título ao livro de
Stoker eram ligeiramente alongados e pontudos, ele tinha cabelos nas
palmas das mãos e era extraordinariamente pálido, mas, fora isso, sua
aparência era bastante humana. É bem provável que o conde Drácula
tenha sido baseado em Vlad Tepes, o governante da Walachia (parte da
atual Romênia) no século XV, famoso por sua crueldade e violência.
Lendas diferentes fornecem relatos diferentes sobre a personalidade do
vampiro.
Algumas histórias descrevem a criatura como um assassino
desalmado e sem remorso. Já o conde Drácula de Bram Stoker era
inteligente e encantador, com modos impecáveis e uma boa linhagem.
Outras histórias descrevem os vampiros como seres essencialmente
decentes, eternamente torturados pelas coisas terríveis que têm que fazer
para sobreviver (um paradoxo do ponto de vista lógico pois já estão
mortos e ao mesmo tempo uma demonstração de licença poética). Essa
versatilidade é provavelmente uma das razões pela qual os vampiros
continuam inspirando novas lendas até hoje.
Download

Slide 1