A EVASÃO NO
ENSINO SUPERIOR
Profª Drª Maria José de Jesus Alves
Cordeiro
maju@uems.br
INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR
CENÁRIO ATUAL
TOTAL GERAL
CAPITAL
INTERIOR
2.281
825
1.456
PÚBLICAS
249
83
166
FEDERAL
106
55
51
ESTADUAL
82
28
54
MUNICIPAL
61
--
61
2.032
742
1.290
1.594
590
1.004
438
152
286
BRASIL
PRIVADAS
PARTICULAR
COMUM.,
CONF.e FILANT.
REGIÃO NORTE
NORTE
PÚBLICAS
FEDERAL
ESTADUAL
MUNICIPAL
PRIVADAS
PARTICULAR
COMUM., CONF.e
FILANT.
TOTAL GERAL
CAPITAL
INTERIOR
140
18
89
16
51
02
13
04
12
04
01
---
01
--
01
122
73
49
103
61
42
19
12
07
REGIÃO CENTRO-OESTE
CENTRO-OESTE
PÚBLICAS
FEDERAL
ESTADUAL
MUNICIPAL
PRIVADAS
PARTICULAR
COM., CONF. E
FILANT.
TOTAL GERAL
CAPITAL
INTERIOR
249
19
10
04
05
230
203
27
119
08
07
01
-111
95
16
130
11
03
03
05
119
108
11
VAGAS OFERECIDAS, INGRESSOS E CONCLUINTES
2007
VAGAS
OFERECIDA
S
BRASIL
PÚBLICAS
CANDIDATOS
INSCRITOS
TOTAL DE
INGRESSOS
DIFERENÇA
ENTRE
OFERTA E
INGRESSO
CONCLU.
2007
5.191.760
1.481.955
1.341.987
47,5%
1.621.408
756.799
864.609
46,6%
329.260
2.290.490
298.491
30.769
9,34%
357.979
193.531
164.448
45,9%
155.040
1.290.876
151.640
160.846
89.257
71.589
44,5%
152.203
80.014
72.189
47,4%
3.400
2,2%
113.731
920.887
109.720
4.011
3,5%
60.489
78.727
37.131
23.358
38,6%
44.930
24.260
20.670
46%
2.494.682
2.901.270
1.183.464
1.311.218
52,6%
1.263.429
563.268
700.141
55,4%
1.782.764
2.001.863
817.361
965.403
54%
695.905
336.031
359.874
51,7%
711.918
899.918
366.103
345.815
48,6%
567.524
227.237
340.287
59,9%
MUNICIPAL
PRIVADAS
PARTICULAR
COMUM.,
CONF.,FILAN
.
DIFER.
2004-I
2007-C
2.823.942
FEDERAL
ESTADUAL
INGRESSO
2004
Fonte: Tabela 4.2 e 6.1 – PNAD 2007; Censo do Ensino Superior de 2004 - INEP
VAGAS OFERECIDAS, INGRESSOS E
CONCLUINTES 2007
VAGAS
OFERECIDAS
REGIÃO
NORTE
PÚBLICAS
CANDIDATOS
INSCRITOS
TOTAL DE
INGRESSOS
DIFERENÇ
A ENTRE
OFERTA E
INGRESSO
INGRESSO
2004
CONCLU.
2007
144.136
444.667
90.535
53.601
37,2%
87.508
44.265
43.243
49,4%
28.649
247.647
27.126
1.523
31.203
22.253
8.950
28,7%
17.500
12.585
4.915
28,1%
12.229
9.016
3.213
26,3%
1.474
562
912
4,2%
5,3%
FEDERAL
18.257
158.664
17.824
433
2,4%
8.332
84.336
8.087
245
ESTADUAL
2,9%
2.060
4.647
1.415
MUNICIPAL
PRIVADAS
645
3,1%
115.487
197.020
63.409
52.078
45,1%
56.305
22.012
34.293
60,9%
101.264
177.145
54.803
46.461
45,9%
47.797
18.367
29.430
61,6%
14.223
19.875
8.606
5.617
39,5%
8.508
3.645
4.863
54,4%
PARTICULA
R
COMUM.,
CONF.,FILA.
DIFER.
2004-I
2007-C
Fonte: Tabela 4.2 e 6.1 – PNAD 2007; Censo do Ensino Superior de 2004 INEP
VAGAS OFERECIDAS, INGRESSOS E
CONCLUINTES 2007
VAGAS
OFERECIDA
S
REGIÃO
CENTROOESTE
CANDIDATOS
INSCRITOS
TOTAL DE
INGRESSOS
DIFERENÇA
OFERTA x
INGRESSO
INGRESSO
2004
CONCLU.
2007
DIFER.
2004-I
2007-C
280.859
488.155
131.343
149.516
53,2%
146.875
68.457
78.418
53,2%
PÚBLICAS
33.178
237.359
30.261
2.917
8,8%
32.407
20.909
11.498
35,5%
FEDERAL
17.213
173.182
17.002
18.660
11.172
7.488
40,1%
211
1,3%
ESTADUAL
10.810
59.662
10.652
158
1,5%
12.120
7.877
4.243
35%
MUNICIPAL
5.155
4.515
2.607
2.548
49,4%
1.627
1.860
+233
114%
PRIVADAS
247.681
250.796
101.082
146.599
59,2%
114.468
47.548
66.920
57,8%
PARTICULAR
202.088
195.527
80.996
121.092
59,9%
83.667
33.299
50.368
60,2%
COMUM.,
CONF.,FILAN.
45.593
55.269
20.086
25.507
56%
30.801
14.249
16.552
53,7%
Fonte: Tabela 4.2 e Tabela 6.1 – PNAD 2007 ; Censo do Ensino Superior – 2004 – INEP
EVOLUÇÃO DO NÚMERO DE
CONCLUINTES 2003 A 2007
ANO
BRASIL
NORTE
2003
13,3 %
30,7 %
CENTROOESTE
24,5 %
2004
18,6 %
105,5%
26,3%
2005
14,6 %
-25,2%
18,2 %
2006
2,6 %
7,2 %
-0,8 %
2007
2,7%
15,6 %
-4,0 %
DADOS SOBRE JUVENTUDE, EDUCAÇÃO, RAÇA E COR
2007
ANALFABETISMO
Nº MÉDIO DE ANOS
DE ESTUDO
BRASIL
10,0 %
7,3
R. NORTE
10,9 %
6,8
8,1 %
7,5
6,1%
8,2
14,1%
6,4
R. CENTROOESTE
RAÇA OU COR
BRANCA
NEGRA
FONTE . Comunicado da Presidência nº 12, o quarto da série - PNAD – 2007, que versa sobre educação,
juventude e raça/cor. Obs. Raça Negra é composta de pretos e pardos.
EVASÃO NA UEMS
VAGAS GERAIS
e
COTA PARA NEGROS
Quadro 1 – Demonstrativo do Número de Alunos Matriculados (Novos e
Veteranos) na UEMS de 2003 a 2007 [1]
Total
Geral
de
Alunos
Vagas
Gerais
Vagas
Gerais
Veteranos
Novos
2003
5.792
-
-
-
-
-
2004
6.278
4.678
1.297
236
-
236
2005
6.729
4.762
1.372
491
183
308
2006
7.290
5.110
1.869
600
386
214
2007
7.273
4.891
1.457
744
533
211
Total
-
-
5.995
-
-
969
Ano
Negros
Negros
Negros
Total
Geral
Veteranos
Novos
4 anos
[1]
Tabela de elaboração própria com dados coletados na Divisão de Assuntos Acadêmicos da Pró-Reitoria de Ensino da UEMS.
TABELA 7 – Ingresso e Permanência na Área
de Ciências Agrárias, Biológicas e da Saúde
1º ano
com
Cotas
Matrícula
Fev/2004
Evasão
4 anos
Dezembro
2007
%
Evasão
TABELA 8 –
Vagas
Gerais
Negros
428
60
117
29
311
31
27,3%
48,3%
Ingresso e Permanência na
Área de Ciências Humanas e Sociais
1º Ano
com
Cotas
Vagas
Gerais
– Ingresso e Permanência na Área
de Ciências Exatas e Tecnológicas
TABELA 9
1º Ano
com
Cotas
Matrícula
Fev/2004
Evasão
4 anos
Dezembro
2007
% Evasão
Vagas
Gerais
513
304
209
59,3%
56
41
15
73,2%
Negros
Negros
Matrícul
a
Fev/2004
Evasão
4 anos
Dezembro
2007
%
955
176
779
18,4%
130
53
77
40,7%
E
v
as
ã
o
TABELA 14 – Comparação entre Total de Ingressantes/2003 e Egressos/2007
VESTIBULAR
DEZEMBRO /2003
Cota
Vagas
Gerais
Negros
Indígenas
Nº
Vagas
Aprov.
1.148
7.287
328
164
INGRESSO
FEV/2004
%
Matric.
Total de
Aprov.
no
4º ano
%
(-)
De
Aprov.
Aprov.
para o
5º ano
1.337 novos
540
40,4%
569 de
Vestiulares
anteriores
124
21,8%
71
28,8%
Aprov.
290
81,1%
86,3%
236
67
116
62,3%
APROVADOS / EGRESSOS
DEZEMBRO/2007
09
Total de
Egressos
com
Diploma
de
Egressos
157
383
28,6%
28
96
16,8%
22
49
20,7%
01
08
11,9%
13,4%
% de diferença entre egressos oriundos do vestibular 2003: Brancos e Negros = 7,9%
Brancos e Indígenas = 16,7%
Negros e Indígenas = 8,8%
%
UNIDADE: Dourados
CURSO: Ciências da Computação
TURNO: Integral
ANO
VAGAS GERAIS
NEGROS
INDÍGENAS
1º 2004
85 alunos
Nº alunos: 74
Nº de disciplinas:
Nº alunos: 09
Nº de disciplinas:
Nº alunos: 02
Nº de disciplinas:
2º 2005
65 alunos
3º 2006
53 alunos
4º 2007
41 alunos
AP
AD
REP
EVA
TE
AP
AD
REP
EVA
TE
AP
AD
REP
EVA
TE
09
45
08
10
02
02
04
01
02
-
-
01
-
01
-
Nº alunos: 60
Nº de disciplinas:
Nº alunos: 04
Nº de disciplinas:
Nº alunos: 01
Nº de disciplinas:
AP
AD
REP
EVA
TE
AP
AD
REP
EVA
TE
AP
AD
REP
EVA
TE
04
36
05
09
06
02
01
-
01
-
-
01
-
-
-
Nº alunos: 49
Nº de disciplinas:
Nº alunos: 03
Nº de disciplinas:
Nº alunos: 01
Nº de disciplinas:
AP
AD
REP
EVA
TE
AP
AD
REP
EVA
TE
AP
AD
REP
EVA
TE
05
17
18
08
01
01
02
-
-
-
-
-
-
01*
-
Nº alunos: 38
Nº de disciplinas:
Nº alunos: 03
Nº de disciplinas:
Nº alunos: 0
Nº de disciplinas:
AP
AD
REP
EVA
TE
AP
AD
REP
EVA
TE
AP
AD
REP
EVA
TE
10
-
13
15
-
03
-
-
-
-
-
-
-
-
-
UNIDADE: Dourados
CURSO: Ciência da Computação
TURNO: Integral
ANO
VAGAS GERAIS
NEGROS
INDÍGENAS
1º 2007
144
alunos
Nº alunos: 127
Nº de disciplinas:
Nº alunos: 09
Nº de disciplinas:
Nº alunos: 08
Nº de disciplinas:
2º 2008
97 alunos
AP
AD
REP
EVA
TE
AP
AD
REP
EVA
TE
AP
AD
REP
EVA
TE
08
63
18
38
-
-
04
05
-
-
-
03
01
04
-
Nº alunos: 87
Nº de disciplinas:
Nº alunos: 07
Nº de disciplinas:
Nº alunos: 03
Nº de disciplinas:
AP
REP
EVA
TE
AP
REP
EVA
TE
AP
REP
EVA
TE
48
29
10
-
03
02
02
-
01
-
02
--
MOTIVOS DE EVASÃO
Falta de motivação
Problemas de saúde
Distância da família
Ambiente acadêmico e mal
atendimento
Formação básica deficiente
Dificuldades financeiras
Transporte e alimentação
Relação professor-aluno
Condições de moradia
Falta de programas de apoio
institucional (bolsas)
Falta de espaços de convivência
Ausência de programas sociais e
esportivos
Desconexão entre a educação básica
e o ensino superior
Cursos caros falta de flexibilidade
nas negociações financeiras
PERGUNTAMOS:
A evasão tem sido analisada com
profundidade, com dados confiáveis,
históricos e análises estatísticas,
permitindo entender as causas e
pontos a serem atacados no seu
combate?
Os dados do processo seletivo tem
sido aproveitados nessas análises?
A sua instituição preocupa-se em atender
os alunos com grande número de faltas e
baixo aproveitamento?
E a reprovação? Ainda é considerada
natural
ou
como
um
insucesso
institucional?
E a evasão? È vista pelos professores
como algo preocupante ou como menos
trabalho nas atividades?
PROPOSTAS
Programa de atualização pedagógica
para os professores, principalmente
dos primeiros anos;
Flexibilização dos currículos;
Atividades para os acadêmicos como
seminários, oficinas, palestras e
visitas de profissionais da área;
Melhoria
do
ambiente
acadêmico
(estrutura física e atendimento pessoal);
Mobilidade entre os cursos;
Criação de programas de nivelamento;
Valorização dos bons professores e suas
práticas;
Recepção dos alunos pelos docentes e
veteranos;
Acompanhamento pela coordenação de
curso do desempenho acadêmico dos
alunos como prevenção à evasão e
repetência;
Programas de monitoria/tutoria, bolsas
permanência
e
aconselhamento
e
orientação aos acadêmicos;
Modificação do processo seletivo
Tornar o ambiente universitário agradável.
OBRIGADA!
Download

A Evasão no Ensino Superior