BRASIL ENTRA PARA A ROYAL COLLECTION
Pintora de Fantasias
Painter of fantasy
ROYAL COLLECTION
VOLUME - 09
BRASIL ENTRA PARA A ROYAL COLLECTION
PROJETO DA SHELL DO BRASIL E INTERNATIONAL PUBLICITY LEVA QUADRO DE SÔNIA MENNA BARRETO À COLEÇÃO
DA COROA BRITÂNICA
No dia 1 de outubro de 2002, pela primeira vez uma obra brasileira passou a integrar a ROYAL COLLECTION, pertencente à
Família Real Britânica, uma das mais importantes coleções de arte do mundo.
A VARIG foi também um colaboradora deste Projeto. A artista e os participantes no Brasil viajaram para Londres com
passagens gentilmente cedidas por esta empresa.
A artista plástica Sônia Menna Barreto participou da cerimônia de entrega de um quadro original de sua autoria, às 12h, no
Palácio de Buckingham.
Várias autoridades estiveram presentes, tais como o embaixador brasileiro Celso Amorim, o presidente da Royal Collection
- Sir Hugh Roberts, o Chairman da Leonard Cheshire International - Mr. Richard Thomas.
A obra retrata alegoricamente a vida do Lord Leonard Cheshire, piloto britânico mais condecorado durante os combates
da segunda guerra mundial.
UM PROJETO DE ARTE DIVULGA BENEFICÊNCIA
A Shell financiou a pesquisa e a subseqüente pintura do quadro, como parte de um programa de
assistência à LEONARD CHESHIRE SOCIEDADE BENEFICENTE idealizado pela International Publicity (
empresa organizadora do Grande Prêmio do Brasil de Fórmula1 ).
A sociedade beneficente representa no Brasil a FUNDAÇÃO INTERNACIONAL LEONARD CHESHIRE, que
começou quando o herói da aeronáutica dedicou-se a abrigar adultos com deficiências físicas, logo após
a segunda guerra mundial. Aqui, a LEONARD CHESHIRE SOCIEDADE BENEFICENTE administra o Lar
São José do Jaguaré, especialmente construído para abrigar deficientes físicos adultos. Embora com
raízes britânicas, a iniciativa brasileira é mantida com a colaboração de pessoas físicas e jurídicas do
país.
Para remeter à presença da Fundação em 57 países com culturas bem diferentes entre si, Sônia criou a
estrutura principal do quadro como uma Torre de Babel, alegoria bíblica para a gênese dos vários idiomas
falados no globo. A partir daí, uma intrincada cena envolve fotos antigas do herói de guerra Cheshire,
figuras representando seus colaboradores e até aviões da RAF: "O piloto inicia toda a ação desenhando e
recortando personagens que, do papel, criam vida e começam uma tarefa de muito trabalho, união e
construção, com um só pensamento: ajudar o próximo", revela a pintora. No quadro, a Shell,
patrocinadora do projeto, é simbolizada pela concha que ampara uma pessoa com deficiência de
locomoção.
Sônia Menna Barreto e Tamas Rohonyi ( Presidente da Leonard Cheshire Brasil )
CERIMÔNIAS :
Palácio Saint James : no dia 30 de setembro foi feita a entrega oficial do quadro ao Sir Hugh Roberts em seu escritório no
Palácio Saint James. Nesta ocasião a artista plástica explicou toda a simbologia da obra. A entrega do quadro foi realizada
na véspera para que no dia da cerimônia oficial o mesmo estivesse pronto para as solenidades no Palácio de Buckingham.
Sir Hugh Roberts ( Presidente da Royal Collection ) e Sônia Menna Barreto
Palácio de Buckingham : no dia 1 de outubro realizou-se a cerimônia oficial da entrega do quadro na sala nobre do
palácio. Estavam presentes à cerimônia o Sir Hugh Roberts ( Presidente da Royal Collection ), o Sr. Celso Amorim (
Embaixador do Brasil ) e senhora, Paulo Elias Martins de Moraes ( Embaixada do Brasil ), o Sr. Evandro Gueiros ( General
Manager da Shell ), Marcia Mello ( Shell ), Marcelo William Bottini ( Commercial Genaral Manager da Varig ) , Sr. Larry
Dilon, ( Assessor de marketing da Varig na Europa ), Mr. Richard Thomas ( Chairman da Leonard Cheshire International ),
Mr. Rupert Ridge ( Diretor da Leonard Cheshire International ), Mr. Roger Brown ( Assistent Director - Leonard Cheshire
International , Lucie Spickova ( Leonard Cheshire International ), o Sr. Tamas Rohonyi – representante da Leonard
Cheshire do Brasil, além da artista e seu marido Mucio Menna Barreto de Barros Falcão Filho.
Na oportunidade falaram o Sir Hugh Roberts, o Sr. Celso Amorin, o Sr. Tamas Rohonyi e a artista Sônia Menna Barreto.
Palácio de Buckingham – parte do grupo momentos após a cerimônia oficial :
Márcia Mello ( Shell ) , Roger Brown ( Leonard Cheshire International – USA )
Mucio Menna Barreto , Tamas Rohonyi ( Presidente da Leonard Cheshire Brasil )
Sônia Menna Barreto , Rupert Ridge ( Diretor - Leonard Cheshire International )
Lucie Spickova ( Leonard Cheshire International – England ) , Richard Thomas ( Leonard Cheshire International – Chairman )
Sr. Larry Dilon, ( Assessor de marketing da Varig para a Europa ) , Marcelo William Bottini ( Gerente Geral da Varig Europa e África )
Evandro Gueiros ( Gerente Geral da Shell )
Embaixada do Brasil : no dia 2 de outubro o Sr. Celso Amorim recebeu a artista na Embaixada Brasileira em Londres.
Paulo Elias Martins, Sônia Menna Barreto e Celso Amorim ( Embaixador do Brasil )
Leonard Cheshire – óleo sobre linho – 40 x 50 cm – 08-2002
Através de imagens e símbolos esta pintura conta à história do Lord Leonard Cheshire e sua fundação , a Leonard
Cheshire Foundation .
A estrutura principal do quadro é no formato de uma torre de Babel , ( onde segundo a Bíblia nasceram os vários idiomas )
remetendo aos 57 países onde a fundação atua e as várias línguas que são faladas e costumes diversos de cada país .
A ação toda da história começa à esquerda , abaixo com uma foto antiga do piloto Leonard , na época da Segunda Guerra
Mundial .
O piloto inicia toda a ação, "idealizando" através do desenho e de um recorte com personagens unidos numa só intenção,
o que seria a futura fundação : pessoas numa só sintonia – ajudar o próximo .
Do papel , os personagens criam vida e começam a dura tarefa de muito trabalho , união e construção . Há o personagem
que carrega as pedras , os que ajudam na construção das casas , o que ampara à senhora idosa e a "protege" da chuva ,
(o guarda –chuva tendo o papel simbólico de proteção) e os personagens que eu chamo de construtores do quadro , da
imagem em si : a mulher (de verde e amarelo para homenagear o Brasil), que está pintando a base do alicerce e ao mesmo
tempo se inspirando , vendo a imagem do Lorde Cheshire , (que foi de certa forma como me inspirei o tempo todo
enquanto elaborava o quadro) , o homem acima desenhando a outra foto antiga que usei , com a imagem de uma Casa
Cheshire , como eram chamadas as casas , em Dehra Dun , na Índia .
Outros símbolos que usei :
O "fio condutor" , que é o ideal de todos na construção e manutenção da fundação. Se inicia no personagem de papel
desenhado pelo Lorde Cheire, serve como ajuda na subida dos primeiros personagens trabalhadores , passa pelos idosos
sentados no banco , aparece na mão da criança dentro da foto antiga de Dara Dun , serve como base para amarrar o
andaime ... e volta até a pintora , numa alusão ao círculo de estímulo e ajuda que uma fundação deve precisar para
continuar ativa e funcionando em tantos países diversos e distantes .
A bandeira Britânica em cima do cavalete , onde se vê a inscrição : “ Men at work “. Homenagem ao país de origem do
Lord Cheshire.
A Igreja , que não poderia faltar quando se fala a respeito de um homem tão voltado para a religião .
A concha (uma alusão à patrocinadora do projeto , Companhia Shell) que ampara a pessoa com deficiência de locomoção .
O personagem acima , segurando a cesta de basquete , dando um sentido de "leveza" à imagem .
Os aviões , numa alusão clara a Lord Cheshire , piloto mais condecorado na história da RAF .
Fiz interferências nas fotos antigas , para mostrar que o futuro também atua no passado .
Por fim , na montanha , o leve esboço da imagem do idealizador de tudo , que continua presente nas mentes de todos os
envolvidos na fundação.
FIM
Download

apresentação 08: royal collection